Jo Schlesser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jo Schlesser
Nome completo Joseph Schlesser
Nacionalidade    França Francês
Data de nascimento 18 de maio de 1928
Data de falecimento    7 de julho de 1968 (40 anos)
Registros na Fórmula 1
Anos 1966-1968
Times Matra e Honda
Campeonatos 0
Pontos 0
Voltas mais rápidas 0
Primeiro GP Alemanha GP da Alemanha, Nürburgring, 1966
Último GP França GP da França, Rouen-Les-Essarts, 1968
GPs Poles Pódios Vitórias
3 0 0 0

Joseph "Jo" Schlesser (Liouville, 18 de maio de 1928 - Rouen-Les-Essarts, 7 de julho de 1968) foi um piloto de Fórmula 1 francês.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Piloto de relativo sucesso na França, Schlesser iniciou a carreira em 1952, ao disputar (e vencer) o Rali da Lorena pilotando um Panhard Dyna.

Em 1953, passou a correr em categorias de monopostos, na Coupe du Paris. No ano seguinte, muda-se para a então colônia de Madagáscar. Retorna à França em 1957, pilotando um Mercedes-Benz 300 SL na corrida de estrada entre as cidades de Roma e Liège. Schlesser competiu por diversas outras modalidades de automobilismo até chegar à F-1, em 1966, já com 38 anos.

Uma curta carreira na F-1[editar | editar código-fonte]

O Honda RA302, carro que Schlesser usou em 1968, seu último ano de carreira - e de vida - na F-1.

Com uma idade muito avançada para os padrões atuais da F-1, Jo Schlesser estrearia na categoria no GP da Alemanha, terminando em décimo lugar. Aquela foi sua única aparição na temporada. Retornou em 1967, novamente para correr na Alemanha, onde abandonou. Ele regressaria ainda em 1968, mas uma tragédia veio a acontecer com o experiente francês.

A tragédia de Rouen-Les-Essarts[editar | editar código-fonte]

Para 1968, a equipe Honda colocaria na pista o RA302, e teria como piloto principal o próprio Jo Schlesser.

Na única corrida que disputou, o GP da França, o RA302 e Schlesser tiveram uma trajetória curta e trágica: o carro roda na curva "Six Frères" e bate lateralmente contra um barranco. Logo em seguida, o monoposto começaria a pegar fogo com Schlesser dentro. Como o RA302 tina um chassis feito a base de magnésio, não poderia ter outra solução: apenas 49 dias após completar 40 anos de idade, Schlesser perderia a vida. A tragédia fez com que a Honda anunciasse sua saída repentina da F-1 como equipe - o retorno aconteceria em 2006.

O corpo de Schlesser está sepultado no cemitério de Malzéville, perto de Nancy.

Homenagens a Schlesser[editar | editar código-fonte]

  • Em homenagem a Schlesser, seu amigo Guy Ligier batizou os carros da equipe que carregava seu sobrenome com as iniciais JS.
  • Vinte anos após a morte de Schlesser, seu sobrinho, Jean-Louis, disputou apenas uma corrida de F-1, em Monza, em 1988, se destacando nos anos seguintes competindo no Rali Dacar.
Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.