Jacques Le Goff

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jacques Le Goff
Nascimento 1 de janeiro de 1924
Toulon, França
Morte 1 de abril de 2014 (90 anos)
Paris, França
Nacionalidade França Francês
Ocupação Historiador
Prêmios Medalha de Ouro CNRS (1991)

Jacques Le Goff (Toulon, 1 de janeiro de 1924 — Paris, 1 de abril de 2014)[1] foi um historiador francês especialista em Idade Média. Autor de dezenas de livros e trabalhos, era membro da Escola dos Annales, empregou-se em antropologia histórica do ocidente medieval.

Antigo estudante da École Normale Supérieure, estudou na Universidade Carolina em 1947-48, professor de história em 1950 e membro da École Française de Rome, foi nomeado assistente da Faculté de Lille (1954-59) antes de ser nomeado pesquisador no CNRS (Centro Nacional de Pesquisa Científica), em 1960. Em seguida, mestre-assistente da VI seção da École pratique des hautes études (1962) - sucedeu Fernand Braudel no comando da École des hautes études en sciences sociales, onde ele foi diretor dos estudos. Cedeu seu lugar a François Furet em 1967. Na qualidade de diretor de estudo na École des Hautes Études en Sciences Sociales, Jacques Le Goff publicou estudos que renovaram a pesquisa histórica, sobre mentalidade e sobre antropologia da Idade Média. Seus seminários exploraram os caminhos então novos da antropologia histórica. Ele publicou os artigos sobre as universidades medievais, o trabalho, o tempo, as maneiras, as imagens, as lendas.

VIHS[editar | editar código-fonte]

Co-diretor da Escola dos Annales, dirigiu os estudos ligados à Nova História, como a coletânea Faire de l’histoire em 1977 e o volumoso Dictionnaire de la Nouvelle Histoire publicado no ano seguinte, levando à revolução dos Annales. Sinal do sucesso de suas teses, ele atuou no renovamento pedagógico de história participando da redação de um manual escolar.

Nos anos 1980 ele trabalhou em uma biografia de São Luís, publicada em 1996. Tudo em recordações das etapas essenciais do reinado de Luís IX, ele renovou o gênero biográfico pelos seus métodos e suas reflexões sobre a possibilidade de conhecer realmente um personagem da Idade Média.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • "Mercadores e Banqueiros na Idade Média", 1956
  • "Os Intelectuais na Idade Média", 1957
  • "A Civilização do Ocidente Medieval", 1964
  • "Para um Novo Conceito da Idade Média", 1977
  • "O Nascimento do Purgatório", 1981
  • "O Imaginário Medieval", 1985
  • "História e Memória", 1988
  • "História Religiosa da França", em colaboração de direcção com René Rémond (4 volumes), 1988-1992
  • "O Homem Medieval" (dir.), 1994
  • "A Europa Contada aos Jovens]]", 1996
  • "Por Amor das Cidades", 1997
  • "A Bolsa e a Vida", 1997
  • "Por Amor às Cidades", 1999
  • "Dicionário Temático do Ocidente Medieval", em colaboração de direcção com Jean-Claude Schmitt, 2001
  • "São Francisco de Assis",2001
  • "O Deus da Idade Média", 2003
  • "Em Busca da Idade Média", 2003
  • "O Maravilhoso e o Quotidiano no Ocidente Medieval"

Referências

  1. Morreu o historiador Jacques Le Goff Publico (1 de abril de 2014).
Precedido por
Marc Julia
Medalha de Ouro CNRS
1991
Sucedido por
Jean-Pierre Changeux