Janduís (Rio Grande do Norte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Janduís
"Estrela do Sertão"
Praça e Igreja de Santa Teresinha.

Praça e Igreja de Santa Teresinha.
Bandeira desconhecida
Brasão de Janduís
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 12 de junho
Fundação 1962
Gentílico janduiense
Prefeito(a) Lígia de Souza Félix (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Janduís
Localização de Janduís no Rio Grande do Norte
Janduís está localizado em: Brasil
Janduís
Localização de Janduís no Brasil
06° 00' 57" S 37° 24' 32" O06° 00' 57" S 37° 24' 32" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Oeste Potiguar IBGE/2008 [1]
Microrregião Médio Oeste IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Campo Grande, Messias Targino, Patu e Caraúbas
Distância até a capital 286 km[2]
Características geográficas
Área 304,899 km² [3]
População 5 345 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 17,53 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,615 médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 21 858,787 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 3 925,08 IBGE/2008[6]
Página oficial

Janduís é um município do estado brasileiro do Rio Grande do Norte, localizado no Oeste Potiguar mais precisamente na região do Médio Oeste. A cidade desenvolveu-se no território de uma antiga tribo indígena que tem o nome homônimo da cidade. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano 2008 sua população era estimada em 5.569 habitantes em uma área territorial de 305 km². Distante 286 quilômetros de sua capital, Natal.

Inicialmente habitado pelos índios Janduís, a povoação atual teve início no final do século XIX, com a expansão das fazendas de algodão ao longo da região, com principal destaque ao fundador do município Canuto Gurgel do Amaral. De acordo com o IDEMA, o solo da região é do tipo cambissolo eutrófico. O solo tem aptidão para lavoura, sendo apto para culturas especiais de ciclo longo (algodão arbóreo, feijão, caju e coco). Uma pequena área com aptidão regular para pastagem natural e proteção ambiental.

A cidade possui uma agenda cultural variada, destacando-se os festejos de Santa Teresinha que acontecem durante o final do mês de outubro, a comemoração da semana santa que é considerada uma das maiores do estado, emancipação política, vaquejadas, Movimento Escambo de Teatro Popular, entre outros eventos que atraem turistas de todos os lugares. Graças aos tradicionais grupos de teatro Janduís tornou-se conhecida nacionalmente como "Estrela do Sertão", em homenagem aos grupos de artistas. A cidade é cercada por serras, como a Serra do Pico e Serrote da Nega, que são exploradas turisticamente por jovens e visitantes que costumam acampar no topo das serras.

História[editar | editar código-fonte]

Janduís no fim do século XIX era um vilarejo denominado São Bento Velho, cuja principal atividade econômica era o cultivo do algodão. Próximo do cruzamento de vários caminhos para localidades importantes do Rio Grande do Norte e Paraíba, a fazenda de Vicente Gurgel do Amaral destacava-se dentre as outras da localidade, com a morte do proprietário das terras, a administração passa para um de seus onze filhos, o senhor Canuto Gurgel do Amaral, considerado o fundador de Janduís.

Canuto Gurgel, em pagamento a uma promessa feita a São Bento, construiu a primeira igreja do município em 1912. O fazendeiro também construiu prédios comerciais e instalou a primeira feira em 1926, ganhando rapidamente popularidade na região e promovendo o desenvolvimento do povoado. Todavia, era comum a ocorrência de tumultos e troca de bofetes. Daí o nome de São Bento do Bofete, denominação pela qual a região ficou conhecida por muitos anos. Em 1938, em homenagem ao ditador Getúlio Vargas, São Bento Velho recebeu o nome de "Distrito Getúlio Vargas" e apenas em 1943 passou a ser chamado de Janduís, em homenagem aos índios da região, sendo desmembrado do município de Caraúbas em 1962 através da lei nº 2.746, de 7 de maio de 1962 e instalado em 12 de junho de 1962, e em 23 de agosto de 1962, Janduís teve o seu primeiro prefeito eleito o senhor Miguel Veras Saldanha.

