Jogos Olímpicos de Inverno de 2006

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
XX Jogos Olímpicos de Inverno
Turim 2006
Torino 2006 Piazza Carlo Felice.jpg
Dados
Países participantes 80 CONs[1]
Slogan Passion lives here (A paixão vive aqui)[2]
País anfitrião Turim, Itália
Atletas 2.574[1]
Eventos 84 em 7 esportes[1]
Cerimônia de abertura 10 de fevereiro
Cerimônia de encerramento 26 de fevereiro
Abertura oficial Carlo Azeglio Ciampi[3]
Juramento do atleta Giorgio Rocca[4]
Juramento do árbitro Fabio Bianchetti[4]
Tocha olímpica Stefania Belmondo[3]
Estádio principal Estádio Olímpico
◄◄ Salt Lake City 2002 {{{evento}}} Vancouver 2010 ►►

Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2006, oficialmente denominados XX Jogos Olímpicos de Inverno, foram um evento multiesportivo realizado na cidade de Turim, na Itália, entre 10 e 26 de fevereiro de 2006. Essa foi a terceira vez que a Itália recebeu uma edição dos Jogos Olímpicos. Antes destes, o país havia sediado os Jogos Olímpicos de Inverno de 1956 em Cortina d'Ampezzo, e os Jogos Olímpicos de Verão de 1960, em Roma. Turim foi escolhida como cidade-sede em 1999.

Nessa edição houve um número recorde de 80 países participantes, totalizando 2 574 atletas, que competiram em sete esportes.[1] Com uma população de 900 mil habitantes, Turim foi a maior cidade a hospedar uma edição de Jogos Olímpicos de Inverno até então, sendo superada por Vancouver, no Canadá, sede da edição de 2010.[5] [6]

Processo de eleição[editar | editar código-fonte]

Turim foi eleita cidade-sede em 19 de junho de 1999, durante a 109ª reunião do Comité Olímpico Internacional, em Seul, na Coreia do Sul, impondo-se diante de Sion.[7]

Resultados da eleição da cidade-sede
dos XXX Jogos Olímpicos de Inverno
Cidade CON 1ª rodada
Turim  Itália 53
Sion Suíça 36

Essa escolha foi a primeira após a mudança do processo de eleição, ocorrida em virtude de escândalos nas eleições de Nagano 1998 e Salt Lake City 2002.[8] [9] Na Sessão, as seis cidades candidatas - Turim, Sion na Suíça, Helsinque, na Finlândia, Klagenfurt, na Áustria, Poprad-Tatry, na Eslováquia e Zakopane, na Polônia - fizeram sua última apresentação perante os membros do COI. Em seguida, um grupo denominado Colégio de Seleção escolheu duas cidades que iriam para a votação entre os membros. As escolhidas foram Turim e Sion.[10] Na eleição final, a cidade italiana venceu com uma vantagem de dezessete votos, não necessitando de outras rodadas.[11]

A eleição de Turim foi uma surpresa, já que Sion era a favorita.[12] Uma boa parte da derrota da cidade suíça foi creditada a Marc Hodler, membro suíço do COI que denunciou o esquema de corrupção da eleição para os Jogos de 2002.[13]

Locais de competição[editar | editar código-fonte]

Os eventos de gelo foram realizados em Turim, mas os eventos de neve (esqui, snowboard, além dos esportes de pista de gelo) foram realizadas em resortes no Piemonte.

Turim[editar | editar código-fonte]

Torino Palavela.

Muitos locais estavam localizados no Distrito Olímpico no centro de Turim, incluindo:

  • Oval Lingotto - Patinação de velocidade
  • Torino Esposizioni - Hóquei no gelo
  • Torino Palasport Olimpico - Hóquei no gelo
  • Estádio Olímpico de Turim - Cerimônias de abertura e encerramento
  • Torino Palavela - Patinação artistíca e patinação de velocidade em pista curta
  • Vila Olímpica Principal

Outros locais[editar | editar código-fonte]

A pista de Cesana Pariol.

Tocha Olímpica[editar | editar código-fonte]

A tocha olímpica.

Em novembro de 2005, a tocha olímpica foi acesa em Olímpia, Grécia. Em 8 de dezembro de 2005 o revezamento da tocha chegou a Itália. O Papa Bento XVI abençoou a chama olímpica em uma missa Praça de São Pedro.[14]

Além da Grécia e da própria Itália, o revezamento visitou seis países: San Marino, Eslovênia, Áustria, Suíça, França e o Vaticano.[15] Na fronteira franco-italiana, um manifestante tentou apagar a tocha com uma faixa de protesto. A tocha chegou a Turim no dia anterior da abertura dos Jogos.

