Jean-Marie Lustiger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jean-Marie Lustiger
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo Metropolita de Paris
Lustiger na catedral de Notre Dame, em 15 de agosto de 1988

Título

Cardeal Arcebispo de Paris
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Paris
Predecessor François Marty
Sucessor André Vingt-Trois
Mandato 31 de janeiro de 1981
até 11 de fevereiro de 2005
Ordenação e nomeação
Brasão arquiepiscopal
External Ornaments of a Cardinal Bishop.svg
Dados pessoais
Nascimento Paris
17 de setembro de 1926 (87 anos)
Morte Paris
05 de agosto de 2007 (80 anos)
Nacionalidade França francês
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo
1987

Jean-Marie Cardeal Lustiger (Paris, 17 de setembro de 1926 — Paris, 5 de agosto de 2007) foi um sacerdote católico francês. Serviu como arcebispo de Paris entre janeiro de 1981 a fevereiro de 2005 e foi criado Cardeal da Igreja Católica Romana em 1983.[1]

Notas biográficas[editar | editar código-fonte]

Lustiger nasceu com o nome Aaron Lustiger, filho de Charles e Gisèle Lustiger, família de comerciantes judeus de origem polonesa que se estabelecera na França antes da Primeira Guerra Mundial. Quando os alemães ocuparam a França em 1940, ele foi enviado para a casa de uma família cristã em Orléans. Foi convertido ao catolicismo e recebeu o baptismo a 21 de Agosto de 1940. Os seus pais foram deportados no Holocausto e a sua mãe morreu no campo de extermínio de Auschwitz, seu pai sobreviveu.

Lustiger foi educado na Universidade de Paris (Sorbonne), onde se licenciou em artes, e no Instituto Católico de Paris. Foi ordenado a 17 de abril de 1954. Entre 1954 e 1959 foi um aumônier (capelão) na Universidade de Paris. Entre 1959 e 1969 foi director do Centro Richelieu, que treina capelães da universidade. Entre 1969 e 1979, foi pastor da Igreja de Sainte-Jeanne-de-Chantal, no XVI arrondissement de Paris.

Em Novembro de 1979, Lustiger foi nomeado bispo de Orléans. Em janeiro de 1981, foi promovido à região metropolitana de Paris de onde foi arcebispo até 2005. Foi elevado a cardeal em fevereiro de 1983 com o título de presbítero de "São Marcelino e São Pedro", depois com o de "São Luis dos Franceses", em 1994. Tornou-se membro da Académie Française em 1995.

Em outubro de 2006 o Cardeal Lustiger já havia anunciado aos padres e diáconos da Arquidiocese de Paris que foram acometido de "uma doença grave e que o tratamento havia começado." Em 31 de maio de 2007, sentindo a proximidade da morte, fez uma breve aparição na Academia Francesa para despedir-se dos "Imortais":"Os senhores não voltarão mais a me rever", disse êle. A sua última aparição pública se dera em 26 de janeiro de 2007, para concelebrar na Catedral de Notre-Dame de Paris as exéquias do Abade Pierre.

Faleceu na idade de 80 anos na "Maison Médicale Jeanne-Garnier", estabelecimento de tratamento paliativo administrado pelas "Damas do Calvários", onde dera entrada em 23 de abril de 2007.

Nicolas Sarkozy, presidente da República Francesa, afirmou tratar-se "de uma grande figura da vida espiritual, moral, intelectual e naturalmente religiosa da França".

Recebeu os títulos de Doutor honoris causa das universidades de Melbourne, Augsbourg e Loyola de Chicago.

Família[editar | editar código-fonte]

Era primo do historiador alemão Arno Lustiger.

Obras e trabalhos publicados[editar | editar código-fonte]

  • 1978 Sermons d’un curé de Paris (Fayard)
  • 1981 Pain de vie et peuple de Dieu (Critérion)
  • 1985 Osez croire (Le Centurion)
  • 1985 Osez vivre (Le Centurion)
  • 1986 Premiers pas dans la prière (Nouvelle Cité)
  • 1986 Prenez place au cœur de l’Église (Office chrétien des handicapés)
  • 1987 Six sermons aux élus de la Nation, 1981-1986 (Le Cerf)
  • 1987 Le Choix de Dieu. Entretiens avec Jean-Louis Missika et Dominique Wolton (Le Fallois)
  • 1988 La Messe (Bayard)
  • 1990 Dieu merci, les droits de l’homme (Critérion)
  • 1990 Le Sacrement de l’onction des malades (Le Cerf)
  • 1990 Le Saint-Ayoul de Jeanclos (in collaboration with Alain Peyrefitte) (Fayard)
  • 1991 Nous avons rendez-vous avec l’Europe (Mame)
  • 1991 Dare to rejoice (American compilation) (Our Sunday Visitor)
  • 1992 Petites paroles de nuit de Noël (Le Fallois)
  • 1995 Devenez dignes de la condition humaine (Flammarion)
  • 1997 Le Baptême de votre enfant (Fleurus)
  • 1997 Soyez heureux (Éd. Nil)
  • 1999 Pour l'Europe, un nouvel art de vivre (PUF)
  • 2000 Les prêtres que Dieu donne (Desclée de Brouwer)
  • 2001 Comme Dieu vous aime. Un pèlerinage à Jérusalem, Rome et Lourdes (Parole et silence)
  • 2002 La Promesse (Parole et Silence)
  • 2004 Comment Dieu ouvre la porte de la foi (Desclée de Brouwer)

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Lustiger, Cardinal, juif et fils d'immigré, Robert Serrou, Perrin, 1996, ISBN 2-262-00026-3

Ligações externas[editar | editar código-fonte]