Johan Christian Fabricius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde janeiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.
Johann Christian Fabricius.

Johan Christian Fabricius (Tønder, 7 de Janeiro de 1745Kiel, 3 de Março de 1808) foi um entomólogo e economista dinamarquês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de um médico, Fabricius nasceu no sul da península da Jutlândia, hoje Dinamarca. Estudou em Altona, bairro de Hamburgo e entrou na Universidade de Copenhaga em 1762. Fabricius, no mesmo ano, viajou junto com seu amigo e parente Johan Zoega à Universidade de Uppsala, onde estudou sobre a tutela de Lineu durante dois anos. Adquiriu o título de doutor em medicina em 1770.

Em 1766, visita Leiden, Amsterdam, La Haye e Delft. No ano seguinte segue para a Escócia, e posteriormente ( 1768 ) para Londres onde, graças a Daniel Solander (1733-1782), ele encontra-se com Sir Joseph Banks. No mesmo ano, vai a itália onde examina cuidadosamente as coleções de Ulisse Aldrovandi.

A partir de 1770 ensina história natural em Copenhague. De 1772 a 1775, passa os invernos em Copenhague e os verões em Londres, onde estuda os insetos trazidos por Solander e Banks .

Fabricius trabalhou principalmente com artrópodes e era um especialista em insectos. Clasificou muitas aranhas incluindo a viúva negra. Foi professor de História Natural, economia rural e finanças na Universidada de Kiel em 1775. Foi um visitante regular do Museu de Londres, onde estudou muitas colecções. Visita, nesta época, a Noruega e a Rússia, aonde colhe números espécimes, e se encontra com os principais cientistas do seu tempo. A partir de 1790 passa a residir durante os verões em Paris, onde torna-se amigo de Pierre André Latreille.

A sua classificação de insetos, de acordo com as estruturas bucais ( as "instrumenta cibaria") , teve uma importãncia considerável no desenvolvimento da taxonomia destes animais. Criou mais de treze ordens biológicas , porém sobreviveu apenas a ordem odonata.

A sua coleção está preservada na Universidade de Kiel, enquanto os animais das coleções de Banks estão no Museu Britânico de Londres.

Obras[editar | editar código-fonte]

Entre suas obras, destacam-se:

  • Systema Entomologiae (1775, entomologia)
  • Genera Insectorum (1776, entomologia)
  • Philosophia Entomológica (1778, entomologia)
  • Species insectorum (1781, entomologia)
  • Mantissa Insectorum (1787, entomologia)
  • Entomologia Systematica (1792-94, entomologia)
  • Supplementum Entomologiae Systematicae (1798)
  • Systema Eleutheratorum (1801, entomologia)
  • Rhyngotorum (1803, entomologia)
  • Piezatorum (1804, entomología)
  • Antliatorum (1805, entomología)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.