Durante a etapa final do revezamento na cidade de Turim e nas suas cercanias, a tocha foi carregada por vários ex-atletas e celebridades, incluindo Fabio Capello, o ex-treinador de futebol do Juventus, e o ex-saltador e campeão olímpico Sergey Bubka. A tocha percorreu 11,300 km, sendo carregada por 10.001 portadores.[15]

A pira foi acesa durante a cerimônia de abertura pela esquiadora de cross-country local Stefania Belmondo. Ela tem em seu currículo dez medalhas (duas de ouro, quatro de prata e quatro de bronze) no período de 1992 a 2002.[3]

Organização[editar | editar código-fonte]

Preparativos[editar | editar código-fonte]

Os Jogos de Turim demandaram mais de sessenta obras de infraestrutura, com custo estimado em 1,7 bilhão de euros.[16] A maioria das instalações esportivas já estava pronta um ano antes dos Jogos, como as do salto de esqui e do bobsleigh, que receberam as Copas do Mundo das modalidades em 2005.[17] O Estádio Olímpico, construído para a Copa do Mundo de 1934, passou por uma reforma completa para receber as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos.

Marketing[editar | editar código-fonte]

Os mascotes Neve e Gliz.

O logotipo dos Jogos corresponde em versão estilizada do Mole Antonelliana, símbolo da cidade de Turim, composto de cristais de gelo nas cores azul e branca, significando a neve e o céu, e a frase "Torino 2006", o nome da cidade em italiano; a cidade é conhecida como "Turim" em português e "Turin" em piemontês, dialeto local.[18] As mascotes dos Jogos foram Neve, uma bola de neve, e Gliz, um cubo de gelo.[19]

Cobertura da imprensa[editar | editar código-fonte]

Nesta edição dos Jogos, trabalharam cerca de 2700 membros de agências de notícias e fotógrafos e mais de 6500 jornalistas de rádio e televisão. Juntos, levaram ao ar mais de 1000 horas de transmissão ao vivo através de 94 emissoras oficiais, que trasmitiram os Jogos para 130 países utilizando 50 idiomas. Durante os Jogos foram usadas 400 câmeras de televisão e 780 km de cabos, controlados em 30 salas de operação móveis.[1]

Na internet, foram registradas mais de 667 milhões de visitas ao site oficial em quinze dias (11,8% mais que em Atenas 2004), sendo 72 milhões apenas no dia 12 de fevereiro.[1] [20]

Nações participantes[editar | editar código-fonte]

Mapa dos países participantes. Em verde as delegações com menos de 10 atletas; em azul entre 10 e 49; em laranja entre 50 e 99 e em vermelho as nações com 100 ou mais atletas.

No total 80 Comitês Olímpicos Nacionais mandaram representantes para esta edição dos Jogos, três a mais que as 77 delegações participantes dos Jogos de 2002.[21] Albânia, Etiópia e Madagascar mandaram pela primeira vez uma delegação para os Jogos de Inverno.[5] Também foi a primeira aparição de Sérvia e Montenegro e também a última já que Montenegro votou pela sua independência da Sérvia em maio de 2006.[22] Outras quinze delegações enviaram apenas um atleta. Camarões, Fiji, Guam, Honduras, Jamaica, México, Porto Rico, Sri Lanka, Suazilândia e Trinidad e Tobago que já tinham participado de Jogos Olímpicos de Inverno anteriores não enviaram atletas aos Jogos de Turim.

As Ilhas Virgens Americanas, acabou não tendo nenhum atleta nos Jogos, já que a atleta de luge Anne Abernathy acabou se contundido nos treinos para as competições.[23]

Modalidades[editar | editar código-fonte]

Largada do Biatlo.

Os Jogos distriburíram medalhas em 84 eventos, em 15 disciplinas agrupados em 7 esportes.[1] No total seis eventos estrearam nesta edição: largada coletiva no biatlo, velocidade por equipes no esqui cross-country, perseguição por equipes na patinação de velocidade e o snowboard-cross.[24] No esqui cross-country, o clássico masculino de 50 km e o feminino de 30 km, que foram disputados nos Jogos Olímpicos anteriores, não foram realizadas nestes Jogos Olímpicos, já que estes eventos foram alternados com o evento livre nas mesmas distâncias.