Com um crescente número de devotos em todas as regiões de Janduís, Santa Teresinha, tornou-se a padroeira oficial do município, tendo atualmente uma das maiores e mais tradicionais festas religiosas do Rio Grande do Norte, contudo, São Bento continua com vários devotos na cidade, estando ao lado de Santa Teresinha na procissão de outubro. Em 2007 começou a ser erguida no conjunto Verde Teto uma Igreja em homenagem a São Bento, sendo a primeira festa em Julho de 2008, com Santa Teresinha ao lado do co-padroeiro de Janduís durante toda festa, representando a união dos santos padroeiros do município para abençoar os milhares de devotos de Santa Teresinha e São Bento em Janduís.

Hino[editar | editar código-fonte]

O Hino do Município de Janduís é uma manifestação poética do Professor Aluízio Gurgel que no início dos anos 1950 descreveu as lindas fazendas e o algodão responsável pela riqueza da região. O valor do povo janduiense, a alegria de gerar filhos ilustres e representativos faz com que se cante um povo soberano que traz para o Brasil esperança e amor.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Vista a partir da Serra do Pico.

Janduís está localizada no Médio-Oeste Potiguar, tendo o Rio Adquinhon ou Rio das Croas papel importante em sua configuração. A cidade tem a altitude média entre 200 a 400 metros. O ponto culminante do município é a Serra do Pico. O clima é semi-árido, atingindo temperaturas superiores a 35°C. As chuvas, irregulares, oscilam entre janeiro a junho, a precipitação anual média é de 569,5 mm, concentrados principalmente no verão. O município tem também um dos maiores índices de insolação do Rio Grande do Norte.

A cidade ocupa uma área de 351,1 km², localiza-se a 06° 00' 57" de longitude oeste do Meridiano de Greenwich e a 37° 24' 32" de latitude sul da Linha do Equador, fazendo fronteiras com os municípios de Campo Grande ao norte e leste, Messias Targino ao sul, Caraúbas ao norte e Patu ao oeste. O Município está situado em área de abrangência das rochas metamórficas, os minerais mais comuns são o calcário cristalino, mármore, Chelita, rocha ornamental, entre outros.

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • São Bento
  • Onésimo Maia
  • 12 de Junho

Principais sítios[editar | editar código-fonte]

  • Pinturas
  • São Bento
  • Clarão
  • Riacho de Santana
  • Humaitá
  • Valência
  • Guarani
  • Mulungu
  • Mulunguzinho
  • Santa Rosa
  • Riacho do Compadre
  • Cabral
  • Livramento
  • Divisão
  • Lanchinhas
  • Quintão
  • Brasília
  • Santarém
  • Alegre
  • Poço da Forquilha
  • Riacho da Serra
  • Arrimo
  • Amparo
  • Reforma
  • Riacho da Serra
  • Retiro
  • Morada Nova
  • Bela Vista
  • Gado Bravo
  • Verruma
  • Permissão.

Localização[editar | editar código-fonte]

Distâncias entre Janduís e algumas cidades:

Turismo[editar | editar código-fonte]

O banho de açude do Livramento é um dos pontos turísticos mais visitados durante o período de inverno no município de Janduís. O açude fica as margens da BR-226, a cerca de 5 km da sede do Município.

O Módulo Esportivo é destinado como um lugar para as praticas esportivas, recreação e lazer. Conta com um moderno ginásio coberto, quadras de esporte e campo de futebol, onde acontece os principais jogos dos times da cidade como o Janduís FC.

No tocante as festas dançantes e eventos sócio-culturais, os principais clubes do município são: A Casa da Música e Ponto Frio, que levam para Janduís atrações regionais e nacionais.

A Praça Santa Terezinha é um local de encontro do município durante a noite e onde acontece os principais eventos da cidade. A praça fica em frente a Igreja Matriz, sendo considerada uma das mais belas do estado por sua arquitetura e arborização.

Turismo ecológico[editar | editar código-fonte]

Vista panorâmica da zona rural de Janduís.

O fim de tarde em Janduís depois de um dia de muito calor faz da paisagem do semi-árido um dia perfeito ao entardecer. O Pôr-do-Sol em Janduís fica na memória de quem tem o prazer de vê-lo anoitecer.

