Johannes Polyander

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Johannes Polyander
(1568-1646)
Data de nascimento 28 de Março de 1568
Local de nascimento Metz,  França
Data de falecimento 4 de fevereiro de 1646
Local de falecimento Leiden,  Países Baixos
Ocupação Teólogo e reformador franco-holandês.
Alma mater Universidade de Leiden
Universidade de Genebra
Universidade de Heidelberg

Johannes Polyander (Johannes Polyander van den Kerckhoven, Jehan Polyander van der Kerckhove), (Metz, França, 28 de Março de 1568 - Leiden, Holanda, 4 de Fevereiro de 1646), foi tradutor, teólogo calvinista, Doutor em Teologia pela Universidade de Genebra (1590) e Professor de Teologia da Universidade de Leiden.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Metz, na França. Seu pai era de Genebra, mas seguiu para o exílio[1] em Lorena onde se tornou pastor protestante. Depois, a família se mudou para Heidelberg[2] . Em Heidelberg teve Franciscus Junius, O Velho como seu professor, se conseguindo o grau de Mestrado em 1589; em 1590 formou-se Doutor em Teologia na Universidade de Genebra, tendo Théodore de Bèze[3] como seu professor. De 1591 a 1611 Polyander foi ministro da Igreja Valã em Dordrecht. Foi contemporâneo e amigo de John Robinson (1575-1625)[4] , em Leiden, e chegou a fazer uma introdução a uma das obras de Robinson, que foi publicada em Leiden.

Em 1591, tornou-se pregador em Dordrecht, e mais tarde foi sucessor de Franciscus Gomarus[5] como Professor de Teologia na Universidade de Leiden[6] , onde deu aulas desde 1611. Polyander era adversário dos remonstrantes, porém de caráter moderado[7] . Foi considerado uma figura conciliatória na sucessão de fatos que ocorreram em Leiden envolvendo Jacobus Arminius e Conrad Vorstius[8] [9] .

Seu epitáfio está em exibição na Igreja de São Pedro[10] [11] , em Leiden.

Jehan van der Kerckhove (1594-1660)[12] , Senhor de Heenvliet, foi seu filho e diplomata holandês[13] . Foi casado com Katherine Wotton (1609-1667)[14] [15] .

Obras[editar | editar código-fonte]

Ele foi convidado pelos Estados Holandeses para revisar a tradução da Bíblia para o holandês (Statenvertaling, tradução autorizada pelos Estados Holandeses, em 1637), e foi ele quem editou os cânones do Sínodo de Dort (1618-1619). Entre suas obras se incluem:


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. The Pilgrims and The University of Leiden.
  2. Gustav Cohen - Écrivains français en Hollande dans la premiere moitié du 17e siecle (1920), pp. 222–3.
  3. Mathematics Genealogy Project.
  4. John Robinson (1575-1625) (* c1575 - † Leiden, 16 de Fevereiro de 1625, foi teólogo puritano inglês e um dos fundadores da Igreja Congregacional.
  5. Franciscus Gomarus (1563-1641) (* Bruges, 30 de Janeiro de 1563 - † Groningen, 11 de Janeiro de 1641), foi teólogo, calvinista e professor de teologia da Universidade de Leiden.
  6. Online Encyclopedia.
  7. Allgemeine Deutsche Biographie (ADB).
  8. Conrad Vorstius (1569-1622) (* Colônia, 19 de Julho de 1569 - † Tönning, 29 de Setembro de 1622), foi teólogo remonstrante e sucessor de Jacobus Arminius na cadeira de teologia da Universidade de Leiden.
  9. C. C. Barfoot and Richard Todd, The Great Emporium: the Low Countries as a cultural crossroads in the Renaissance and the eighteenth century (1992), p. 90
  10. Pieterskerk, igreja de Leiden, dedicada a São Pedro, conhecida como a Igreja dos Pais Peregrinos, onde o pastor John Robinson (1575-1625) está sepultado.
  11. Site da Igreja de São Pedro em Leiden.
  12. Johan van den Kerckhove, Heer van Heenvliet (1594-1660), (* Dordrecht, 24 de Agosto de 1594 - † Sassenheim, Holanda, 7 de Março de 1660), foi diplomata holandês e filho de Johannes Polyander (1568-1646).
  13. Henk F. K. van Nierop, The Nobility of Holland: from knights to regents, 1500-1650 (1993), p. 15, Google Books.
  14. Katherine Stanhope, Condessa de Chesterfield.
  15. Rombout Verhulst (1624-1698) (* Mechelen, 15 de Janeiro de 1624 - † Haia, 27 de Novembro de 1698), foi um escultor holandês.
    Na Igreja de São Pedro, em Leiden, também se encontra a efígie funerária de Jehan van der Kerckhove, obra prima do escultor Rombout Verhulst.
  16. Wolfgang Neuber, Cognition and the Book: typologies of formal organisation of knowledge in the printed book of the early modern period (2005), p. 85