Abaixo a lista de modalidades que foram disputadas nos Jogos. Em parênteses o número de eventos em cada modalidade:

Calendário[editar | editar código-fonte]

As caixas em azul representam uma competição, ou um evento qualificatório de determinada data. As caixas em amarelo representam um dia de competição valendo medalha. Cada ponto dentro das caixas é uma ligação para a página do evento. A coluna T representa o total de finais do esporte

 ●  Cerimônia de abertura  ●  Competições  ●   Finais de competições  ●  Exibição de gala  ●  Cerimônia de encerramento
Fevereiro 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 T
Cerimônias
Biatlo 10
Bobsleigh 3
Combinado nórdico 3
Curling 2
Esqui alpino 10
Esqui cross-country 12
Esqui estilo livre 4
Hóquei no gelo 2
Luge 3
Patinação artística 4
Patinação de velocidade 12
Patinação de velocidade em pista curta 8
Salto de esqui 3
Skeleton 2
Snowboard 6
Finais 4 8 4 6 4 8 4 8 3 5 4 7 4 4 9 2 84

Fatos e destaques[editar | editar código-fonte]

  • O alemão Michael Greis ganhou três medalhas de ouro. A primeira foi exatamente na primeira final dos Jogos, os vinte quilômetros do biatlo. A segunda foi no revezamento de 7,5 quilômetros já na segunda metade dos Jogos, e o terceiro nos quinze quilômetros, no penúltimo dia de competições.[25]
  • Outro alemão, André Lange, ganhou dois ouros, no bobsled de duplas e no de de time, tornando-se o quinto homem a conseguir o feito em uma mesma edição olímpica de inverno.[25]
  • A canadense Cindy Klassen, levou uma medalha em cada uma das cinco modalidades da patinação, sendo um ouro nos 1.500 metros[25]
  • A Áustria, dominou as competições de esqui alpino. Ganhando quatorze das trinta medalhas disponíveis. Benjamin Raich e Michaela Dorfmeister, que se aposentou após o evento, ganharam dois ouros cada.[25]
  • O principal feito da Áustria no esporte foi no Slalom. O trio composto por Benjamin Raich, ouro, Reinfried Herbst, prata, e Reiner Schoenfelder, bronze, foi o terceiro na história dos Jogos a dominar integralmente o pódio. Apenas a Noruega, em 94, e os próprios austríacos, em 56, haviam conseguido o mesmo.[25]
  • O americano Apolo Anton Ohno ganhou três medalhas em Turim, tornando-se um dos seis patinadores de velocidade em pista curta a ganhar cinco medalhas na carreira.[26]
O americano Apolo Anton Ohno.
  • Os russos dominaram a patinação artística, ganhando três das quatro finais. Tatiana Navka e Roman Kostomarov, Evgeni Plushenko e Tatiana Totmianina venceram suas provas. Irina Slutskaya aumentou a coleção com uma medalha de bronze.[25]
  • O Canadá, considerado o "país do curling", conquistou a sua primeira medalha de ouro na história entre os homens, após chegar a duas finais consecutivas em 1998 e em 2002. O país ainda subiu no pódio no feminino onde conquistou a medalha de bronze.[25]
  • A final de hóquei masculina colocou lado a lado pela primeira vez dois países nordícos Suécia e Finlândia, ambos considerados favoritos por derrotarem os russos e os tchecos,os dois últimos campeões mundiais nas semifinais. A Suécia acabou ganhando a final. Entre as mulheres, a Suécia surpreendeu o mundo a chegar a final derrotando as então campeãs olímpicas, o time americano, pela primeira vez em uma competição oficial. Contudo, o Canadá confirmou o favoritismo e se tornou bicampeão olímpico vencendo a final. Na decisão do bronze, as finlandesas acabaram perdendo para as americanas.[25]
  • No bobsled a Alemanha ganhou as três medalhas de ouro em disputa. Além dos ouros no trenó de dois e quatro masculino, o país ainda ficou com o ouro no feminino de duplas.[25]

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Doping[editar | editar código-fonte]

A polícia italiana invadiu o alojamento de atletas austríacos, em busca de provas de doping. O ataque foi realizado devido a suspeitas sobre a presença do treinador de biatlo Walter Mayer, que havia sido banido de todos os eventos olímpicos incluindo os Jogos Olímpicos de Vancouver em 2010 devido a condenações anteriores de doping. Na época da invasão, Mayer e dois biatletas austríacos, Wolfgang Perner e Wolfgang Rottmann, conseguiram fugir e retornaram a Áustria. Mais tarde, o presidente da federação austríaca de esqui, disse que os dois atletas lhe disseram que "poderiam ter usado métodos ilegais."[27] Depois de alguns dias os resultados dos testes de todos os 10 atletas austríacos foram testados e apresentaram resultados negativos. Lista de atletas com doping condenações nestes Jogos:

  • A russa Olga Medvedtseva foi desclassificada e perdeu a sua medalha de prata nos 15 km do biatlo após testar positivo para carphedon.[28]
  • O brasileiro Armando dos Santos, atleta do bobsled foi expulso dos Jogos depois de um teste antidoping preventivo ter acusado positivo (os resultados foram de um teste realizado no Brasil).[29]

Medalhas[editar | editar código-fonte]

A cerimônia de medalha do time feminino no esqui cross-country por equipes. Da esquerda para a direita: Sara Renner e Beckie Scott (prata); Lina Andersson e Anna Dahlberg (ouro) e Aino-Kaisa Saarinen e Virpi Kuitunen (bronze).
Para ver o quadro completo, veja Quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006.

