Jesus Huerta de Soto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jesus Huerta de Soto
Economia, Economia Política
Nascimento 23 de dezembro de 1956
Local Madrid, Espanha Espanha
Atividade
Campo(s) Economia, Economia Política
Instituições Universidade Complutense de Madri Universidade Rey Juan Carlos


Jesús Huerta de Soto (Madrid, 23 de dezembro de 1956) é um economista da Escola Austríaca e catedrático de economia política da Universidade Rey Juan Carlos de Madri. Obteve títulos de doutor em Direito em 1984, e em Ciências Econômicas e Empresariais em 1992, ambos pela Universidade Complutense de Madri. Fez também MBA na Universidade de Stanford. É professor de Economia Política na Facudade de Direito da Universidade Complutense de Madri desde 1979, atualmente é um catedrático da Facudade de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade Rey Juan Carlos. Em 1983 obteve o Prêmio Extraordinário de Economia Rey Juan Carlos.

Huerta de Soto, além disso pertence ao Instituto Ludwig von Mises, a equipe de direção da Sociedade Mont Pelerin, ao conselho editorial de Quarterly Journal of Austrian Economics e é co-fundador da Sociedade para o Estudo da Ação Humana.

Em fevereiro de 2005 recebeu o Prêmio Adam Smith outorgado anualmente pelo Centro para a Nova Europa (CNE) por sua obra científica de reconhecimento internacional e suas contribuições a teoria austríaca do ciclo econômico em seu livro Dinero, crédito bancario y ciclos económicos (Dinheiro, crédito bancário e ciclos econômicos).

No dia 5 de outubro de 2011 se juntou ao Partido da Liberdade Individual espanhol (Partido de la Libertad Invidual, P-Lib)[1] .

Pensamento[editar | editar código-fonte]

Huerta de Soto é um anarquista de mercado, de tendência anarco-capitalista, e apesar de que até antes de 2000 defendera o liberalismo clássico, atualmente afirma que o anarquismo de qualquer variedade é antagônico ao liberalismo clássico ou minarquismo. Sustenta que apesar das aparências são projetos radicalmente distintos, tanto em seus métodos como objetivos já que o liberalismo clássico preserva o eixo de todos os outros monopólios as liberdades pessoais e econômicas: a força e a lei.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Planes de pensiones privados (Planos de pensão privados)
  • Lecturas de economía política, ed. (3 vols) (Leituras de Economia Política)
  • Socialismo, cálculo económico y función empresarial (Socialismo, cálculo econômico e função empresarial).
  • Estudios de economía política (Estudos de economia política).
  • Dinero, crédito bancario y ciclos económicos (Dinheiro, crédito bancário e ciclos econômicos).
  • La escuela austriaca: mercado y creatividad empresarial (A escola austríaca: mercados e criatividade empresarial).
  • Nuevos estudios de economía política (Novos estudos de economia política).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]