João de Tella

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

João de Tella (João Bar Qursos; 483-538) foi um monge e bispo de Oriente Próximo. João foi um dos principais proponentes do moderado monofisismo.[1] Apesar de sua língua nativa ser a siríaca, estudo grego, a fim de servir a administração bizantina. João era um nativo de Callincius. Ele foi influenciado para se tornar um monge lendo Atos de Paulo e Tecla.[2] Mais tarde estudou no mosteiro fundado por Gregório de Nazianzo.

João serviu desde 519 como bispo de Tella que está perto da moderna cidade de Alepo. Ele também chegou até nós como um adversário de ineptos, homens ricos ganhando ofícios sacerdotais por meio de subornos.[3] Em 521 João renunciou seu cargo de bispo para que ele pudesse seguir sua vida ascética.[4] Ainda assim a sua contribuição mais duradoura foi a ordenação de muitos sacerdotes e bispos, em oposição aos movimentos calcedonianos, no intervalo entre um cisma completo entre eles e os monofisistas.[5] Em 533 foi convocado à Constantinopla para participar de uma disputa de caráter cristológico, tendo ele posteriormente sofrido com a violência do rigoroso partido ortodoxo da Síria que reagiu de modo sangrento aos monofisistas durante sua ascendência. Durante o reinado de Justiniano I (527-565) uma nova política, em conformidade com os princípios do papa Leão I (440-461), João foi capturado e assassinado em Antioquia.[1]

Referências

  1. a b John Bar Qursos (em inglês). Página visitada em 29-09-2012.
  2. BURRIS & VAN ROMPAY: Thecla in Syriac Christianity (em inglês). Página visitada em 29-09-2012.
  3. MENZE: Priests, Laity and the Sacrament of the Eucharist in sixth century Syria (em inglês). Página visitada em 29-09-2012.
  4. Maas 2005, p. 243
  5. Irvin 2001, p. 241

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Irvin, Dale T.. History of the World Christian Movement: Volume 1: Earliest Christianity To 1453. [S.l.: s.n.], 2001. ISBN 0-567-08866-9