Ivailo da Bulgária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ivailo
Imperador da Bulgária
Governo
Reinado 12781279
Consorte Maria Paleóloga Cantacuzena
Antecessor Miguel Asen II
Sucessor João Asen III
Vida
Nome completo Ивайло
Morte 1281

Ivailo (em búlgaro: Ивайло - Ivaylo), apelidado Bardokva ("rabanete" ou "alface") ou Lakhanas em grego: Λαχανᾶς - "repolho"), foi um líder rebelde e imperador da Bulgária entre 1277 e 1280. Em 1277, ele liderou uma revolta camponesa e forçou os nobres a aceitá-lo como imperador, reinando entre 1278 e 1279. Durante seu reinado, Ivailo conseguiu repelir as forças dos Império Bizantino e os mongóis da Horda de Ouro, mas, perseguido por seus inimigos e enfrentando cada vez mais hostilidade por parte dos nobres, ele foi forçado a se exilar entre os mongóis, que o assassinaram logo em seguida.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Segundo Império Búlgaro na época da Revolta de Ivailo. No mapa, em laranja hachurado.

Ivailo era um plebeu de origem humilde que cuidava de porcos para viver. Ele se imaginava capaz de realizar grandes feitos e de tirar a Bulgária da terrível situação em que se encontrava, inclusive repelindo as frequentes invasões dos mongóis da Horda de Ouro de Nogai Khan. Em 1277, Ivailo colocou seu plano em ação e conseguiu atrair um séquito de seguidores descontentes com o governo búlgaro. Entre seus aliados e líderes militares mais próximos estava Hranislav, que, depois de capturado, serviria aos bizantinos. A tentativa de subjugar Ivailo, o monarca búlgaro Constantino Tikh terminou num retumbante fracasso e atribui-se a Ivailo o feito de ter matado o imperador em sua biga pessoalmente. Embora Ivailo tenha conseguido estender sua autoridade por quase todo o país, ele também teve que enfrentar resistência: a capital, Tarnovo, permaneceu leal ao imperador legítimo Miguel Asen II, o filho de Constantino, e sua mãe Maria Cantacuzena.

Os sucessos de Ivailo irritaram o imperador bizantino Miguel VIII Paleólogo, que decidiu neutralizar o risco potencial primeiro através de uma aliança com Ivailo dando-lhe a mão de uma de suas filhas em casamento. Posteriormente, Miguel mudou de ideia e casou sua filha mais velha, Irene, com João Asen III, um descendente da família real búlgara que já vivia na corte bizantina, e despachou-o à frente de um exército para tomar o trono.

A invasão forçou uma aliança entre Ivailo e Maria Cantacuzena. A imperatriz se casou com o assassino de seu ex-marido e Ivailo foi reconhecido como imperador em 1278 sem depor ou deserdar o jovem Miguel Asen II. Embora Ivailo tenha se mostrado um marido abusivo, ele liderou com sucesso a defesa dos passos do Balcãs contra as campanhas bizantinas. Ele também venceu alguns combates contra os raides mongóis, mas um grande exército da Horda de Ouro cercou-o na fortaleza de Drastar no Danúbio por três meses em 1279. Um rumor de que ele teria sido morto provocou pânico em Tarnovo e os nobres da capital acabaram se rendendo ao exército bizantino e aceitando João Asen III como imperador. Maria Cantacuzena e Miguel Asen II foram presos e levados para Constantinopla.

Logo depois, ainda em 1279, Ivailo repentinamente apareceu em Tarnovo à frente de um exército, mas não conseguiu tomar a cidade. Ele conseguiu, porém, derrotar um grande exército bizantino que vinha auxiliar os búlgaros na Batalha de Devina e mais um outro, de 5 000 soldados, nos passos dos Balcãs. Desesperado, João Asen III fugiu de Tarnovo em 1280 e seu cunhado, Jorge Terter I tomou o trono. O novo monarca conseguiu unir temporariamente a dividida nobreza búlgara e Ivailo gradualmente foi perdendo seu apoio. Em 1280 ou 1281, ele foi até Nogai Khan, o comandante mongol, aceitou sua suserania e pediu-lhe ajuda para recuperar o trono. Nogai também foi procurado pelo rival de Ivailo, João Asen III, que buscava exatamente o mesmo. No final, Nogai mandou matar Ivailo e se aliou a João Asen III, que era seu concunhado (ambos eram casados com filhas de Miguel VIII do Império Bizantino).

A revolta de Ivailo é considerada a primeira grande revolta camponesa na história da Europa por historiadores marxistas[quem?]. Apesar de as duras condições sociais na década de 1270 tenham certamente contribuído para a revolta, a ascensão de Ivailo é mais comparável com a reação nacionalista liderada por Joana d'Arc (que teve um viés religioso bem diferente)[carece de fontes?]. Assim como outros líderes carismáticos, Ivailo continuou vivo na imaginação popular e diversos "Pseudo-Ivailos" apareceram (majoritariamente em território bizantino) no final do século XIII e início do século XIV[carece de fontes?].

Família[editar | editar código-fonte]

De seu casamento com Maria Paleóloga Cantacuzena, Ivailo teve uma filha de nome desconhecido. Ela nasceu já no exílio, pois Maria estava grávida dela quando foi presa em 1279.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Títulos reais
Precedido por:
Miguel Asen II
Imperador da Bulgária
1278–1279
com Miguel Asen II (1278–1279)
Sucedido por:
João Asen III

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • John V.A. Fine, Jr., The Late Medieval Balkans, Ann Arbor, 1987.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]