Joachim Gauck

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joachim Gauck
Primeiro-ministro
Mandato 19 de março de 2012[1]
a atualidade
Primeiro-ministro Angela Merkel
Antecessor(a) Christian Wulff
Comissário Federal para os arquivos da Stasi da  Alemanha
Mandato 4 de outubro de 1990
a 10 de outubro de 2000
Sucessor(a) Marianne Birthler
Membro da Volkskammer da  Alemanha Oriental
Mandato 18 de março de 1990
a 3 de outubro de 1990
Vida
Nascimento 24 de Janeiro de 1940 (74 anos)
Rostock,  Alemanha
Dados pessoais
Alma mater Universidade de Rostock
Cônjuge Gerhild Gauck (1959-1991)
Daniela Schadt (2000-presente)
Partido independente
Religião Luteranismo
Profissão Pastor luterano
Residência Palácio de Bellevue, Berlim
Assinatura Assinatura de Joachim Gauck

Joachim Gauck (Rostock, 24 de janeiro de 1940) é o 11º presidente da Alemanha.

Ex-pastor luterano, enquanto cidadão da então República Democrática Alemã (RDA), teve um papel activo no processo da reunificação alemã. Gauck foi uma figura central em protestos pacíficos que levaram à queda do muro de Berlim em 1990. Desde então tem sido político sem partido e publicista, tendo um papel de relevo enquanto gestor do arquivo deixado pela Stasi, a polícia política da RDA.

Em 2010 foi candidato a presidente da Alemanha, tendo perdido por poucos votos para Christian Wulff. Dois dias depois da renúncia deste último, em 19 de fevereiro de 2012, foi escolhido para ser o novo candidato [2] comum à presidência da Alemanha.[3] [4] Em 18 de Março de 2012 foi eleito pela Assembleia Federal [5] , obtendo quase 80% dos votos.

Vida[editar | editar código-fonte]

  • 1940 - Joachim Gauck nasceu em Rostock, filho de um marinheiro.
  • 1951 - O pai foi preso e deportado para a Sibéria. Em 1955, ele foi perdoado e voltou para Rostock.
  • 1958-1965 - Estudou teologia em Rostock.
  • desde 1965 - Atividade na Igreja Evangélica Luterana de Mecklemburgo. Primeiro Gauck trabalhou como capelão. Depois de sua ordenação, foi pastor em Güstrow a partir de 1970, depois colocado na área de desenvolvimento paroquial do bairro Evershagen em Rostock.
  • 1982-1990 - Responsável máximo da Igreja em Mecklemburgo.
  • 1989-1990 - Co-fundador do movimento de protesto pacífico da igreja em Mecklemburgo. Gauck realiza cultos semanais, seguidos por grandes manifestações em sua cidade natal. Membro e presidente do Neues Forum Rostock, uma das novas formações políticas surgidas na RDA.
  • 1990 - Deputado da Volkskammer, o parlamento da RDA que decidiu dissolver este estado

Gestor do arquivo da Stasi[editar | editar código-fonte]

Gauck liderou a Comissão Federal para os arquivos da Stasi, criada para controlar a dissolução da antiga Stasi a partir de 3 de Outubro de 1990. Esta comissão, que passou a ser chamada de Gauck Behörde, administra o legado da Stasi e torna-o acessível e todos os interessados.[6] Após dois mandatos, ele foi substituído em outubro de 2000 por Marianne Birthler nesta função. Desde então, Joachim Gauck está engajado sócio-politicamente com palestras e atividades de mídia, como presidente da associação «Contra o esquecimento - pela democracia».[7] É um dos iniciadores da Declaração de Praga sobre Consciência Europeia e Comunismo em Praga, publicada em 8 de Junho 2008, e da declaração sobre os crimes do comunismo.[8] [9] Gauck tem sido repetidamente homenageado por suas realizações e publicações.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Os meios de comunicação mais importantes, em conjunto com a maioria dos alemães, destacaram o pastor luterano e ativista Joachim Gauck, que durante dez anos dirigiu o desmembramento da Stasi - polícia política da Alemanha de Leste - e a conservação do seu arquivo.[10]

A nomeação de Joachim Gauck e candidatura para o cargo de Presidente da Alemanha em 2010 teve grande apoio geral entre o público e a mídia na Alemanha. Em três rodadas, foi derrotado pelo candidato dos partidos governistas, Christian Wulff.[11] Depois da renúncia de Christian Wulff em 17 de fevereiro de 2012, por causa do seu envolvimento num alegado caso de corrupção, o governo alemão de coligação optou com a oposição em comum para nomeá-lo como candidato a presidente.[12]

Desde a noite do dia 19 de Fevereiro de 2012 ele foi designado presidente da Alemanha.[13] Gauck foi uma figura central em protestos pacíficos que levaram à queda do muro de Berlim e à posterior reunificação da Alemanha em 1990. Depois disso, ele publicou documentos do arquivo do governo que mostravam os crimes da polícia secreta do antigo leste.

Com amplo apoio, a Assembleia Federal (em alemão: Bundesversammlung) confirmou o nome de Joachim Gauck como presidente sem sobressaltos em uma votação no dia 18 de março de 2012, com uma maioria de mais de três quartos dos votos.[14]

Referências

  1. Agência EFE (19 de Março de 2012). Joachim Gauck assume presidência alemã no lugar de Wulff terra.com.br. Página visitada em 21 de Março de 2012.
  2. O partido Die Linke é o único partido com assento no Bundestag que não foi convidado a participar deste consenso
  3. Defensor dos direitos humanos da ex-RDA é novo presidente DN Online, recuperado 20 de Fevereiro 2012
  4. Biografia recuperado 19 de Fevereiro 2012 (de)
  5. A Bundesversammlung, composta pelos 620 deputados federais e por 620 representantes dos Estados, é um órgão cuja única função é a de eleger o presidente federal (Bundespräsident).
  6. Dissolução da Stasi Deutsches Rundfunkarchiv (de)
  7. Pagina oficial "Gegen vergessen - Für Demokratie e.V." recuperado 19 de Fevereiro 2012 (de)
  8. Declaração de Praga – Conferência “Consciência Européia e Comunismo” beinwetter.wordpress.com, 30 de Outubro 2009
  9. Declaração de Praga para a Consciência Européia e o Comunismo recuperado 3 de Junho 2008
  10. DN Online, último parágrafo recuperado 18 de Fevereiro 2012
  11. Ajustada derrota de Joachim Gauck ante Wulff para la Presidencia de Alemania Protestante Digital.com, recuperado 5 de Julho 2010
  12. Merkel apoia eleição de Presidente que rejeitou em 2010 Público Online, recuperado 20 de fevereiro 2012
  13. Joachim Gauck é escolhido para ocupar presidência da Alemanha SRZD Internacional Online, recuperado 20 de Fevereiro 2012
  14. Composição da 15. Assembléia Federal Wahlrechte.de, recuperado 20 de Fevereiro 2012 (de)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Christian Wulff
Presidente da Alemanha
2012 - presente
Sucedido por
Incumbente