Jerry Iger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jerry Iger
Samuel Maxwell Iger
Jerry Iger.jpg

Nascimento 22 de Agosto de 1903
Local Idabel, Oklahoma
Morte 5 de setembro de 1990 (87 anos)
Local Nova Iorque
Nacionalidade estadunidense
Área(s) de atuação Desenhista
Editor
Trabalhos de destaque Estúdio Eisner & Iger

Samuel Maxwell "Jerry" Iger (22 de agosto de 1903 – 5 de setembro de 1990)[1] foi um desenhista e cartunista estadunidense. Foi sócio comercial de Will Eisner com quem fundou o Eisner & Iger, um estúdio de quadrinhos que produziu por encomenda para novos editores durante o final da década de 1930 e 1940, período conhecido pelos fãs e pesquisadores como Era de Ouro das histórias em quadrinhos.

Iger não possui parentesco com o editor de quadrinhos Fred Iger. Iger foi indicado ao Hall da Fama Will Eisner em 2009.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos e carreira[editar | editar código-fonte]

Jerry Iger nasceu em Idabel, Oklahoma, próximo da Reserva Índia Choctaw[2] . Era o mais novo dos quatro filhos de um mascate australiano que se fixou no então Território Indígena. Iger contraiu poliomielite quando criança e foi tratado pela sua mãe, Rosa.[3] Iger tinha duas irmãs [4] e um irmão, Joe, cujo filho seria Arthur Iger (nascido em 1926)[5] que seria o pai do presidente e CEO da Walt Disney Pictures Robert Iger.[6] Arthur, em meados dos anos de 1970, era o vice-presidente e editor da divisão educacional da Macmillan Publishing em Nova Iorque.[7]

Em 1925, Iger morava em Nova Iorque e sem ter formação artística se tornou um cartunista do jornal New York American.[8] Ele começaria nos quadrinhos 10 anos depois, contribuindo com tiras de humor de 1 página de "Bobby" (baseado no sobrinho Arthur),[2] "Peewee" e "Happy Daze" para Famous Funnies, uma das revistas em quadrinhos seminais dos Estados Unidos que republicava tiras coloridas das originais em preto e branco dos jornais. Iger mais tarde foi o editor fundador de outra revista em histórias em quadrinhos americana pioneira, Wow, What a Magazine!, que incluia também material inédito. As últimas quatro revistas Wow (datas de capa julho-setembro & novembro de 1936) traziam ao lado de Iger, Will Eisner - o futuro criador de The Spirit - com 19 anos de idade. O jovem ilustrador desenhou e escreveu a tira de aventura de Wow de "Scott Dalton", a tira de piratas "The Flame" e a de espionagem "Harry Karry".[9]

Estúdio de quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Após o encerramento de Wow, Eisner e Iger perceberam que a reprise de tiras de jornal aos poucos decairia e daria espaço para material novo e, no final de 1936 fundaram o Eisner & Iger,[10] um dos primeiros estúdios de quadrinhos por encomenda que "terceirizavam" material para novos editores. Eisner & Iger tiveram sucesso imediato e a dupla se estabeleceu como fornecedores de quadrinhos para a Fox Comics, Fiction House e Quality Comics. Conseguindo um lucro de 1,50 dólares por página, Eisner declarou que "se tornara muito rico antes dos 22 anos de idade",[11] mais tarde esclarecendo que em plena Grande Depressão em 1939, ele e Iger "tinham repartido 25.000 dólares" [12] uma quantia considerável para aquela época.

Após Eisner deixar a firma em 1940, Iger continuou o negócio com o S. M. Iger Studio. Ele também começou o syndicate para jornais Phoenix Features, que no começo dos anos de 1950 distribuiu a tira de Mickey Spillane chamada Mike Hammer.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Iger fechou o estúdio de quadrinhos em 1955 e trabalhou como diretor de arte para a editora Farrell Publications, também conhecida como Ajax-Farrell Publications, até 1957, quando então se mudou para a publicidade. Ele foi o convidado de honra da Convenção de Arte nos Quadrinhos na cidade de Nova Iorque em 1974, quando contou de seus planos para criar um show para destinar dinheiro à pesquisa de câncer, lembrando que sua mãe falecera dessa doença.[13] Nessa época foi morar em Sunnyside, Queens.[7]

Blackthorne Publishing lançou três compilações dos trabalhos de Iger nos quadrinhos: The Iger Comics Kingdom (1985); Jerry Iger's Classic Jumbo Comics e Jerry Iger's Classic National Comics; bem como seis revistas Jerry Iger's Golden Features (1986).

Indicações[editar | editar código-fonte]

Iger foi indicado para Hall da Fama Will Eisner em 2009.[14]

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. Índice do Seguro Social de Óbitos de SSN 095-14-1180.
  2. a b Adelman, Bob. Will Eisner: A Spirited Life (M Press, Milwaukie, Oregon, 2005), ISBN 1-59582-011-6, ISBN 978-1-59582-011-2, p. 351
  3. Adelman, pp. 351–2
  4. Adelman, p. 353
  5. Adelman, p. 352
  6. Adelman, pp. 350–1
  7. a b Adelman, p. 354
  8. Jerry Iger na Lambiek Comiclopedia
  9. Quattro, Ken (2003). Rare Eisner: Making of a Genius Comicartville Library. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2009.
  10. Entrevista de Eisner, Alter Ego número 48 (maio de 2005), p. 7
  11. Mercer, Marilyn, "The Only Real Middle-Class Crimefighter", New York (suplemento dominical, New York Herald Tribune), 9 de janeiro de 1966; republicado em Alter Ego número 48 de maio de 2005
  12. The Spirit: The Origin Years, revista #3 de Kitchen Sink Press, de setembro de 1992}}
  13. Lovece, Frank. "Cons: New York 1974!", The Journal Summer Special, 1974 (fanzine publicado por Paul Kowtiuk, Maple Leaf Publications; editorial office then at Box 1286, Essex, Ontario, Canada N0R 1E0).
  14. 2009 Eisner Award winners Comic-Con.org. Cópia arquivada em 25 de julho de 2011.
Web