Jean Monier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A morte de Adonis, de Jean Monier, no château de Cheverny.
Danae

Jean Monier ou Mosnier (Blois, 1600 - 1636), foi um pintor francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

De família de pintores de vitrais, Monier foi discípulo de seu pai, Jean Monier, e desde 1617 já gozava de certa reputação.[1]

A rainha Maria de Médici, quando esteve exilada em sua vila natal, ganhou uma pintura de Andrea Solari, conhecida como a Madonna da Almofada Verde, encomendou uma cópia a Monier que então presenteou a Cordeliers para substituir a original. A monarca ficou tão satisfeita com seu trabalho que concedeu-lhe uma pensão, e esta permitiu-lhe ir a Roma, onde ficou por oito anos e tornou-se amigo de le Poussin.[1]

Após seu retorno à França em 1623, realizou alguns vitrais para igrejas parisienses, e uma encomenda da rainha-mãe de catorze quadros para o Palácio de Luxemburgo. Duas dessas composições ainda existem. Após algumas disputas por este trabalho, retirou-se inicialmente para Chartres e em seguida para sua cidade natal, de onde não mais saiu. Realizou ainda trabalhos que figuram em Tours, Nogent-le-Rotrou, Saumur e outros.[1]

O pintor Pierre Mosnier, primeiro ganhador do prix de Rome de pintura, era seu irmão.[1]

Referências

  1. a b c d Émile Bellier de la Chavignerie, Louis Auvray, Dictionnaire général des artistes de l'école française, Paris, Renouard, 1882-1885, p. 132

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.