João III Ducas Vatatzes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
João III Ducas Vatatzes
Imperador bizantino
John III Doukas Vatatzes.jpg
Retrato de João III de um manuscrito do século XV
Governo
Reinado 15 de dezembro de 12213 de novembro de 1254
Consorte Irene Lascarina
Ana de Hohenstaufen
Antecessor Teodoro I Láscaris
Sucessor Teodoro II Láscaris
Vida
Nascimento 1192
Morte 3 de novembro de 1254 (62 anos)
Pai Basileios Vatatzes, Duque de Thrace
Mãe Desconhecida

João III Ducas Vatatzes (em grego: Ιωάννης Γ΄ Δούκας Βατάτζης, Iōannēs III Doukas Batatzēs) (11923 de Novembro de 1254), foi imperador bizantino que reinou em Niceia (1221–1254).

Subida ao trono de Niceia[editar | editar código-fonte]

João Ducas Vatatzes era, provavelmente, filho do general Basílio Vatatzes e de uma prima, não identificada, dos imperadores Isaac II Ângelo e Aleixo III Ângelo.

Um soldado com uma carreira brilhante, proveniente de uma família com tradições militares, João foi escolhido pelo imperador Teodoro I Láscaris, em 1212, para marido da sua filha Irene Lascarina, e para herdeiro do trono. Esta decisão afastava da sucessão ao trono imperial no exílio vários membros da família Láscaris, e quando João III Ducas Vatatzes se tornou imperador em meados de Dezembro de 1221, teve de enfrentar diversos opositores ao seu governo. O conflito terminou com uma batalha em 1224, na qual os seus adversários foram derrotados apesar do apoio que o Império Latino de Constantinopla lhes dispensara. A vitória de João III teve como resultado a cedência de territórios pelo Império Latino em 1225, ao que se seguiu uma incursão pelos Gregos na Europa, durante a qual conquistaram [[Adrianópolis].

Confrontos e expansão do Império de Niceia[editar | editar código-fonte]

Andrinopla foi arrebatada a João III por Teodoro I Comneno Ducas, déspota de Épiro e senhor de Tessalónica, que em 1227 repeliu os Bizantinos e anexou boa parte da Trácia. A morte de Teodoro às mãos de João Asen II da Bulgária em 1230 e a consequente derrota dos Epirotas e perturbação política interna do Despotado, pôs fim ao perigo que representava Tessalónica, e João III fez uma aliança com a Bulgária contra o Império Latino. Em 1235, esta aliança teve como efeito a restauração do patriarcado búlgaro e o casamento entre a filha de João II Asen e o filho de João III. Nesse mesmo ano os Búlgaros e os Bizantinos lançaram uma campanha contra o Império Latino, e em 1236 tentaram um cerco a Constantinopla. Detido o ataque diante das ainda inexpugnáveis fortificações da cidade, pouco tempo depois João II passou a praticar uma política ambivalente, tornando-se na prática neutral, e deixando João III politicamente sozinho.

Apesar de alguns reveses frente ao Império Latino em 1240, João III conseguiu tirar partido da morte de João II em 1241 para impôr a soberania bizantina à cidade de Tessalónica em 1242 e à maior parte da Trácia búlgara em 1246. Imediatamente a seguir, João III conseguiu estabelecer um bloqueio eficaz a Constantinopla, e os últimos anos do seu reinado assistiram ao alargar da extensão do poderio Bizantino no Ocidente, onde João III se esforçou por conter a expansão do Despotado do Épiro.

João III Ducas Vatatzes foi um governante eficaz que estabeleceu firmemente as bases para a reconquista de Constantinopla. Conseguiu manter e gerir boas relações com os seus vizinhos mais poderosos, a Bulgária e o Sultanato de Rum, e a sua rede de relações diplomáticas estendia-se ao Sacro Império Romano-Germânico e à Santa Sé, seladas pelo seu segundo casamento com Ana de Hohenstaufen, enquanto que os seus exércitos incorporavam mercenários franceses.

A expansão do Império de Niceia pela Europa durante o reinado de João III incluiu não só a Trácia e a Macedónia como também as ilhas do Mar Egeu e a importante ilha de Rodes. Para mais, a João III são reconhecidos os méritos de ter desenvolvido cuidadosamente a economia e a prosperidade do seu império, bem como a aplicação da justiça. Apesar de sofrer de epilepsia, João III foi um comandante activo e presente tanto em tempo de paz quanto de guerra, e foi canonizado pouco depois da sua morte, com o nome de João, o Misericordioso.

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

João III Ducas Vatatzes casou em primeiras núpcias em 1212 com Irene Lascarina, filha do seu antecessor Teodoro I Láscaris que fundara o Império de Niceia, de quem teve um único filho, o seu sucessor Teodoro II Ducas Láscaris. Irene, na sequência de uma queda de cavalo, terá ficado incapacitada para ter mais filhos, retirando-se para um convento onde morreria em 1239 sob o nome monástico de Eugénia. João III casou em segundas núpcias com Ana de Hohenstaufen, filha ilegítima de Frederico II, Sacro Imperador Romano-Germânico e da sua amante Bianca Lancia. Não tiveram descendência.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • The Oxford Dictionary of Byzantium, Oxford University Press, 1991.
  • John V.A. Fine Jr., The Late Medieval Balkans, Ann Arbor, 1987.
  • The Batatzes family , Consultado em 17 de janeiro de 2009.
  • Ostrogorski, G. History of the Byzantine State, Rutgers University Press (1969)
Precedido por
Teodoro I Láscaris
Imperador de Niceia
1222 - 1254
Sucedido por
Teodoro II Láscaris