Jaime de Magalhães Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Jaime de magalhães lima)
Ir para: navegação, pesquisa
Jaime de Magalhães Lima
Nascimento 15 de Outubro de 1859
Aveiro
Morte 26 de fevereiro de 1936 (76 anos)
Eixo, Aveiro
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação Escritor

Jaime de Magalhães Lima (Aveiro, Vera Cruz, 15 de Outubro de 1859 — Aveiro, Eixo, 26 de Fevereiro de 1936) foi um pensador, poeta, ensaísta e crítico literário português. Foi defensor e divulgador do vegetarianismo, do qual era adepto fervoroso. É patrono da escola secundária de Esgueira, por isso denominada Escola Secundária Jaime de Magalhães Lima.

Família[editar | editar código-fonte]

Jaime de Magalhães Lima nasceu em Aveiro, Vera Cruz, filho de Sebastião de Carvalho e Lima (Aveiro, Eixo, 21 de Fevereiro de 1824 - Aveiro, Vera Cruz) e de sua mulher Leocádia Rodrigues Pinto de Magalhães (Rio de Janeiro - Aveiro, Vera Cruz), emigrantes portugueses na cidade do Rio de Janeiro. Teve duas irmãs (Lucília Carmina de Magalhães Lima e Zulmira de Magalhães Lima) e um irmão, o jornalista e político Sebastião de Magalhães Lima.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciou-se em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra em 1888, onde conheceu Ramalho Ortigão, Oliveira Martins e o seu grande amigo Antero de Quental.[1]

Era admirador de Tolstoi, que conheceu quando foi à Rússia, conforme relata no seu livro Cidades e paisagens (1889).

Dirigiu a revista Galeria Republicana [2] (1882-1883) e colaborou na Revista de Portugal de Eça de Queiroz. Colaborou ainda com regularidade no mensário O Vegetariano, dirigido por Amílcar de Sousa e em diversas publicações periódicas, nomeadamente nas revistas: A semana de Lisboa[3] (1893-1895), Branco e negro[4] (1896-1898), Atlântida[5] (1915-1920) e Pela Grei[6] (1918-1919).

Faleceu na sua quinta em Eixo, Aveiro, a 26 de Fevereiro de 1936.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou com Maria do Cardal de Lemos Pereira de Lacerda Sant'Iago (Condeixa-a-Nova, Condeixa-a-Nova, 16 de Janeiro de 1865 - Condeixa-a-Nova, Condeixa-a-Nova, 16 de Janeiro de 1945), filha do 1.º Conde de Condeixa, de quem teve um filho e duas filhas.

Obras[editar | editar código-fonte]

(R)=Romance, (C)=Conferencia, (T)=Tradução, (P)=Obra poética, (E)=Ensaio, (B)=Biografia

  • 1886 - Estudos sobre a literatura contemporânea (E)
  • 1887 - O Snr. Oliveira Martins e o seu projecto de lei sobre o fomento rural
  • 1888 - A democracia (E) (eBook)
  • 1888 - A arte de estudar (T - Alexander Bain)
  • 1889 - Cidades e paisagens (eBook)
  • 1892 - As doutrinas do Conde Leão Tolstoi (E)
  • 1894-1895 - Jesus Cristo (T - Henri Didon)
  • 1899 - Notas de um provinciano
  • 1899 - Transviado (R) (eBook)
  • 1899 - O Crédito agrícola em Portugal (E) (eBook)
  • 1900 - Elogio de Edmundo de Magalhães Machado
  • 1901 - Sonho de Perfeição (R)
  • 1902 - J. P. Oliveira Martins : in memoriam : 30 de Abril de 1845 - 24 de Agosto de 1894
  • 1902 - Vozes do meu lar
  • 1903 - Na paz do senhor (R)
  • 1904 - Reino da saudade (R)
  • 1905 - Via redentora
  • 1906 - Apóstolos da terra
  • 1908 - S. Francisco de Assis e seus evangelhos
  • 1909 - O ensino de Jesus : uma exposição simples (T - Leão Tolstoi)
  • 1909 - A anexação da Bósnia e da Herzegovina pela Áustria (T - Leão Tolstoi)
  • 1909 - José Estêvão (eBook)
  • 1910 - Alexandre Herculano (B) (eBook)
  • 1910 - Rogações de eremita (eBook)
  • 1912 - O Vegetarismo e a Moralidade das raças (C) (eBook)
  • 1915 - Salmos do prisioneiro (eBook)
  • 1915 - A guerra: depoimentos de hereges (eBook)
  • 1918 - Do que o fogo não queima (eBook)
  • 1920 - Rasto de sonhos: arte e alentos de pousadas da minha terra
  • 1920 - Eucaliptos e acácias (eBook)
  • 1923 - Coro dos coveiros
  • 1923 - A língua portuguesa e os seus mistérios
  • 1924 - Alberto Sampaio e o significado dos seus estudos na interpretação da história nacional (B)
  • 1925 - Camilo e a renovação do sentimento nacional na sua época (B)
  • 1925 - Rafael Bordalo Pinheiro: moralizador político e social (B)
  • 1926 - A arte de repousar e o seu poder na constituição mental e moral dos trabalhadores
  • 1931 - Princípios e deveres elementares
  • 1931 - Dificuldades étnicas e históricas da insinuação do nacionalismo na arte portuguesa contemporânea
  • 1933 - O amor das nossas coisas: e alguns que bem o serviram
  • 1934 - Dr. Alberto Souto: o seu espírito, o seu carácter e a sua obra (B)
  • 1964 - O culto da flor e os jardins da Inglaterra
  • 1968 - Os povos do baixo Vouga
  • 1986 - Entre pastores e nas serras
  • 1957 - Divagações de um terceiro

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jaime de Magalhães Lima
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.