Jacques Daléchamps

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jacques Daléchamps ou D’Aléchamps, nasceu em 1513 em Caen e morreu em 1588 em Lyon, França foi um médico, botânico, e naturalista françês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ilustração de Cydonia oblonga tirado de Historia generalis Plantarum.

Entrou na universidade de Montpellier em 1545 e recebeu seu título de doutor em 1547. Frequentou os cursos Guilherme Rondelet. Após ter vivido alguns anos em Grenoble e Valence, instalou-se em Lyon 1552. Nesta cidade, onde residiu até sua morte, exerceu a medicina.

Sua obra mais importante é o seu Historia generalis plantarum (1586-1687), compilação dos conhecimentos botânicos da sua época, que foi publicado em Lyon. Este livro às vezes é denominado Historia plantarum Lugdunensis porque descreve a flora ao redor da cidade. Embora seu nome seja o único na página de título, não há dúvida que certas partes foram escritas por Jean Bauhin e Jean des Moullins. A obra é ornada de 2731 xilogravuras, às vezes bastante medíocres. Daléchamps tinha encarregado Desmoulins da edição das suas notas e não se sabe se a responsabilidade é de um ou do outro. Gaspard Bauhin publicou uma crítica bastante virulenta em 1601.

Publicou, em 1570, o seu Chirurgie françoise, igualmente em Lyon e traduziu, em 1572, a obra de Galien (Administrações anatómicas de Claudio Galeno, traduzidas fielmente do grego para o francês pelo Sr. Jaques Dalechamps,… corrigidas em infinitas passagens com extrema diligência do traducteur). Traduziu igualmente outros autores clássicos como Plínio o velho. Contribuiu, mais que muitos outros seus contemporâneos, para o progresso da ciências e divulgação das obras da antiguidade. Também efetuou traduções francesas de Paul d'Égine, de Galeno.

Charles Plumier dedicou a ele o gênero Dalechampia da família Euphorbiaceae.
Urospermum dalechampii é outra planta em sua homenagem.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Historia generalis plantarum, Lyon, em Guil. Roville, 1586. A primeira edição contém duas erratas, o índice em latim, francês, grego, árabe, italiano, espanhol, alemão, flamengo, boêmio e inglês. Obra traduzida por Jean des Moullins, 1615, obra onde são reunidos todos os conhecimentos que possuia-se então em Botânica. (Dicionário Bouillet).
  • Uma edição de Athénée, com tradução latina e comentários, 1598
  • Cirurgia Francesa. Com as várias figuras necessárias para a operação manual.
  • História geral das Plantas que contêm oito livros repartidos em dois volumes.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]