Jabaquara (distrito de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Distrito paulistano do
Jabaquara
Área 14,1 km²
População (13°) 212.504 hab. (2010)
Densidade 150,71 hab/ha
Renda média R$ 3127,73
IDH 0,858 - elevado (46°)
Subprefeitura Jabaquara
Região Administrativa Centro-Sul
Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Centro de exposições Imigrantes

O Jabaquara é um distrito do município de São Paulo, no Brasil. Foi criado em 1964. Localiza-se na zona centro-sul do município. Conta com duas estações de metrô e uma rodoviária. Conta atualmente com mais de 220 000 habitantes.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome do distrito vem do tupi e significa "toca da fuga", através da junção dos termos îababa (fuga) e kûara (toca). Provavelmente, uma alusão a antigos quilombos que deveriam existir na região[1] .

História[editar | editar código-fonte]

O sítio da Ressaca foi construído no século XVIII e tombado no ano de 1972. Três anos depois, o projeto CURA (Comunidade Urbana de Recuperação Acelerada) transformou o Jabaquara em área-piloto, com a restauração iniciada em 1978 e retomada em 1986, após um incêndio. O local, alguns anos depois, passou a abrigar o Acervo da Memória e do Viver Afro-Brasileiro, que reúne objetos referentes à presença dos negros em São Paulo.

Até o início do século XVII, a região era ocupada apenas pelos viajantes que se dirigiam a Santo Amaro e à Borda do Campo. A partir dessa época, a região começou a ser procurada por fazendeiros e sitiantes que passaram a abrir estabelecimentos agrícolas e comerciais. Contudo, começou a popularizar-se apenas a partir do final do século XIX, quando a prefeitura decidiu instalar o parque do Jabaquara, utilizado para passeios e piqueniques.

Entre os anos de 1886 e 1913, circularam, pela região, os trens a vapor de uma pequena ferrovia que ligava a Vila Mariana a Santo Amaro e cujos trilhos foram implantados sobre uma via do antigo caminho do Carro (via de ligação entre São Paulo e Santo Amaro após atravessar os atuais distritos do Campo Belo e do Brooklin). Em 1906, a São Paulo Tramway, Light and Power Company implantou uma linha de bondes que passava ao largo da região, pois seguia em um trajeto que ia desde a rua Tutoia, na vila Mariana, até o centro de Santo Amaro.

O primeiro loteamento do Jabaquara aconteceu na vila Santa Catarina entre 1920 e 1921. Até o final da década de 1920, boa parte da região era escassamente povoada, com chácaras esparsas em meio a extensas superfícies não ocupadas. Uma região sem grande urbanização e com grandes características rurais até então.

O desenvolvimento e a urbanização vieram apenas no final da década de 1920, com a criação da Avenida Washington Luís, ligando a mais desenvolvida vila Mariana aos loteamentos suburbanos às margens das represas e, principalmente, como a inauguração do aeroporto de Congonhas em 1936.

A construção da paróquia de São Judas Tadeu em 1940, a pedido do arcebispo metropolitano dom José Gaspar Afonso e Silva, auxiliou na valorização das terras da região, que se beneficiaram com o desenvolvimento. Isso incentivou a abertura de loteamentos (Jardim Aeroporto, Vila Mascote, Vila Santa Catarina, Vila Parque Jabaquara), que, no entanto, permaneceram praticamente desocupados ou com apenas alguns núcleos isolados até a década de 1950.

Complexo empresarial do Banco Itaú

Outra valorização posterior veio em 1968, quando começaram as obras do metrô de São Paulo. Ficou determinado que a primeira estação da linha seria a estação Jabaquara, inaugurada junto com outras seis estações em 14 de Setembro de 1974. O distrito ainda abriga outra estação metroviária (estação Conceição), posterior a Jabaquara. Três anos depois, em 2 de Maio de 1977, foi inaugurado o Terminal Rodoviário Intermunicipal Jabaquara, que, por sua localização ao sul da cidade, possui muitas linhas com destino ao litoral sul paulista. Ambas as obras ajudaram no desenvolvimento populacional da região, que hoje conta com mais de 200 000 residentes. A parte comercial também foi desenvolvida e, atualmente, a região conta com, no mínimo, dois polos comerciais importantes: O Centro Empresarial do Aço e a sede do Banco Itaú.

Dados oficiais[editar | editar código-fonte]

Dados e informações oficiais, segundo a prefeitura da cidade de São Paulo e o Censo Demográfico de 2000 feito pelo IBGE:

Bens tombados[editar | editar código-fonte]

Órgãos e instituições[editar | editar código-fonte]

  • Corpo de Bombeiros
  • 35º Distrito Policial do Jabaquara
  • 97º Distrito Policial Americanópolis
  • Tribunal Subprefeitura Eleitoral - Jabaquara
  • 369/SP Grupo Escoteiro do Ar Cruz de Malta Jabaquara
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Almirante Ary Parreiras
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Cacilda Becker
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Nelson Pimentel Queiroz
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Armando de Arruda Pereira
  • Escola Estadual de Ensino Médio Dr. Carlos Augusto de Freitas Villalva Junior
  • Escola Estadual João Amos Comenius
  • Escola Estatual Ângelo mendes de Almeida
  • Escola Estadual Professor Pedro Calil Padis
  • Escola Estadual de Primeiro Grau Professor Arthur Wolff Netto

Distritos limítrofes[editar | editar código-fonte]

Cidades limítrofes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo. Terceira edição. São Paulo: Global, 2005. p. 168

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]