Jápeto (satélite)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Jápeto
Satélite Saturno VIII
Iapetus as seen by the Cassini probe - 20071008.jpg
Características orbitais
Semieixo maior 3.560.820 km
Excentricidade 0,0283
Período orbital 79,321 d
Velocidade orbital média 3,27 km/s
Inclinação 15,47 °
Características físicas
Diâmetro equatorial 1.436 km
Área da superfície 6.700.000 km²
Massa (1,805 635 ± 0,000 375)×1021 kg
Densidade média 1,083 0 ± 0,006 6 g/cm³
Gravidade equatorial 0,223 g
Dia sideral 79 d 7 h 12 m
Velocidade de escape 0,572 km/s
Albedo 0,05-0,5
Temperatura média: -158,1 ºC
-173,1 ºC min
-143,1 ºC max
Composição da atmosfera
Pressão atmosférica Inexistente

Jápeto é a terceira maior lua de Saturno com 1.436,0 km de diâmetro e com um período orbital de 79,32 dias, distando cerca de 3.564.300 km de Saturno.

O período de rotação de Jápeto é igual ao de revolução, como acontece com a Lua da Terra, e uma face de Jápeto está sempre a chefiar o seu movimento orbital em volta de Saturno e a outra parte da lua é, continuamente, rebocada. Desta forma, o dia de Jápeto são mais de 79 dias terrestres.

Extraordinariamente, o hemisfério que conduz o movimento de Jápeto é extremamente escuro, refletindo apenas uma pequena percentagem de luz solar incidente. Enquanto que o hemisfério rebocado é tanto como dez vezes melhor refletor. Isto torna Jápeto no corpo celeste conhecido com maior variação de brilho no Sistema Solar[1] .

O hemisfério escuro tem natureza e origem desconhecidas. No entanto, pensa-se que, provavelmente, a matéria da superfície do hemisfério que comanda o movimento sejam moléculas orgânicas de caráter complexo, talvez abastecido de Febe, ou produzido in situ pela radiação ultravioleta solar, no componente de metano de gelo no hemisfério rebocado. Assim, a rápida evaporação do gelo de metano e o transporte balístico da matéria do hemisfério condutor para o rebocado é feito por impactos de micrometeoritos. Explicando-se assim a razão de tal assimetria de brilho entre os hemisférios.

Assim, Jápeto é único por ter um hemisfério de elevado albedo e outro de baixo albedo. Brilho que se reflete na magnitude do astro que varia de 10,2 a 11,9. Isto explica porque, visto da Terra, Jápeto aparece mais brilhante quando está a oeste de Saturno que a Leste deste.

Foram descobertas crateras de impacto no início da década de 1980 pela Voyager no hemisfério rebocado, mas não no que comanda o movimento da lua. A matéria no hemisfério rebocado é quase, de certeza, gelo de água, possivelmente misturado com metano gelado e outros gelos, como o de amónia. Toda a lua é, essencialmente, composta por gelo, daí possuir uma densidade bastante baixa.

Curiosamente, nas primeiras fotografias de Jápeto tiradas pela Voyager 1 descobriu-se uma enorme e bem definida oval branca, com um minúsculo ponto negro no centro. A um círculo ao qual chamara de "Olho de Jápeto" e que se situa no limite de ambos os hemisférios e possui 200 km de diâmetro.

Foi Giovanni Domenico Cassini quem descobriu Jápeto em 25 de outubro de 1671.

Na mitologia grega, Jápeto era um dos titãs e, antigo deus-mago, pai de Prometeu (a divindade que roubou o fogo dos deuses para dar ao Homem) e de Atlas.

Referências

  1. super.abril.com.br/ 25 curiosidades sobre as luas do Sistema Solar