Joana Fomm

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Maio de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Joana Fomm
Nascimento 14 de setembro de 1940 (73 anos)
Belo Horizonte, Minas Gerais
Nacionalidade Brasil Brasileira
Principais trabalhos

Joana Maria Fomm (Belo Horizonte, 14 de setembro de 1940) é uma atriz brasileira.[1] [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Joana Fomm nasceu em Belo Horizonte, mas foi registrada no Rio de Janeiro, tendo sido adotada pelos seus tios, ainda pequena, depois de os seus pais perderem tudo numa enchente. Estreou-se no cinema em 1962, na fita "O Quinto Poder", de Alberto Pieralisi. Na TV, a sua estreia aconteceu dois anos depois, na telenovela "O Desconhecido", exibida na TV Rio e baseada num original de Nelson Rodrigues.

Na década de 60, participou em filmes importantes do cinema brasileiro, como "Todas as Mulheres do Mundo", "O Homem Nu", "Edu Coração de Ouro", "Bebel Garota Propaganda" e "Macunaíma".

O seu primeiro grande papel na televisão foi no início da década de 70, na telenovela "As Bruxas", da TV Tupi, na qual interpretou Sofia. Na TV Tupi participou ainda nas telenovelas "A Fábrica", "Bel-Ami", "Ovelha Negra", "Ídolo de Pano", "A Viagem" e "Papai Coração".

Estreou-se na TV Globo em 1977, na telenovela "Sem Lenço, Sem Documento", exibida às 19h00.

Contudo, foi no papel da vilã Yolanda Pratini, em "Dancin' Days", telenovela de Gilberto Braga exibida em 1978[3] , que Joana Fomm se tornou um nome nacional e uma das atrizes mais requisitadas para as telenovelas. Joana é tida como uma atriz perfeita para interpretar personagens más, arrogantes, frias e calculistas. Além de Yolanda, outro papel dentro deste estilo foi o de Lúcia Gouveia em "Corpo a Corpo" (1984), telenovela também de Gilberto Braga. Interpretou também Fausta, a tia rica, má e preconceituosa, em "Bambolê" (1987), a beata mal-amada Perpétua na telenovela "Tieta" (1989) e a vingativa Eugênia em "As Pupilas do Senhor Reitor" (1995), desta vez no SBT. Participou ainda em outras telenovelas importantes da Rede Globo, tais como: Coração Alado, Brilhante, Elas por Elas, Eu Prometo, Roda de Fogo, Vamp, e Porto dos Milagres.

A partir da década de 90, atuou em filmes importantes como "Quem Matou Pixote?", "Copacabana" (de Carla Camurati) e "Quanto Vale ou é por Quilo?".

Em 2007, chegou a ser convidada por Gilberto Braga para interpretar a personagem Marion Novais, na telenovela "Paraíso Tropical", mas por motivos de saúde foi forçada a deixar o elenco (foi-lhe diagnosticado um câncer da mama[4] , do qual já está curada[5] ), sendo substituída por Vera Holtz. Em 2010 foi convidada, mais uma vez, pelo autor da telenovela Insensato Coração, mas teve novamente que recusar devido a uma disautonomia (doença que afeta o sistema nervoso e que tem comprometido seus movimentos.) [6] Joana Fomm voltará à televisão em 2014, na série Os Experientes, da Rede Globo.[7]

Foi casada com o ator Francisco Milani e com o diretor Astolfo Araújo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]


No cinema[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria (Novela/Filme) Resultado
1968 CANDANGO Melhor Atriz Coadjuvante A Vida Provisória Venceu
1979 APCA Melhor Atriz de Televisão Dancin' Days Venceu
1990 CANDANGO Melhor Atriz Césio 137 - O Pesadelo de Goiânia Venceu
1990 Troféu Imprensa Melhor Atriz Tieta Venceu

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Joana Fomm
Precedida por:
Beatriz Segall
por Vale Tudo
Troféu Imprensa de Melhor Atriz
por Tieta com Tereza Rachel por Que Rei Sou Eu?

1990
Sucedida por:
Jussara Freire
por Pantanal


Referências