James Hamilton Peabody

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
James Hamilton Peabody
13º e 15º Governador do Colorado
Mandato 1903 – 1905
(1905 - 1905)
Antecessor(a) James Bradley Orman (1903)
Alva Adams (1905)
Sucessor(a) Alva Adams (1905)
Jesse Fuller McDonald (1905)
Vida
Nascimento 21 de agosto de 1852
Condado de Orange, Vermont
Morte 23 de novembro de 1917 (65 anos)
Cañon City, Colorado
Nacionalidade Americano
Dados pessoais
Alma mater Stratton Commercial College
Primeira-dama Frances Lillian Clelland
Partido Republicano
Profissão Administrador e Político

James Hamilton Peabody (21 de agosto de 1852 - 23 de novembro de 1917) foi um político dos Estados Unidos e 13º e 15º governador do Colorado, com atuação evidente no serviço público de Cañon City, Colorado.

Início de vida[editar | editar código-fonte]

James era o filho mais novo de 17 crianças. Ele nasceu no Condado de Orange, Vermont, onde sua família mantinha atividades rurais. Ele frequentou a escola em Vermont e mais tarde aperfeiçoou sua educação no Bryant Commercial College em Barre e no Stratton Commercial College em Burlington, Vermont. Três de seus irmãos lutaram para a União na Guerra Civil Americana.[1] Em 1871, enquanto James ainda estava na Faculdade, quando sua família mudou-se para Pueblo, Colorado. Depois de concluir sua graduação no ano seguinte, James seguiu sua família e manteve a administração da loja de armarinhos da família por três anos.

Primeiras oportunidades[editar | editar código-fonte]

No início de 1875, James mudou-se para Cañon City, Colorado e trabalhou para James Clelland em sua loja General Mercantile. Em 19 de março de 1878, ele casou com a filha de seu empregador, Frances Lillian Clelland, e o casal teve quatro filhos (James, Clellan, Cora May e Jessie Anne). Peabody rapidamente foi sendo promovido na loja de Clelland, tornando-se um gerente e, em seguida, um sócio de plenos direitos e então comprou todo o negócio em 1882. Em 1885, ele foi eleito o Secretário-de-Condado no Condado de Fremont, Colorado, vencendo o antigo incumbente, que ocupava o cargo há 18 anos.[2]

Serviço público[editar | editar código-fonte]

Em 1889, ainda exercendo as funções de Secretário-de-Condado, Peabody ajudou a organizar o First National Bank de Cañon City e em 1891, foi eleito Presidente do banco. Ele também atuou como como Tesoureiro de Cañon City por dois anos e vereador por dois anos.[1] Ele ajudou a organizar a empresa de abastecimento de água potável de Cañon City e serviu como seu secretário e tesoureiro, por muitos anos. Ele foi fundamental na formação da empresa de energia elétrica de Cañon e serviu como o primeiro presidente da organização. Além disso, ele era um membro da Maçonaria, e, em 1885, aos 32 anos, foi nomeado Grão-Mestre Maçom no Colorado. Naquela época, ele era o mais jovem Grande Mestre Maçom na América.

Administração como governador[editar | editar código-fonte]

Eleição[editar | editar código-fonte]

Por causa de suas contribuições à Cañon City, no Condado de Fremont e no estado do Colorado em geral, ele tornou-se conhecido na política do Estado e foi um membro ativo do partido republicano de Colorado. Em 1902, ele foi o candidato republicano para governador do Colorado. Ele disputou com a plataforma de "lei e ordem" e foi eleito, mas sua administração reuniu inúmeras dificuldades, principalmente as questões trabalhistas em muitas minas do Colorado.

Problemas[editar | editar código-fonte]

Durante a administração de Peabody, os sindicatos mineiros atuaram em várias questões, incluindo salários, horas e condições de trabalho. Algumas questões de particular importância foram a jornada de trabalho de oito horas diárias e a greve dos mineiros nas minas de ouro e prata no Clear Creek, Cripple Creek e Telluride, bem como nas minas de carvão do Condado de Las Animas.[1] A tática de Peabody para lidar com as greves foi chamar a Guarda Nacional de Colorado sempre que fosse necessário, uma estratégia que muitos entenderam como autoritária.

A organização que representava os mineiros de rochas preciosas foi a Western Federation of Miners (WFM). A organização que representava mineiros de carvão foi a United Mine Workers (UMW). Alguns dos funcionários no Condado de Teller, particularmente no distrito de Cripple Creek, consideravam-se simpáticos à "União" (UMW). Em 1903 a "WFM" convocou uma greve para apoiar os trabalhadores das fábricas.

Greve[editar | editar código-fonte]

Enquanto a Federação trabalhava para expulsar todos os mineiros não sindicalizados do Condado, os proprietários das minas se recusavam a negociar as reivindicações da Federação, então a luta degenerou em violência por ambas as partes. Enquanto os proprietários de minas tentaram desesperadamente recrutar e importar mineiros não sindicalizados de outros lugares do Estado, a Federação usava seu poder para construir barricadas nas estradas e linhas férreas em Cripple Creek. Os proprietários então apelaram para Peabody, que despachou uma Comissão de investigação de Denver para verificar a situação. Por recomendação da Comissão, Peabody ordenou a atuação da milícia do estado para neutralizar a situação. Em 4 de setembro de 1903, quase 1.000 milicianos entraram no Condado de Teller e imediatamente estabeleceram lei marcial.

