Jardim botânico de Palermo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Jardim Botânico de Palermo é uma instituição da Universidade de Palermo com funções didácticas e científicas. É considerado o maior jardim botânico em Itália.

A construção do corpo principal dos edifícios do jardim, em estilo neoclássico, começou em 1789 e terminou em 1795. É constituído por um edifício central, o Gymnasium e por dois corpos laterais, o Tepidarium e o Calidarium, projectados pelo arquitecto francês Léon Dufourny. Os elementos decorativos são devidos a diversos artistas entre os quais o pintor Giuseppe Velasco e os escultores Caspar Firriolo, Domenico Danè e Tuccio.

O jardim está dividido em 4 quadriláteros, dentro dos quais as espécies estão categorizadas de acordo com o sistema de classificação de Carlo Linneo.

A inauguração do jardim deu-se em 1795 e em 1796 foi construído um aquário para cultivar um grande número de plantas aquáticas.

Este jardim está decorado pela Fonte de Paris, de Nunzio Morello (1838), e por duas estátuas dedicadas a Dioscórides e a Theophrastus, por Domenico Danè.

Os enormes Ficus Magnolioides, são um símbolo e uma atracção bem conhecida do actual jardim e foram importados da Austrália, em 1845.

O tamanho actual do jardim, cerca de 10 hectares, foi atingido em 1892 na sequência de sucessivas ampliações.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Jardim botânico de Palermo