Jacutinga (Rio Grande do Sul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Jacutinga
Igreja Católica de Jacutinga

Igreja Católica de Jacutinga
Bandeira desconhecida
Brasão de Jacutinga
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 1 de junho
Fundação 1 de junho de 1964 (50 anos)
Gentílico jacutinguense
Lema Lugar para viver
Prefeito(a) Edegar Menin (PP)
(2009–2012)
Localização
Localização de Jacutinga
Localização de Jacutinga no Rio Grande do Sul
Jacutinga está localizado em: Brasil
Jacutinga
Localização de Jacutinga no Brasil
27° 43' 44" S 52° 32' 06" O27° 43' 44" S 52° 32' 06" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Erechim IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Paulo Bento, Campinas do Sul, Ponte Preta, Quatro Irmãos, São Valentim
Distância até a capital 395 km
Características geográficas
Área 179,296 km² [2]
População 3 630 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 20,25 hab./km²
Altitude 650 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,8 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 65 789,426 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 18 093,90 IBGE/2008[5]
Página oficial

Jacutinga é um município do estado brasileiro do Rio Grande do Sul. Localizado a uma altitude de 650 metros, possui 3.615 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Jacutinga começou a ser colonizada por volta de 1891 quando um grupo de judeus começou a povoar a região. A cidade de Jacutinga teve a suas origens na Fazenda Quatro Irmãos.

O nome Jacutinga surgiu em razão da existência de várias aves da espécie (pipile jacutinga) na região.

A ave símbolo do município de Jacutinga

Geografia[editar | editar código-fonte]

Está localizado ao norte do estado e pertence à Mesorregião do Noroeste Rio-Grandense e à Microrregião de Erechim.

Economia[editar | editar código-fonte]

Cresceu economicamente graças a empresários que investem em silos para o armazenamento do cereal colhido.

Possui indústrias de balas, móveis e camisas, entre outras.

O maior evento comercial realizado no município é a Exposição do Comércio, Industria e Agropecuária (Expocija), onde diversos expositores locais mostram o que têm de melhor em produtos coloniais e artesanais. O evento acontece a cada dois anos e é considerado um dos maiores eventos do norte do estado.

O município também é lembrado pelo Fórum do Desenvolvimento, realizado com o objetivo de que os pequenos empresários da cidade e região aprendam a ter um empreendimento próspero e lucrativo.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Uma de suas principais atrações turísticas é o Parque Municipal Ernesto V. Menin. Várias famílias passam dias acampando, usando o playground, fazendo trilhas e visitando as ruínas da antiga usina hidrelétrica, e é aberto a todos, durante o ano todo.

Um grande evento turístico do município é o Festival do Chope.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.