Jawhar as-Siqilli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jawhar ibn Abdallah ou Gawhar as-Siqilli, dito al-Siqilli ("o Siciliano"), al-Rumi ("o Grego"), al-Saqlabi ("o Eslavo"), al-Katib ("o Chanceler") e al-Qaid ("o General"), (em árabe: جوهر الصقلي - início do século X - 1 de fevereiro de 992) [1] foi o mais importante líder militar da história do Califado Fatímida[2] . Ele liderou a conquista do Norte da África[3] e, depois, do Egito; fundou a cidade do Cairo[4] e construiu a grande Mesquita de al-Azhar.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Jawhar era um ghilman (escravo) siciliano de origem grega[5] [6] [7] [8] [9] [10] . Sua família é oriunda do Emirado da Sicília (daí o epíteto الصقلي - o Siciliano) e chegou como escravo no Norte da África. Ele foi vendido ao califa Ismail al-Mansur por conta de sua inteligência e sagacidade. Sob o filho dele, al-Muizz, ele conseguiu sua liberdade, se tornou secretário pessoal do califa e logo, vizir e comandante militar dos fatímidas. Neste papel, ele retomou a expansão do califado e, junto com os ziridas, conquistou Fez, no norte de Marrocos, e avançou em direção ao Atlântico. Apenas as fortalezas de Ceuta e Tânger permaneceram sob controle dos omíadas do Califado de Córdoba.

Após ter assegurado as suas fronteiras ocidentais, as-Siqilli avançou em direção ao Egito e ocupou todo o território à volta do Nilo, então controlado pelos Ikchídidas (regentes em nome dos abássidas de Bagdá), após um cerco em Giza. A conquista foi antecipada por um tratado com o vizir dos Ikchídidas (pelo qual os sunitas teriam liberdade de culto) e, assim, os fatímidas conquistaram a região enfrentando pouca resistência. Depois disso, Jawhar governou o Egito até 972 em nome do califa.

Nesta função, ele fundou a cidade do Cairo em 969, ao norte de al-Fustat, para servir como nova residência dos califas fatímidas[11] e mandou construir a Mesquita de al-Azhar em 970. Embora a Palestina tenha sido ocupada após a conquista do Egito, a Síria resistiu após uma derrota dos fatímidas pelas mãos dos carmatas de Damasco. Porém, quando estes invadiram o Egito, Jawhar os derrotou em 22 de dezembro de 970, ainda que lutas esporádicas tenham continuado até 974. Para assegurar a fronteira meridional do Egito, uma embaixada foi enviada às terras cristãs da Núbia.

Após a mudança do califa para o Cairo, Jawhar caiu em desgraça com al-Muizz. Sob o seu sucessor, al-Aziz (r. 975-996), em cuja ascensão Jawhar teve um importante papel, ele foi reabilitado e se tornou regente novamente até 979. Finalmente, ele terminou em desgraça novamente após uma nova derrota na Síria, perto de Damasco.

O grande general morreu em 1 de fevereiro de 992.

Referências

  1. Monés (1991), p. 494
  2. Saunders, John Joseph. A History of Medieval Islam. [S.l.]: Routledge, 1990. p. 133. ISBN 0415059143
  3. Chodorow, Stanley – Knox, MacGregor – Shirokauer, Conrad – Strayer, Joseph R. – Gatzke, Hans W.. The Mainstream of Civilization. [S.l.]: Harcourt Press, 1994. p. 209. ISBN 0155011979
  4. Fossier, Robert – Sondheimer, Janet – Airlie, Stuart – Marsack, Robyn. The Cambridge illustrated history of the Middle Ages. [S.l.]: Cambridge University Press, 1997. p. 170. ISBN 0521266459
  5. Raymond, André. Cairo. [S.l.]: Harvard University Press, 2000. p. 35. ISBN 0674003160
  6. Khan, H.S.H. Prince Aly S.. The Great Ismaili heroes: contains the life sketches and the works of thirty great Ismaili figures. [S.l.]: H.S.H. Prince Aly S. Khan Cology Religious Night School, 1973. p. 23. OCLC 18340773
  7. Mirza, Nasseh Ahmad. Syrian Ismailism: The Ever Living Line of the Imamate, AD 1100-1260. [S.l.]: Routledge, 1997. p. 110. ISBN 070070504X
  8. Watterson, Barbara. The Egyptians. [S.l.]: Wiley-Blackwell, 1998. p. 257. ISBN 0631211950
  9. Collomb, Rodney. The rise and fall of the Arab Empire and the founding of Western pre-eminence. [S.l.]: Spellmount, 2006. p. 73. ISBN 1862273278
  10. Asante, Molefi K.. Culture and customs of Egypt. [S.l.]: Greenwood Publishing Group, 2002. p. 15. ISBN 0313317402
  11. Irene Beeson (September/October 1969). Cairo, a Millennial 24, 26–30 pp. Saudi Aramco World. Página visitada em 2007-08-09.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • S. H. Prince Aly, S. Khan Colony, Religious Night School, The Great Ismaili Heroes: Contains the Life Sketches and the Works of Thirty Great Ismaili Figures, University of Michigan
  • Monés, H. (1991). "Djawhar al-Siqillī". The Encyclopedia of Islam, New Edition, Volume II: C–G. Leiden and New York: BRILL. 494–495. ISBN 90-04-07026-5 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]