Jacques Rogge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Conde
Jacques Rogge
Jacques Rogge, 2014
Presidente do Comitê Olímpico Internacional
Período de governo 16 de julho de 2001
10 de setembro de 2013
Antecessor(a) Juan Antonio Samaranch
Sucessor(a) Thomas Bach
7º Presidente do Comitê Olímpico Belga
Período de governo 1989 a 1992
Antecessor(a) Raoul Mollet
Sucessor(a) Adrien Vanden Eede
Vida
Nascimento 2 de maio de 1945 (69 anos)
Gante,  Bélgica
Dados pessoais
Alma mater Universidade de Gante
Esposa Anne Rogge
Religião Catolicismo Romano
Profissão Cirurgião ortopédico
Administrador

Jacques Rogge, Conde Rogge (Gante, 2 de maio de 1942), belga formado em medicina com especialidade em cirurgia ortopédica foi presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) entre os anos de 2001 e 2013.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Atleta[editar | editar código-fonte]

Iniciou suas atividades esportivas no iatismo, onde representou a Bélgica nos Jogos Olímpicos de 1968, 1972 e 1976. Também jogou pela Seleção Belga de Rugby.

Comitê Olímpico Internacional[editar | editar código-fonte]

Rogge foi presidente do Comitê Olímpico Belga entre 1989 e 1992 e presidiu o Comitê Olímpico Europeu entre 1989 e 2001. Ele se tornou membro do COI em 1991 e entrou para o Comitê Executivo em 1988. Ele foi nomeado Cavaleiro e, posteriormente, designado Conde pelo Rei Albert II da Bélgica.

Rogge foi eleito presidente do COI em 16 de Julho de 2001, em seção realizada em Moscou, sucedendo Juan Antonio Samaranch, que presidia o COI desde 1980.

Sob sua presidência, o COI iniciou um projeto para viabilizar a candidatura a sede dos Jogos Olímpicos por parte de países menos desenvolvidos, com políticas de redução de custos e complexidade.

Durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2002, Rogge se tornou o primeiro presidente do COI a se hospedar na Vila Olímpica, junto aos atletas, ao invés de se hospedar em um hotel 5 estrelas, como costumeiramente faziam os presidentes anteriores. Ele também atuou decisivamente nos julgamentos e punições em casos de dopping, denunciando casos de corrupção por parte de dirigentes que tentavam evitar punições a atletas flagrados nos exames. Como resultado, os primeiros Jogos Olímpicos sob sua presidência foram recheados de críticas ao que foi chamado de uma nova era no Movimento Olímpico, porém Rogge respondeu com declarações que não iria tolerar nenhum tipo de corrupção. Todos os seis Jogos Olímpicos sob a presidência de Rogge (Salt Lake City 2002, Atenas 2004, Turim 2006, Pequim 2008, Vancouver 2010 e Londres 2012) tiveram casos de punição de atletas por dopping.

Durante sua gestão, o beisebol e o softbol foram excluídos das Olimpíadas. Essa decisão foi aprovada na reunião realizada em Julho de 2005 em Singapura e entrará em vigor nos Jogos Olímpicos de Verão de 2012. Porém, Rogge deixou claro que ambos os esportes podem voltar a se candidatar no futuro.

Em 9 de outubro de 2009, foi reeleito para o cargo de presidente do COI até 2013 com o voto de 88 dos 92 votantes - 1 voto contrário e 3 abstenções.[1]

Referências

  1. O Globo Online (9 de outubro de 2009). Jacques Rogge é reeleito presidente do COI (em português). Visitado em 9 de outubro de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Raoul Mollet
Presidente do Comitê Olímpico Belga
1989 – 1992
Sucedido por
Adrien Vanden Eede
Precedido por
Juan Antonio Samaranch
Presidente do Comitê Olímpico Internacional
2001 – 2013
Sucedido por
Thomas Bach