Joana Carneiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Joana Maria Amaro da Costa Luz Carneiro (Lisboa, 30 de setembro de 1976) é uma maestrina portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Enveredou pela música, tendo sido nomeada directora musical da Orquestra Sinfónica de Berkeley, em Janeiro de 2009, sucedendo a Kent Nagano. Anteriormente foi maestrina assistente da Filarmónica de Los Angeles, sob a direcção de Esa-Pekka Salonen, entre 2006 e 2008. Ganhou atenção enquanto finalista do Maazel-Vilar Conductor's Competition, no Carnegie Hall, em 2002. No mesmo ano obteve o Young Musician's Foundation's Award, cujos últimos vencedores incluem, entre outros, André Previn, Michael Tilson Thomas e Lucas Richman. Entre 2005 e 2006 foi maestrina convidada principal na Orquestra Metropolitana de Lisboa, de onde saíu para a Orquestra de Música da Gulbenkian, como maestrina regente convidada, até 2007.

Em Janeiro de 2010, dirigiu um produção de Peter Sellars de "Rei Édipo" e "Sinfonia de Salmos", de Stravinsky. Em Dezembro do mesmo ano, conduziu a ópera "Paint Me" de Luís Tinoco e Stephen Plaice, com encenação de Rui Horta, na Culturgest, em Lisboa.

Joana Carneiro é filha de Roberto Carneiro (de ascendência Chinesa Macaense) e de sua mulher Maria do Rosário Carneiro, irmã de Adelino Amaro da Costa.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]