Jandaia-de-testa-vermelha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaJandaia-de-testa-vermelha
Aratinga auricapilla no Zoológico de Wrocław, na Polônia

Aratinga auricapilla no Zoológico de Wrocław, na Polônia
Estado de conservação
Status iucn3.1 NT pt.svg
Quase ameaçada (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Psittaciformes
Família: Psittacidae
Género: Aratinga
Espécie: A. auricapilla
Nome binomial
Aratinga auricapilla
(Kuhl, 1820)
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Jandaia-de-testa-vermelha
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Jandaia-de-testa-vermelha

Aratinga auricapilla (Kuhl), conhecido popularmente como jubacanga, ajurujubacanga[1] e jandaia-de-testa-vermelha, é uma ave psitacídea do Brasil.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Verde-escura, somente com a parte anterior da cabeça e abdômen lavados de vermelho. Sofrem com a captura destinada ao comércio ilegal de animais silvestres. Não possuem diferenças externas aparentes entre machos e fêmeas.

Distribuição e habitat[editar | editar código-fonte]

Vive na beira da mata, habitando da Bahia ao norte do Paraná, Minas Gerais e sul de Goiás.

Dieta[editar | editar código-fonte]

Na natureza, comem sementes, castanhas e frutas. Em cativeiro, oferece-se ração comercial, frutas, legumes e vegetais (às vezes, pequenas quantidades de sementes).

Hábitos[editar | editar código-fonte]

Vivem em bandos grandes, compostos de 30 a 40 aves ou mais e dormem coletivamente em variados lugares. Os casais, no entanto, nidificam isoladamente em ocos de pau, paredões de pedra, e também embaixo de telhados de edificações humanas, o que ajuda muito na sua ocupação de espaços urbanos. Mantém-se discretos quando nidificam em habitações, chegando e saindo do ninho silenciosamente e esperando pousados em árvores até que possam voar para o ninho sem serem percebidos. Como a maior parte dos psitacídeos, não coletam materiais para a construção do ninho, colocando e chocando os ovos diretamente sobre o solo do local de nidificação. Podem botar de 3 a 4 ovos, com período de incubação de 24 dias.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.991