Em destaque, o país anfitrião dos Jogos.

 Ordem  País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze GoldSilverBronze medals.svg
1 AlemanhaGER Alemanha 11 12 6 29
2 Estados UnidosUSA Estados Unidos 9 9 7 25
3 ÁustriaAUT Áustria 9 7 7 23
4 RússiaRUS Rússia 8 6 8 22
5 CanadáCAN Canadá 7 10 7 24
6 SuéciaSWE Suécia 7 2 5 14
7 Coreia do SulKOR Coreia do Sul 6 3 2 11
8 SuíçaSUI Suíça 5 4 5 14
9 ItáliaITA Itália 5   6 11
10 FrançaFRA França 3 2 4 9
10 Países BaixosNED Países Baixos 3 2 4 9
Brasil e Portugal, os países lusófonos participantes dos Jogos, não conquistaram medalhas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g Turin 2006/LA84 Foundation. Official Report Volume 2. Página visitada em 18 de janeiro de 2010.
  2. Italian Passion in the Motto of Torino 2006 (PDF). Página visitada em 2007-04-18.
  3. a b c "Torino 2006: Flame in the Tallest Cauldron", International Olympic Committee, 2006-02-11. Página visitada em 2007-04-18.
  4. a b The Sports Network (10 de fevereiro de 2006). Olympic Daily News. Página visitada em 18 de abril de 2007.
  5. a b Comitê Olímpico Internacional. Turin 2006 Collection (em inglês). Página visitada em 10 de novembro de 2009.
  6. Terra Esportes (14 de outubro de 2009). Vancouver se diz confiante no transporte para Jogos de Inverno. Página visitada em 10 de novembro de 2009.
  7. Games Bids. Past Olympic Host City Election Results (em inglês). Página visitada em 20 de junho de 2009.
  8. Former IOC panel member fingers favour-seekers (em inglês). Página visitada em 20 de maio de 2009.
  9. World Games News (em inglês) International World Games Association. Página visitada em 20 de junho de 2009.
  10. INTERNATIONAL OLYMPIC COMMITTEE VOTE HISTORY (em inglês) aldaver.com. Página visitada em 9 de novembro de 2009.
  11. Italy Lands Winter Games In 2006 in Turin (em inglês). Página visitada em 20 de junho de 2009.
  12. Olympic corruption whistle-blower Hodler dies (em inglês) USA Today. Página visitada em 20 de junho de 2009.
  13. Italian city prepares for next Winter Olympics (em inglês) ESPN. Página visitada em 20 de junho de 2009.
  14. Vicente Moura transporta tocha olímpica em Roma (em português) Diário de Notícias.
  15. a b Revezamento da tocha (em português) Como tudo funciona. Página visitada em 20 de junho de 2009.
  16. The Cronicle/Web Archive. Winter Olympics Return to Italy Opening Ceremonies Begin February 10 in Turin (em inglês). Página visitada em 19 de janeiro de 2010.
  17. ESPN (7 de janeiro de 2005). Main venues finished a year before event (em inglês). Página visitada em 19 de janeiro de 2010.
  18. NBC Sports (9 de fevereiro de 2006). Turin or Torino? Depends on whom you ask (em inglês). Página visitada em 9 de novembro de 2009.
  19. Site oficial de Pequim 2008 (28 de setembro de 2004). Turin 2006 welcomes Neve and Gliz! (photo attached) (em inglês). Página visitada em 9 de novembro de 2009.
  20. Turin 2006/LA84 Foundation. Official Report Volume 3. Página visitada em 18 de janeiro de 2010.
  21. UOL (10 de fevereiro de 2006). Jogos Olímpicos de Turim oficialmente inaugurados. Página visitada em 15 de junho de 2009.
  22. BBC Brasil (22 de maio de 2006). Montenegro escolhe independência em plebiscito. Página visitada em 14 de julho de 2010.
  23. UOL (13 de fevereiro de 2006). A "avó" de Turim 2006 deixa os Jogos por lesão no punho. Página visitada em 10 de novembro de 2009.
  24. Comitê Olímpico Internacional (27 de fevereiro de 2007). Factsheet—Olympic Winter Programme (PDF). Página visitada em 18 de abril de 2007.
  25. a b c d e f g h i UOL. "Reis do inverno vêm da Alemanha e Canadá", 2006-02-24. Página visitada em 2007-04-19.
  26. 2006 Torino Winter Games Sports Reference LLC. Página visitada em 2009-06-18.
  27. Couch, Greg. "Italians take hard line against steroids", 2006-02-24. Página visitada em 2007-04-19.
  28. Russian athlete stripped of medal (16 de fevereiro de 2006).
  29. COB anuncia doping e desliga brasileiro da Olimpíada de Inverno (2006-02-24).