Jacupiranga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Jacupiranga
Bandeira de Jacupiranga
Brasão de Jacupiranga
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1927 (87–88 anos)
Gentílico jacupiranguense
Prefeito(a) José Cândido Macedo Filho (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Jacupiranga
Localização de Jacupiranga em São Paulo
Jacupiranga está localizado em: Brasil
Jacupiranga
Localização de Jacupiranga no Brasil
24° 41' 34" S 48° 00' 07" O24° 41' 34" S 48° 00' 07" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Litoral Sul Paulista IBGE/2008[1]
Microrregião Registro IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Barra do Turvo, Cajati, Cananéia, Eldorado, Pariquera-Açu e Registro (São Paulo)
Distância até a capital 217 km
Características geográficas
Área 708,382 km² [2]
População 17 196 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 24,28 hab./km²
Altitude 33 m
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,76 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 160 165,300 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 764,39 IBGE/2008[5]
Página oficial

Jacupiranga é um município do estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 24º41'33" sul e a uma longitude 48º00'08" oeste, estando a uma altitude média de 33 metros. Sua população estimada em 2004 era de 18 380 habitantes.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Jacupiranga" é um termo tupi que significa "jacu vermelho", através da junção dos termos ya'ku ("jacu")[6] e pyrang ("vermelho")[7] .

História[editar | editar código-fonte]

Fundada por um grupo de portugueses chefiados por Antônio Pinto de Magalhães Mesquita, Hildebrando de Macedo, Manuel Pinto de Almeida e Francisco Lara França, Jacupiranga nasceu ao redor da pequena Capela da Imaculada Conceição. Mais tarde, em 1888, o coronel Magalhães Mesquita, com a ajuda do padre Antônio Domingos Rossi, construiu a Igreja Matriz da cidade.

Em 1870, quando atingiu a categoria de vila, passou a ser Jacupiranga, palavra de origem indígena que significa jacu vermelho, um pássaro nativo da região. Hoje, possui belo casario histórico.

A Lei Estadual 2 253, de 29 de dezembro de 1927, criou o município, como território desmembrado de Iguape. Jacupiranga conseguiu sua emancipação político-administrativa em 29 de dezembro de 1927 e a instalação em 23 de junho de 1928. Foi elevada a comarca em 31 de dezembro de 1963.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 708,382 km².

  • Área da Zona Urbana 10,4 km²
  • Área da Zona Rural 698,0 km²

Distâncias:

  • Curitiba: 180 km
  • Registro: 27 km
  • São Paulo: 217 km

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 17 041

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

A principal atividade econômica da região é o cultivo da banana. Também se destaca na criação do gado vacum e bubalinos.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Dentre os atrativos destacáveis no município, pode-se citar festas típicas, como rodeios e festas juninas, além das tradições na cultura católica, como a ilustre Festa do Divino Espírito Santo e a Festa em Louvor a Nossa Senhora da Conceição, Padroeira municipal.

- Igreja Nossa Senhora da Conceição

A primeira construção tratava-se de uma capela, construída em meados do século XVIII, em função dos primeiros habitantes oriundos da antiga Vila de Nossa Senhora das Neves que vieram explorar as margens dos rios em busca de veios de ouro. Algum tempo depois a capela sem padroeiro recebe um grande presente, a imagem de Nossa Senhora da Conceição.

Inicialmente com mão de obra escrava e posteriormente pelos povos que habitavam a pequena vila que na época recebia o nome de Botujuru, a Igreja Nossa Senhora da Conceição (Igreja Matriz) foi construída em 1888. 

Até os dias de hoje são preservadas as estruturas da antiga capela, pois através de uma parede de vidro pode-se notar as camadas de materiais utilizadas em sua construção como, por exemplo: a taipa.

A Igreja que possui apenas uma torre leva contigo também uma grande curiosidade: Fica de frente para o rio e de costas para o resto da cidade. Isso deve-se ao fato de que no passado as pessoas chegavam através dos rios. Inclusive a imagem da padroeira chegou por meio das águas, motivo este que todos os anos se comemora o Dia da Padroeira descendo o rio em canoas com a imagem de Nossa Senhora da Conceição.

- Expojac

A Expojac é um dos eventos mais tradicionais de Jacupiranga, atraindo turistas de toda a região e até mesmo de cidades mais distantes. É realizado sempre próximo ao dia 23 de junho, data que se comemora o aniversário da emancipação política administrativa do município.