Recentemente, um grupo de estudantes (que nesse ano de 2009, cursam o 9º Ano na Escola Municipal Profº Aluízio Gurgel) encontraram inscrições rupestres na localidade conhecida como “Pedra da Biluqueza”, um forte atrativo para a exploração de um turismo de conhecimento ecológico. Do imaginário popular nascem as lendas da “Oiticica do Bode”, no caminho da cacimba que abastecia a cidade; e do “Serrote da Negra”, que conta a história de uma antiga escrava que morava numa Casa de Pedras e se transformou em serpente.

Emancipação política[editar | editar código-fonte]

Inauguração de um Jardim escolar durante a festa de Emancipação em 2008.

A programação de Emancipação Política de Janduís, é comemorada dia 12 de junho e tem atividades de 1 de junho até o dia 29. Logo nos primeiros dias, a cidade tem atividades de teatro, dança, capoeira, poesia, música, gincanas, argolinha, feira de São Bento, concursos, quadrilhas e muita agitação. Nos dias 12, 13 e 29 de junho, a cidade tem grandes bandas em praça pública para divertir a juventude e toda a comunidade.

Dia 12 de junho acontece a tradicional Corrida de Argolinha onde Janduís, é uma das poucas cidades que ainda preserva essa modalidade que surgiu na Europa. Desde a década de 70 que Narciso de Souza e o saudoso Geodete de Souza, realizavam a brincadeira para animar a cidade com a presença de muitos cavaleiros de Janduís e das cidades vizinhas que chegam para abrilhantar a festa milenar.

Festa de São Bento[editar | editar código-fonte]

Foto da I festa de São Bento de Janduís.

A comunidade católica de Janduís celebra entre os dias 9 a 12 do mês de julho a Festa de São Bento. O evento é realizado na capela do conjunto Verde Teto no bairro homônimo ao santo padroeiro. A procissão de abertura leva as imagens de São Bento e Santa Teresinha até a capela. A programação inclui a Noite dos Idosos, dos Artistas da Terra e dos Janduienses Ausentes. Paralelo às celebrações religiosas acontecem atrações musicais locais, forró pé de serra e apresentações de grupos culturais de Janduís. A Festa de São Bento representa um resgate da história do Município e a confirmação da fé dos janduienses nos seus padroeiros locais. São Bento é considerado o primeiro padroeiro da localidade, bem antes da Emancipação Política de Janduís. Nada oficial, pois a padroeira de Janduís é Santa Teresinha, que tem sua festa comemorada no mês de outubro.

Festa da Padroeira Santa Teresinha[editar | editar código-fonte]

Procissão de Santa Teresinha em 2007.

A grande festa de Janduis é a Festa de Santa Teresinha, que dura vários dias e atinge seu ponto máximo no último domingo de outubro, quando a cidade é agitada, logo nas primeiras horas da manhã, pela banda de música municipal que percorre as suas ruas principais tocando músicas tradicionais. O evento religioso têm grande participação popular, com a presença da comunidade local e de janduienses que moram em outras cidades do Rio Grande do Norte, estados da federação e até representantes de outros países. Paralelo a programação religiosa, após as celebrações na Igreja de Santa Teresinha, a população participa de várias programações temáticas.

Na Noite dos Idosos, é escolhida A Mais Bela Voz entre os idosos de Janduís, enquanto a Noite da Educação e das Crianças têm grande participação de pais, professores e alunos com apresentações culturais e musicais, trazendo o que há de melhor na cultura janduiense para o palco principal da festa da padroeira. No último domingo da festa às 10 horas é celebrada uma missa na Paróquia de Santa Teresinha no centro da cidade, à tarde, é realizada a procissão. Aos participantes da festa, é oferecida uma infra-estrutura com barracas de comidas e bebidas regionais, além de diversões como bingos e leilões. E, finalmente, uma grandiosa festa popular completa as festividades.

Eventos importantes[editar | editar código-fonte]

Nome do evento Quando acontece
Janduís Fest Janeiro
Guerrilha Cultural Março
Semana Santa Evento móvel
Sarau Poético Março
Emancipação Política Junho
Corrida de Argolinha Junho
Festa de São João e Festa de São Pedro Junho
Festa de São Bento Julho
Festa de Santa Teresinha Outubro
Motocross Outubro
Reveillon Dezembro
Baci-4s.jpg O município possui sítio arqueológico (arte rupestre brasileira) de interesse histórico e turístico mundial!

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. FEMURN. Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN. Página visitada em 18 de março de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 04 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]