Jean Talon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jean Talon, intendente da justiça, polícia e finanças no Canadá, Acádia, Terra-Nova, e outros países da França setentrional.
Jean Talon, estátua da fachada do Prédio do Parlamento de Québec.

Jean Talon nasceu em 8 de janeiro de 1626 em Châlons-en-Champagne, filho de Philippe Talon e Anne Bury. Reconhecido principalmente como sendo o primeiro intendente (governador) da Nova França[1] . Em sua chegada à Nova França foram-lhe concedidos títulos como Barão de îlets e de Conde de Orsainville.

Como intendente em dois mandatos (1665-1668 e 1670-1672), tentou diversificar a economia da colônia encorajando atividades como agricultura, pesca, exploração florestal e a indústria, bem como o tradicional comércio de peles. Visionário, encorajou a autosuficência da colônia. Gaba-se, ao final de seu mandato, de poder vestir-se da cabeça aos pés de produtos fabricados na Nova França. Foi o primeiro a encorajar a cultura do lúpulo e da cevada e cria a primeira cervejaria comercial da Nova França. Porém sua empreitada não teve sucesso. Recomendou a vinda das filles du Roi para acelerar o povoamento da colônia e reequilibrar a diferença numérica entre homens e mulheres. Seu plano de povomento, com as filles du Roi permitiu triplicar a população em apenas quinze anos. Fez também o primeiro recenseamento da colônia em 1666, que contava à época 3215 habitantes.

Ele aprovou o projeto de Robert Cavelier de La Salle de fazer expedições rumo ao oeste para procurar uma passagem à China. Jean Talon trabalhou também em estreita colaboração com o Governador da Nova França Alexandre de Prouville de Tracy para obter a capitulação dos Iroquois em 1667, pondo assim fim à ameaça que pesou sobre a colônia por mais de 20 anos. Mesmo não tendo se juntado às tropas no local do combate a pedido de Tracy, Talon teve um grande mérito no sucesso dos franceses, pelo intermédio de seus constantes e meticulosos cuidados de por a disposição do exército tudo aquilo que fosse necessário para a guerra, apesar da pobreza da colônia, da falta de recursos, das estradas e das distâncias.

Falece em 23 de novembro de 1694 em Paris e sepultado em 3 de outubro de 1695 em Châlons-en-Champagne, sua terra natal[2] . Deixa sua fortuna e bens a seus sobrinhos, pois mesmo havendo incentivado casamentos para povoar a Nova França, ele mesmo fica solteiro até sua morte.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Louis Robert, que havia sido nomeado intendente antes de Talon, jamais chegou à Nova França.
  2. Jean-Paul Barbier Des Châlonnais célèbres, illustres et mémorables, 2000. Existe ainda na igreja Notre-Dame-en-Vaux um fragmento de seu túmulo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • André Vachon, « TALON, JEAN », dans Dictionnaire biographique du Canada en ligne, 2000
  • Réjeanne Bissonnette, Jean Talon et la Nouvelle-France, Société canadienne du livre, 1985, 83 p.
  • Roland Lamontagne, Succès d’intendance de Talon, Montréal : Leméac, 1964, 78 p.
  • Roland Lamontagne, Jean Talon et la colonisation de la Nouvelle-France, Université de Montréal, 1953, 416 p.
  • (em inglês) Thomas Chapais, The Great Intendant: A Chronicle of Jean Talon in Canada, 1665-1672, Toronto : Glasgow, Brook, 1914, 139 p. (en ligne)
  • Thomas Chapais, Jean Talon: intendant de la Nouvelle-France (1665-1672), Québec : Impr. de S.-A. Demers, 1904, 540 p. (en ligne)


Ligações externas[editar | editar código-fonte]