Os quatro dias de evento contam com muitas atrações, assim como exposições do artesanato local, comidas típicas, plantas ornamentais, produção rural, apresentação de pontos turísticos, palestras, apresentações de dança, bandas, fanfarras, além de oficinas, parque de diversão, praça de alimentação, missa caipira, desfile de cavaleiros, costela no chão, piseiro sertanejo, shows, entre tantas outras.  

- Festa do Divino Espírito Santo

A Festa do Divino Espírito Santo é a celebração católica mais tradicional de Jacupiranga. De acordo com os festeiros, a comemoração teve inicio em Portugal, quando em situação de grande seca o imperador diante da ocorrência tirou o seu manto, coroa e cedro, vestiu- se como um camponês e passou a viver como tal, oferecendo o seu sacrifício para Deus em intenção de que se revertesse a situação na qual se encontrava o país. Deus misericordioso atendeu as suas preces, trazendo a chuva e, com ela, as melhores colheitas que eles já haviam presenciado.

O imperador ficou muito contente, voltou a utilizar suas vestimentas, mas iniciou em ação de homenagem e agradecimento àquele que os abençoou. Sendo assim, todos os anos se comemora a Festa do Divino, herança essa que o município de Jacupiranga conserva desde 1864, antes mesmo da construção da Igreja Matriz.

A festividade tem início na última quarta-feira do mês de abril, onde acontece o primeiro encontro em uma das 20 capelas espalhadas pela cidade. Em cada encontro é feito o momento de oração com leitura da liturgia e partilha, e, posteriormente é feita a entrega da bandeira do divino, que tem em sua composição simbólica uma pomba que representa a devoção do espírito santo. Os encontros seguem assim até o último domingo do mês de maio, fechando o momento de entrega das 20 bandeiras em suas comunidades.

Os festeiros visitam as casas, estabelecimentos e fazem passeatas nas ruas de suas comunidades com a bandeira até o dia 19, no dia 20 de junho tem início a novena, nesse momento todas os festeiros de todas as comunidades se reúnem na Igreja Matriz com suas bandeiras e os oito dias posteriores a novena acontece em todas as comunidades. Ao 9º dia, ou seja, dia 29 de junho, acontece a grande festa de encerramento, momento em que todas as comunidades voltam a se reunir e participam de uma alvorada, momento solene da chegada das bandeiras, do imperador e da imperatriz, que dançam uma valsa, fazendo referência ao início da festa em Portugal.

 Normalmente as missas acontecem ás 10h e 18 horas.

- Casa do Artesão

A Casa do Artesão existe em Jacupiranga desde o dia 29 de novembro de 1988 “Decreto nº 304”.

 Na época foi homenageado o Sr. Flaviano de Lima, um talentoso artesão da cidade.

Por um tempo a Casa do Artesão ficou desativada, mas, em 2014 foi realizada a reinauguração da mesma com um novo propósito, tendo como lema “Reunindo Talentos em Jacupiranga. Hoje, a Casa reúne o trabalho de artesões de todo o Vale do Ribeira.

Vale ressaltar também que a Casa do Artesão possui diversos segmentos, assim como: artesanato de raiz, entalhe em madeira e raiz, selaria (tudo em couro, traia para cavalo e cavaleiro, sendo tradição há 70 anos na família), rabeca artesanal, violão de cabaça, violãozinho de madeira reciclável, peças em MDF, crochê, patchwork, cipó, fibra de bananeira, entre tantos outros.

Está em andamento um projeto para a construção de um rancho tropeiro, todo feito em madeira rústica e telhas de barro, resgatando a tradição da cidade do café tropeiro feito no fogão a lenha, acompanhado pela banana frita. A intenção é que no mesmo ponto fique a Casa da Farinha, que quando pronta será um grande atração turística na cidade.

- Casa da Farinha

A Casa da Farinha é conhecida pela ótima qualidade da farinha produzida artesanalmente.

Participa do Revelando ha 15 anos e é reconhecida também pelo suco de maná, uma fruta original da Amazônia e cultivada em Jacupiranga pelo seu clima propício. Esta fruta é também indicada para tratamento de diabetes e colesterol alto.

A Casa da farinha também produz doces de banana nanica e prata sem conservantes e é conhecida no Revelando pela melhor farinha de mandioca do estado de São Paulo e pela Tapioca feita na hora.

Hoje seus produtos são encontrados na Casa do Artesão e na Feira de sábado, feira esta que é tradição em Jacupiranga pela variedade de produtos e artesanatos regionais.

