Jean-Pierre Barillet-Deschamps

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jean-Pierre Barillet-Deschamps ( 1824-1873) foi um jardineiro e paisagista francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Parte do parque Monceau, projetado por Barillet-Deschamps

Fillho de jardineiro, tornou-se em 1841 "monitor" de jardinagem, formado na escola de contramestres "La Paternelle" , primeira colônia agrícola penitenciária fundada em Mettray, perto de Tours, em junho de 1839, pelo visconde de Bretignières de Courteilles e Frédéric-Auguste Demetz.

Barillet-Deschamps fundou uma empresa de horticultura em Bordeaux. Foi chamado à Paris pelo prefeito Georges Eugène Haussmann para participar, sob a direção do engenheiro Jean-Charles Alphand , e com o título de jardineiro-chefe do "Serviço dos Passeios e Plantações da Cidade de Paris", para modificar o paisagismo da capital francesa. Este projeto contava com a participação de profissionais de alto nível como Victor Baltard, Gabriel Davioud, Jacques Hittorff e outros. Barillet-Deschamps redesenhou o bosque de Bolonha e o Bosque de Vincennes, e mais tarde criou o jardim de Luxemburgo, o parque Monceau, o parque dos Buttes-Chaumont e o parque Montsouris. Em Lille projetou o jardim Vauban, e em Roubaix o parque Barbieux.

Criou a "Casa do Arquiteto Paisagista", abriu um viveiro e um jardim em La Muette, e iniciou uma carreira internacional: foi chamado para trabalhar em Marselha, em Hyères, em Milão, em Turim, na Bélgica, na Áustria, na Prússia e no Cairo. Voltou em 1870 e trabalhou até 1875, data em que contraiu uma doença pulmonar que o matou com cinqüenta anos de idade.

Sua obra inaugurou um tipo de jardim que foi inspirado nos jardins ingleses, com gramados ondulados e com jardins e lagos sinuosos. A riqueza e o exotismo da decoração vegetal e do mobiliário confirmam a modernidade e a prosperidade do Segundo Império Francês. Barillet-Deschamps foi muitas vezes acusado pela repetição de estilo, algumas vezes qualificado como eclético, outras por descaracterizar o estilo jardim inglês, e por não levar em conta as particularidades locais. No entanto, a obra de Barillet-Deschamps na França e no exterior, que serviu de modelo e às vezes de contra-modelo, caracterizou a arte dos jardins do século XIX e imprimiu a sua marca século XX.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Luisa Limido, L’Art des jardins sous le Second Empire. Jean-Pierre Barillet-Deschamps (1873-1924).
  • Luisa Limido, . « The Squares Created by Jean-Pierre Barillet-Deschamps in Turin. A Study Based on the Correspondance Between the French Landscape Architect and the Mayor of the City in the Years Between 1860 and 1864 », Journal of Garden History, vol. 17, n° 2, abril-junho 1997, Londres, Washington DC, 1997.