Izabella Teixeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Izabella Teixeira
Izabella Teixeira
Ministra do Meio Ambiente do  Brasil
Mandato 1 de abril de 2010
até atualidade
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Dilma Rousseff
Antecessor(a) Carlos Minc
Sucessor(a)
Vida
Nascimento 9 de outubro de 1961 (52 anos)
Brasília, DF
Nacionalidade  brasileira
Dados pessoais
Alma mater Universidade de Brasília
Profissão Bióloga

Izabella Mônica Vieira Teixeira (Brasília, 9 de outubro de 1961)[1] é a ministra do Meio Ambiente do Brasil. Ela assumiu o cargo no dia 1° de abril de 2010, substituindo Carlos Minc. Antes de assumir o Ministério, era a secretária-executiva do próprio Ministério do Meio Ambiente.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nascida em Brasília, Izabella Teixeira se formou em Biologia pela UnB. É mestre em Planejamento Energético e doutora em Planejamento Ambiental pela COPPE/UFRJ.

Funcionária contratada do IBAMA desde 1985[2] , exerceu cargos de direção no Instituto, bem como no MMA e no Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Exerceu a condução e a gerência executiva de projetos e programas ambientais de cooperação internacional (PPG-7, PNMA, PDBG, PMACI, dentre outros). É professora de MBA e de cursos ambientais em diferentes universidades (UFRJ escola politécnica) e é especialista em avaliação ambiental estratégica. Foi subsecretária da Secretaria do Ambiente do Estado do Rio de Janeiro de 2007 a 2008 e secretária-executiva do MMA de 2008 a 2010.

Em seu primeiro período como Ministra do Meio Ambiente, em 2010, notabilizou-se por ter efetuado os maiores gastos em viagens dentre todos os ministros do Governo, tendo recebido, só em diárias, R$65.000,00 nos 50 dias em que esteve viajando pelo exterior, contabilizado apenas o período entre abril e outubro.[3] Ao final de 2010, Izabella Mônica já havia recebido mais de R$73 mil reais para custear suas viagens internacionais.[4]

Em 16 de dezembro de 2010 foi anunciado que permaneceria no cargo no Ministério do Meio Ambiente no governo de Dilma Rousseff a partir de 2011, contrariando a área ambiental do Partido dos Trabalhadores[5] , as organizações da sociedade civil e o próprio corpo técnico do MMA. Izabella Teixeira já exonerou dois presidentes do IBAMA: Roberto Messias Franco,[6] em 6 de abril de 2010, e Abelardo Bayma, em 12 de janeiro de 2011.[7] [8]

Referências

  1. G1 (16 de dezembro de 2010). Com perfil técnico, Izabella Teixeira se mantém no Meio Ambiente. G1.globo.com. Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  2. Portal da Transparência do Governo Federal (12 Janeiro 2011). SERVIDORES DO PODER EXECUTIVO FEDERAL - Nome:IZABELLA MONICA VIEIRA TEIXEIRA - Ato de Ingresso no Órgão: CONTRATO. Controladoria-Geral da União. Página visitada em 25 Fevereiro 2014.
  3. O Globo (11 Dezembro 2010). Ministros somam R$ 1,2 milhão em diárias de viagem. O Globo. Página visitada em 20 Dezembro 2010.
  4. Portal da Transparência do Governo Federal (12 Janeiro 2011). Diárias por Favorecidos - Favorecido: 279.754.601-68 IZABELLA MONICA VIEIRA TEIXEIRA. Controladoria-Geral da União. Página visitada em 12 Janeiro 2011.
  5. Folha (1 Dezembro 2010). Secretaria do PT protesta contra permanência de Izabela Teixeira no Meio Ambiente. BOLNotícias. Página visitada em 10 Dezembro 2010.
  6. Agência Estado (26 Dezembro 2010). Sob rumores de que estaria sendo pressionado para liberar a construção da hidroelétrica de Belo Monte, o presidente do Ibama, Roberto Messias Franco, pede para ser exonerado do cargo. Diário do Grande ABC. Página visitada em 12 Janeiro 2011.
  7. Agência Estado (12 Janeiro 2011). Presidente do Ibama pede demissão. Estadão. Página visitada em 12 Janeiro 2011.
  8. Xingu Vivo (12 Janeiro 2011). Belo Monte derruba presidente do Ibama. Xingu Vivo. Página visitada em 12 Janeiro 2011.
Precedido por
Carlos Minc
Ministro do Meio Ambiente do Brasil
2010
Sucedido por
atual
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.