João I José de Liechtenstein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
João I José
Staatswappen-Liechtensteins.svg
Príncipe-soberano de Liechtenstein
Governo
Reinado 18051806
18141836
Consorte Josefa de Fürstenberg-Weitra
Dinastia Liechtenstein
Vida
Nascimento 26 de junho de 1760
Viena, Áustria
Morte 20 de abril de 1836 (75 anos)
Viena, Áustria
Pai Francisco José I de Liechtenstein
Mãe Maria Leopoldina de Sternberg

João I José ou Johann I Josef (Viena, 26 de junho de 1760 — Viena, 20 de abril de 1836) foi o príncipe soberano de Liechtenstein de 1805 até 1806 e, novamente, de 1814 até 1836. Ele foi o último príncipe de Liechtenstein que reinou sob o Sacro Império Romano-Germânico entre 1805 e 1806 e como regente de Liechtenstein de 1806 até 1814. Era o segundo filho do príncipe Francisco José I.

Biografia[editar | editar código-fonte]

João iniciou, aos vinte e dois anos, sua carreira militar e entrou para o exército como tenente. Oito anos depois, serviu como coronel nas guerras turcas. Durante as Guerras Napoleônicas, o príncipe foi promovido a marechal de campo e ganhou o comando inteiro do exército austríaco. Liderou as forças austríacas na Batalha de Austerlitz.

Posteriormente, João participou da assinatura do Tratado de Pasburgo (1805) e o Tratado de Schönbrunn (1809). Ambos os tratados foram favoráveis a Napoleão Bonaparte em relação à Áustria, e João foi acusado de ter poucas habilidades diplomáticas. Para escapar do criticismo, ele renunciou à sua carreira militar em 1810.

Como príncipe de Liechtenstein, João realizou reformas progressivas, mas em um governo absolutista. Em 1818, João garantiu uma constituição, que era limitada em sua natureza. Ele expandiu a agricultura e a silvicultura e radicalmente organizou a sua administração, em uma tentativa de levar em conta o que era um Estado moderno. João foi influente no campo de jardinagem, tendo criado os jardins Biedermeier e paisagens em estilo inglês.

Em 1806, Napoleão incorporou Liechtenstein na Confederação do Reno e fê-lo um estado soberano. No Congresso de Viena, a soberania de Liechtenstein foi aprovada. Em 1815, Liechtenstein tornou-se membro da Confederação Germânica. Tal ingresso confirmou a soberania de Liechtenstein.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Em 12 de abril de 1792, em Viena, João desposou a landgravina Josefa de Fürstenberg-Weitra (1776-1848). Eles tiveram seis filhas e cinco filhos, dos quais Aloísio II (1796-1858) e Franz (1802-1887), que foi o avô paterno de Francisco José II, merecem mais destaque.

Precedido por
Aloísio I
Staatswappen-Liechtensteins.svg
Príncipe soberano de Liechtenstein

18051836
Sucedido por
Aloísio II