Joe Bonamassa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joe Bonamassa
Joe Bonamassa em Madrid, 2009 Foto: Raúl Ranz
Informação geral
Nascimento 08 de maio de 1977 (37 anos)
Local de nascimento Utica, Nova York
País  Estados Unidos
Gênero(s) Blues-rock, blues, rock and roll, R&B, rock, blue-eyed soul, hard rock
Ocupação(ões) Músico, compositor
Instrumento(s) Vocal, guitarra
Período em atividade 1989-presente
Afiliação(ões) Bloodline, Black Country
Página oficial Site oficial

Joe Bonamassa (Utica-NY, 8 de Maio de 1977) é um guitarrista de blues-rock estadunidense.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fã de rock inglês e do blues moderno Joe Bonamassa começou a tocar guitarra aos quatro anos de idade, e aos oito já era elogiado por B.B. King.

Lançou um disco com a banda Bloodline (“Bloodline”, 1994), da qual fizeram parte Erin Davis (filho de Miles Davis), Waylon Krieger (filho de Robby Krieger) e Berry Oakley Jr, e que debandou logo depois.

O primeiro disco-solo (A New Day Yesterday), lançado em 2000, é um testemunho de amor ao rock dos anos 60 e 70. Joe começa com o blues-rock Cradle Rock, um clássico do guitarrista irlandês Rory Gallagher e Walk in My Shadows dos britânicos do Free. A faixa título é uma porrada tirada do segundo álbum do Jethro Tull (Stand Up, 1969). Em If Heartaches Were Nickels, Bonamassa convida o tecladista Gregg Allman (The Allman Brothers Band) e o ícone da guitarra Leslie West, fundador do mitológico grupo Mountain. A sonoridade meio anos 70 deve-se ao produtor Tom Doud, que trabalhou com Derek & The Dominos e The Allman Brothers. Don´t Burn Down That Bridge é uma reverência aos ingleses do Cream (leia-se Eric Clapton) o timbre da guitarra é idêntica a clássica Sunshine Of Your Love. O guitarrista mostra que também é um compositor competente no rock Nuthin´ I Wouldn´t Do e no blues Trouble Waiting. O disco ainda conta com a participação do guitarrista Rick Derringer, outra referência importante em sua formação.

Em 2010, montou o supergrupo Black Country Communion juntamente com Glenn Hughes, no baixo e vocais, o baterista Jason Bonham, filho do lendário John Bonham e, finalmente, Derek Sherinian (ex-Dream Theater) nos teclados. O supergrupo, no entanto, encerrou as atividades após algumas diferenças criativas e pessoais entre Joe Bonamassa e Glenn Hughes. Em março de 2013, Bonamassa declarou que estava feliz por não estar mais envolvido com o Black Country Communion, e poucos dias depois, Glenn Hughes declarou o fim da banda.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Solo[editar | editar código-fonte]

Com Black Country Communion[editar | editar código-fonte]

Participações em outros álbuns[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Joe coleciona guitarras desde os 13 anos e possui atualmente 550 exemplares na sua coleção. Em seu álbum "You & Me" ele usa 22 guitarras e cinco amplificadores diferentes nas 11 faixas do álbum.

Referências

  1. Zobbel (2007-06-16). Chart Log UK Zobbel. Página visitada em 2008-09-03.
  2. Joe Bonamassa Official Message Board / "Live From Nowhere in Particular"
  3. "The Official UK Albums Chart for the week ending 6 September 2008". ChartsPlus (367): 5–8. Milton Keynes: IQ Ware Ltd.
  4. Billboard 200 Position, Billboard.com
  5. Mascot Records Releases, Mascotrecords.com
Ícone de esboço Este artigo sobre guitarristas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.