Joaquim de Magalhães Cardoso Barata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Joaquim Cardoso Magalhães Barata (Belém, 2 de junho de 188829 de maio de 1959) foi um político brasileiro.

Filho de Antônio Marcelino Cardoso Barata e Gabrina de Magalhães Barata.

Foi interventor federal no Pará, de 12 de novembro de 1930 a 12 de abril de 1935. Saindo de um movimento revolucionário afinal vitorioso, com a renúncia de Washington Luís, tinha poderes quase absolutos, dado que se vivia em regime de exceção.

Em 1935, uma cisão no Partido Liberal invabilizou sua eleição para o governo do estado pelo voto direto, sepultando uma vitória que era considerada praticamente certa. O adversário era Lauro Sodré, então com 77 anos, candidato lançado pela Frente Única. Os tumultos e as cenas de violência que se seguiram, ameaçando instalar o caos no Pará, levaram Getúlio Vargas a intervir mais uma vez na política local, sendo nomeado interventor José Carneiro da Gama Malcher.

Eleito senador em 1945, Barata disputou e perdeu a eleição para o governo em 1950 para o general Alexandre Zacharias de Assumpção. Cinco anos depois, disputou novamente, contra Epílogo de Campos, e venceu por uma diferença de 1743 votos, após oito meses de batalha judicial. Estava no exercício do cargo quando morreu, em 1959.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Junta governativa paraense de 1930 (2)
Governador do Pará
19301935
Sucedido por
Roberto Carlos Vasco Carneiro de Mendonça
Precedido por
Miguel José de Almeida Pernambuco Filho
Governador do Pará
19421945
Sucedido por
João Guilherme Lameira Bittencourt
Precedido por
Edward Catete Pinheiro
Governador do Pará
19561959
Sucedido por
Luís Geolás de Moura Carvalho