Jason Bourne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jason Charles Bourne
Fan-poster de 'O Legado Bourne'.
Língua original Inglês
Nascimento fevereiro de 1980 (34 anos)
Origem Estados Unidos
Primeira aparição The Bourne Imperative (1980)
Última aparição The Bourne Imperative (2012)

Jason Charles Bourne é um personagem fictício e protagonista de uma série de livros escritos por Robert Ludlum, e em adaptações cinematográficas posteriores. Ele apareceu pela primeira vez no livro The Bourne Identity (1980), que foi adaptado para a televisão em 1988, interpretando Richard Chamberlain no papel de Bourne. O mesmo livro foi adaptado em 2002 num filme de mesmo nome, e, dessa vez, estrelando Matt Damon no papel principal.

O personagem já apareceu em outros nove romances (os últimos sete foram escritos por Eric Van Lustbader), com o mais recente publicado em 2012. Junto com o primeiro longa-metragem, The Bourne Identity (2002), Jason Bourne também aparece em dois outros filmes: A Supremacia Bourne (2004), e O Ultimato Bourne (2007), ambos com Damon novamente no papel principal. Jeremy Renner estrela o quarto filme da franquia, The Bourne Legacy, lançado em agosto de 2012. Damon declarou em entrevistas que não faria outro filme de Bourne sem Paul Greengrass, que dirigiu a segundo e o terceiro filmes.

Novelas[editar | editar código-fonte]

Escritas por Robert Ludlum[editar | editar código-fonte]

  • The Bourne Identity (1980)
  • The Bourne Supremacy (1986)
  • The Bourne Ultimatum (1990)

Escritas por Eric Van Lustbader[editar | editar código-fonte]

  • The Bourne Legacy (2004)
  • The Bourne Betrayal (2007)
  • The Bourne Sanction (2008)
  • The Bourne Deception (2009)
  • The Bourne Objective (2010)
  • The Bourne Dominion (2011)
  • The Bourne Imperative (2012)

TV[editar | editar código-fonte]

The Bourne Identity[editar | editar código-fonte]

Em 1988, um filme de duas partes feito para a televisão foi ao ar na ABC. Ele estrelou Richard Chamberlain no papel de Jason Bourne, e Jaclyn Smith como Marie St. Jacques. O filme de TV é considerado muito fiel ao romance de Robert Ludlum, tanto no enredo, quanto na interpretação do personagem de Jason Bourne.

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • Filmes com Matt Damon

Recepção[editar | editar código-fonte]

A série de filmes Bourne foi recebida com muito sucesso comercial e de crítica. O Ultimato ganhou três Oscars: Melhor Montagem, Melhor Mixagem de Som e Melhor Edição de Som. A Supremacia e O Ultimato ganharam o Empire Award de Melhor Filme.

Música[editar | editar código-fonte]

A canção "Extreme Ways", do músico Moby, é usada como tema dos créditos-finais de todos os quatro filmes.

Um quinto filme[editar | editar código-fonte]

A Universal Pictures confirmou em entrevista coletiva em Los Angeles, Califórnia, que eles têm planos para lançar mais filmes de Bourne, apesar de O Legado Bourne ter tido críticas mistas por críticos. Em uma entrevista em dezembro 2012, Matt Damon revelou que ele e Paul Greengrass estão interessados ​​em voltar para o próximo filme da série.

Video Games[editar | editar código-fonte]

  • Ludlum, que tinha os direitos para uma franquia de jogos eletrônicos do personagem, vendeu-o à Electronic Arts em 2009. EA planeja fazer vários jogos baseados em Bourne. O primeiro jogo Bourne estaria sendo desenvolvido pela Starbreeze Studios. No entanto, o novo jogo foi arquivado pela própria Starbreeze Studios.

Radical Entertainment teria tentado desenvolver um jogo do personagem intitulado Treadstone, mas foi cancelado mais tarde.

Curiosidade sob o personagem:[editar | editar código-fonte]

Até o presente momento, nem os filmes nem os livros deixam claro o porquê do governo americano querer Jason Bourne morto. Existem diversas teorias, algumas criadas por fãs, de que as tarefas impingidas a Jason foram tão graves que, se viessem a público, poderiam destruir todo o governo; o que indica que eles querem apagar tudo o que corresponde ao seu passado negro. Jason está no centro e é a chave, pois sabe demais. Outros afirmam que ele teve acesso a documentos que "não deveriam existir" e que implica toda a junta governamental; por ultimo uma das teorias é que ele viu a verdade a respeito da morte de JFK. Todas sem qualquer base de comprovaçao