Gastronomia Típica - Banana Caipira (estilo batata suíça) feita com banana verde, queijo e calabresa. Faz parte da roda gastronômica de SP e ficou entre os 10 pratos selecionados para o concurso Prazeres da Mesa.

“Coruja” (feita com mandioca), bananinha crocante (tipo chips), biju, farinha de mandioca, bolo de roda, cuscuz e derivados da banana como: balas, barras de cereal, banana passa e farinha da banana

- 477 – Aqui nasceu o Rodízio

Conta a lenda que, um belo dia, a churrascaria estava muito lotada devido aos romeiros vindos da festa do Bom Jesus de Iguape e, que um atrapalhado garçom começou a trocar os espetos de churrasco de várias mesas.  Quem havia pedido galeto recebeu costela e o filé veio no lugar da linguiça. A confusão era generalizada com todos os clientes querendo pegá-lo pelo colarinho. Foi ai que Seu Albino resolveu servir todos os espetos para todas as mesas. 

O que antes era ira passou a ser alegria e a churrascaria ganhou um novo sistema de atendimento, que agradou o Brasil e o mundo inteiro.

- Vale a pena conhecer:

- Cachoeira do Guaraú

Localização: Bairro Guaraú

Propício para: Bóia Cross, Canoagem, Ducking, Banho e Pesca.

- Pedra do Lençol

Localização: Bairro Lençol

Propício para: Voo Livre, Escalada, Trilhas e Mirante.

- Mosaico do Parque Estadual de Jacupiranga

Localização: Bairro Guaraú

Propício para: Whatching Bird, Trilhas, Montanhismo, Rapel, Arborismo, 4x4 e Escalada.

- Parque Estadual de Jacupiranga

Localização: Bairro Guaraú

Propício para: Whatching Bird, Trilhas, Montanhismo, Rapel, Arborismo, 4x4, escalada

- Pesqueiro e Pousada Olho d’água

Localização: Bairro Guaraú

Propício para: Pesca, Whatching Bird, Banho, trilha e repouso.

- Fazenda e Pousada Rural Riachão

Localização: Bairro Morro Grande

Propício para: Trilha, Cavalgada, Banho, Whatching Bird e atividades pedagógicas.

- Mirante do Guarau

Localização: Guaraú

Propício para: Trilhas, mirante

- Hospedagens:

- Hotel El Suzyellem

End: Av. Vitório Ongarato, n° 844

Telefone: (13) 3864-1540

Site: www.hotelsu.com.br

E-mail: contato@hotelsu.com.br

- Hotel Morada do Sol

End: BR 116 Km 446

Telefone: (13) 3864-1616

Site: www.moradiasol.com.br

- Edumar

End: Av. Silvio Carneiro Braga

Telefone: (13) 3864-3612

- Hotel Palace Jacupiranga

End: Av. 23 de julho

Telefone: (13) 3864-6400

- Onde comer:

- Restaurante e Churrascaria 477

End: Av. Vitorio Ongarato

Telefone: (13) 3864-1661

Tipo: Churrascaria

- Pimenta Doce

End: Rua Guará, n° 255

Telefone: 3864-2273

Tipo: Casa de Massas

- Restaurante Itororó

End: Av. Ademar de Barros, n° 452

Telefone: (13) 3864-3113

Tipo: Churrascaria

- Pizzaria da Nona

End: Eua Alves da Costa, n° 325

Telefone: (13) 3864-2171

Tipo: Pizzaria

- Pizzaria Nóbilis

End: Rua Guará, n° 50

Telefone: (13) 8864-1165

Tipo: Pizzaria

- Palmares

End:Av. 23 de julho, n° 371

Telefone: (13) 3864-3412

Tipo: Buffet

- Don Fratello

End: Av. Hilda Mohring de Macedo

Tipo: Buffet e Massas

- Lanchonete Parada Caipira

End: Estrada de Jacupiranga / Eldorado Km 17

Telefone: (13) 99706-5241

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Salto do Rio Guaraú
  • Serra do Guaraú
  • Serra do Cadeado
  • Pedra do lençol
  • Cachoeiras e corredeiras
  • Parque Estadual de Jacupiranga
  • Igreja Matriz (restauração)
  • Pedra do Cristal
  • Caminho dos Jesuítas
  • Cachoeira do Pitu
  • Morro do Talavasso

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.979
  7. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm

Ligações externas[editar | editar código-fonte]