Jaime Lerner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jaime Lerner
Jaime Lerner
52.º Governador do Paraná Paraná
Período de governo 1 de janeiro de 1995
1º de janeiro de 2003
Antecessor(a) Mário Pereira
Sucessor(a) Roberto Requião
76.º Prefeito de Curitiba Bandeira de Curitiba.svg
Período de governo 1 de janeiro de 1989
1º de janeiro de 1993
Antecessor(a) Roberto Requião
Sucessor(a) Rafael Greca
73.º Prefeito de Curitiba Bandeira de Curitiba.svg
Período de governo 1979
1982
Antecessor(a) Saul Raiz
Sucessor(a) Maurício Fruet
70.º Prefeito de Curitiba Bandeira de Curitiba.svg
Período de governo 1971
1974
Antecessor(a) Edgar Dantas Pimentel
Sucessor(a) Donato Gulin
Vida
Nascimento 17 de dezembro de 1937 (77 anos)
Curitiba, Paraná
Dados pessoais
Partido ARENA / PDT / PFL-DEM
Profissão Urbanista

Jaime Lerner (Curitiba, 17 de dezembro de 1937) é um político, arquiteto e urbanista brasileiro, tendo sido prefeito de Curitiba por três vezes (1971–75, 1979–84 e 1989–92) e governador do Paraná por duas (1995–1999 e 1999–2003).

Foi eleito presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA) em julho de 2002. Atualmente Lerner é urbanista e consultor das Nações Unidas para assuntos de urbanismo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido numa família de imigrantes judeus poloneses originária de Łódź, Jaime Lerner estudou em escolas públicas até o secundário. Obteve sua graduação pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná em 1964. Em 1965, Lerner participou da criação do Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), responsável pelo Plano Diretor da cidade.

Casou-se em 1964 com Fani Lerner (1932 - 21/05/2009), com quem teve as filhas Andrea e Ilana.[1]

Política[editar | editar código-fonte]

Filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena) em 1971, quando foi nomeado prefeito biônico da capital paranaense.

Prefeitura de Curitiba[editar | editar código-fonte]

Primeiro mandato[editar | editar código-fonte]

Em seu primeiro mandato a frente da prefeitura de Curitiba, efetuou uma obra controversa, para a época, e que tornou-se, com o passar do tempo, um dos principais cartões postais de Curitiba.

O calcamento da Rua XV de Novembro e devolvendo à via de alcunha republicana o nome imperial do qual muitos tinham se esquecido – Rua das Flores. A rua foi aberta com exclusividade aos pedestres em 20 de maio de 1972[2] . Outra importante obra de seu primeiro mandato a frente da capital paranaense, foi a abertura de vias exclusivas para os ônibus urbanos (chamados "expressos"), ocorrido em setembro de 1974[3] , a atual Rede Integrada de Transporte.

Segundo mandato[editar | editar código-fonte]

Nomeado novamente, retornou ao cargo em 1979.

Terceiro mandato[editar | editar código-fonte]

Em 1988, foi eleito por sufrágio popular para o mandato à frente da prefeitura curitibana pelo PDT. Em 1994, foi eleito governador do Paraná e em 1998, troca o PDT pelo então Partido da Frente Liberal (PFL) (atual Democratas) e é reeleito governador com mandato até 2002.

Governador do Paraná[editar | editar código-fonte]

Eleito governador do Estado do Paraná em 1994 e reeleito em 1998, Lerner promoveu a maior transformação econômica e social da história do Estado. Apoiado em uma política de atração de investimentos produtivos, o Paraná se consolidou como um novo pólo industrial do País, contabilizando investimentos de US$ 20 bilhões entre o período de 1995 a 2001. A exemplo da experiência bem sucedida de Curitiba, o governador Jaime Lerner preocupou-se em resolver problemas de transporte, uso do solo, educação, saúde, saneamento, lazer e industrialização como um todo.

Essa preocupação, intensa principalmente na área social, de educação e de atenção à criança, renderam ao Governo do Paraná o prêmio Criança e Paz da Unicef, para os programas "Da Rua para a Escola", "Protegendo a Vida" e "Universidade do Professor".[4]

Críticas[editar | editar código-fonte]

Ações do então governador questionadas pela população do estado foram a tentativa de privatização da (COPEL) e a privatização das estradas do estado sem a inclusão de cláusulas de controle das tarifas cobradas pelas concessionárias.

Condenações[editar | editar código-fonte]

Dispensa ilegal de licitação[editar | editar código-fonte]

Em 2011, uma decisão do STJ condenou Jaime Lerner a três anos e seis meses de prisão, mais uma multa, pelo crime de dispensa ilegal de licitação na construção de estradas em seu Estado. Mesmo tendo sido condenado, Jaime Lerner não precisou cumprir a pena devido a prescrição do Crime e por ter mais de 70 anos na época. [5]

Improbidade administrativa[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2013, Jaime Lerner foi condenado no Tribunal de Justiça do Paraná por improbidade administrativa devido ao pagamento indevido de quarenta milhões de reais em uma indenização por áreas desapropriadas em Cascavel. Os dois beneficiários da indenização também foram condenados. Ainda cabe recurso à decisão.[6]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Edgar Dantas Pimentel
Prefeito de Curitiba
19711974
Sucedido por
Donato Gulin
Precedido por
Saul Raiz
Prefeito de Curitiba
19791983
Sucedido por
Maurício Fruet
Precedido por
Roberto Requião
Prefeito de Curitiba
19891992
Sucedido por
Rafael Greca
Precedido por
Mário Pereira
Governador do Paraná
19952003
Sucedido por
Roberto Requião