Em 6 de junho de 1904, após nove meses de greve, alguém dinamitou a estação ferroviária de independência (Independence Railway Station) perto de Victor, Colorado, matando 13 mineiros não sindicalizados. O xerife do condado Henry Robertson se tornou um alvo da Associação dos proprietários de Minas de Cripple Creek e de seus aliados da Aliança dos Cidadãos (Citizens' Alliance) e foi forçado a renunciar sob a ameaça de suspensão.[3] Os proprietários de minas usaram a força para assumir o periódico Victor Record, que era largamente usado pelos sindicatos e capturaram grevistas, que foram confinados nas infames "bullpens" (jaulas) ou tomadas sob a guarda de fronteira do Kansas ou locais abandonados. A Guarda Nacional de Colorado fez várias prisões injustificadas de dezenas de mineiros, seus apoiadores e muitas pessoas sem acusações formais, alguns por vários dias. O General-adjunto Sherman Bell da Guarda Nacional do Colorado disse sobre soltar mineiros, "Habeas-corpus, inferno! Daremos em post mortem".[4] Com o apoio da milícia do Estado, os proprietários recuperaram o controle das minas, e na metade do verão, a greve foi dissolvida (embora ela nunca tenha sido oficialmente finalizada pela Federação). As minas reabriram com mão de obra não sindicalizada e o sindicato perdeu poder significativo em Cripple Creek e no resto do estado.

Um membro da União chamado Harry Orchard mais tarde escreveu uma confissão ao agente da Pinkerton (polícia investigativa) James McParland que tinha cometido o ataque na estação de independência. Ele também admitiu que servia como um informante pago para a associação dos proprietários[5] e confessou ter cometido inúmeros outros crimes.

Disputa pela reeleição[editar | editar código-fonte]

Peabody tentou disputar outro mandato em 1904, mas foi desvalorizado pelos seus adversários, que declararam que "qualquer um, menos Peabody!" e percebiam que ele estava em conluio com os proprietários de minas. O adversário de Peabody, o democrata Alva Adams, atacou mostrando suas intervenções na greve de Cripple Creek e insistiu que ele poderia manipular viciosamente a "guerra tarifária industrial" do Colorado. Após a eleição, aparentemente Adams havia ganho, mas os republicanos, que ainda controlavam o legislativo estadual, insistiam que a fraude significativa e a corrupção conspiraram para roubar a eleição de Peabody (na realidade, ambos os lados cometeram grandes violações da lei eleitoral). No dia que Adams tomou posse (17 de março de 1905), o legislativo que ainda era controlado pelos republicanos, votou para removê-lo do cargo e reinstalar Peabody, na condição de Peabody imediatamente demitir-se.[6] Ele fez isso, e no final do dia foi o vice-governador de Peabody, Jesse McDonald, que ocupou a sede do governo em Denver, tornando Colorado o único Estado a ter três diferentes governadores (Adams, Peabody, McDonald ' s) no mesmo dia.

Morte[editar | editar código-fonte]

Após sua "vitória" e "demissão", Peabody retornou à Cañon City e retirou-se à vida privada na "Mansão Peabody" construída pelo seu sogro e antigo empregador de James Clelland. Lá, ele dedicou seu tempo para cuidar de seus vários interesses financeiros. Em grande parte desapareceu dos olhos do público e morreu em 23 de novembro de 1917. Ele está enterrado em Cañon City.

Referências

  1. a b c http://www.colorado.gov/dpa/doit/archives/govs/peabody.html#biog Online Biography by James O. Chipman
  2. Fremont County official website
  3. The Western History and Genealogy section of the Denver Public Library has an online photograph, copyright © 1995-2007 by the Denver Public Library, Colorado Historical Society, and the Denver Art Museum, provided with the caption, "Colorado National Guard soldiers lynch labor sympathizer – Colorado National Guard soldiers prepare to lynch a man during a labor strike in Cripple Creek, Colorado. The soldiers are positioned throughout the room and many hold rifles with bayonets. One National Guardsman holds the end of a rope that is slung over a light fixture and knotted around a man's neck. The victim may be Sheriff Henry Robertson. He stands on a chair with his hands behind his back. Chairs are scattered throughout the room. Date [1904]." [1], retrieved February 25, 2009.
  4. Carlson, Peter (1983). Roughneck: The Life and Times of Big Bill Haywood. W. W. Norton. ISBN 0-393-01621-8., p. 62
  5. Roughneck, The Life and Times of Big Bill Haywood, Peter Carlson, 1983, page 119.
  6. Resignation (pdf)

Fonte da tradução[editar | editar código-fonte]

Cargos políticos


Precedido por
James Bradley Orman
Governador do Colorado
1903 - 1905
Sucedido por
Alva Adams
Precedido por
Alva Adams
Governador do Colorado
1905
Sucedido por
Jesse Fuller McDonald