Jean Vincent Félix Lamouroux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jean Vincent Félix Lamouroux

Jean Vincent Félix Lamouroux (Agen, 3 de maio de 1779Caen, 26 de março de 1825) foi um biólogo francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai, Claude Lamouroux (1740-1820), era um fabricante de telas, músico, e também Presidente da Câmara Municipal de Agen entre 1791 e 1792. Fundou com Lacepède, Jean-Gérard Lacuée, futuro Conde de Cessac (1752-1841) e Jean Florimond Boudon de Santo-Amans (1748-1831), a "Sociedade Acadêmica de Agen".

Jean-Vincent frequentou os cursos de botânica de Boudon de Saint-Amans na Escola Central de Agen.

Lamouroux interessou-se especialmente pelos organismos marinhos ( algas, Hydrozoas...). A partir de 1805, publicou a obra Dissertation sur plusieurs espèces de Fucus, antes de vir instalar-se em Paris, após a falência da fábrica de telas indianas de seu pai.

Foi nomeado em 1807 correspondente da Academia das Ciências da França. Em 1808, assumiu o cargo de professor-assistente de história natural na Academia de Caen e, em 1811, a cátedra de professor. Participou do desenvolvimento da Sociedade linneana de Calvados , organização que participavam seus amigos Jean-Baptiste Bory de Saint-Vincent (1778-1846), Dr. Jacques-Amand Eudes-Deslongchamps (1794-1867), Dominique François Delise (1780-1841) e Sébastien René Lenormand (1796-1871). Assumiu também a direção do jardim botânico da cidade.

Contribuiu para numerosos artigos nos "Annales générales des sciences physiques" (1819-1821) e para o Dictionnaire classique d'histoire naturelle (1822-1831) aplicado na obra de Bory de Saint-Vincent, também nativo de Agen.

Em 1813, organizou a classificação das algas, trabalho que o ficologista inglês Dawson Turner (1775-1858), sogro do botânico William Jackson Hooker (1785-1865), adotou e considerou como engenhoso, por dar uma compreensão global do assunto. Deve-se à Jean Vincent Lamouroux a distinção entre algas verdes, marrons e vermelhas.

Em biologia marinha, interessou-se também pelos organismos dos animais fixos :

  • Classification des polypiers coralligènes flexibles, vulgairement nommé zoophytes (1816) Caen.
  • Exposition méthodique des genres de l'ordre des polypiers (1821) Paris.

Publicou, em 1821, o "Résumé d’un cours élémentaire de géographie physique" onde expõem as base da aerografia, da hidrografia , da astronomia e da geognosia.

Lamouroux dedicou-se também pelo estudo dos répteis: descobriu com os seus alunos fósseis destes animais na Normandia, imprimindo um trabalho sobre o assunto.

Em 1822, Jules Dumont d'Urville (1790-1842) prepara uma expedição ao redor do mundo à bordo Coquille, e pede a Lamouroux o seu apoio para descrever as amostras de pólipos que trará desta expedição.

Lamouroux, pelas suas qualidades científicas, influencia o seu aluno e amigo Arcisse de Caumont (1801-1873), futuro fundador da “Sociedade francesa de arqueologia”, à se tornar seu sucessor no posto de professor em Caen.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Hervé FERRIERE, "Bory de Saint-Vincent (1778-1846), essai biographique", tese Paris-1, 2006.
  • Philippe LAUZUN, "Les Lamouroux, une famille agenaise", Agen, Imp. Lamy, 1893



Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.