John Bacchus Dykes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Bacchus Dykes.

John Bacchus Dykes (Hull, 10 de março de 1823 - Ticehurst, 22 de janeiro de 1876) foi um eclesiástico e hinista inglês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Hull, Inglaterra, foi o quinto filho de William Hey Dykes e terceiro de sua esposa Elizabeth Dykes, e o irmão mais novo do poeta e hinista Eliza Alderson. Com dez anos, foi o organista assistente na Igreja de São João em Drypool, Hull, onde seu avô, o Rev. Thomas Dykes, foi vigário. Aprendeu a tocar violino e o piano,[1] além de ter estudado em Wakefield, no St Catharine's College em Cambridge.[2] Foi co-fundador da Cambridge University Musical Society. Em 1847, foi ordenado como padre de Malton. Por um curto período, foi cânone da catedral de Durham, em seguida, chantre (1849 - 1862). Em 1862, tornou-se vigário de St. Oswald, Durham, até sua morte em 1876.

Publicou numerosos sermões e artigos sobre religião, no entanto, Dykes é mais conhecido por mais de 300 hinos que compôs. Entre aqueles que ainda estão em amplo uso são: "Santo, Santo, Santo"; Wir Pflügen, harmonizadas por Dykes, Melita, Gerontius, O Amor Perfeito e Regit Dominus Me, cantada à palavras "O Rei do amor é o meu pastor", uma das muitas versões métricas do Salmo 23.

Dykes resolutamente manteve altas tradições na igreja, para a consternação de seu bispo, e foi uma figura renegada na Igreja vitoriana.[3] Era um membro da Sociedade da Santa Cruz. Dykes morreu em Sussex aos 52 anos, e foi enterrado em St. Oswald, Durham.

Referências

  1. Sadie, Stanley, ed. The New Grove Dictionary of Music and Musicians, Vol. 5, pp. 794-795 Macmillan Publishers Limited, 1980, ISBN 0-333-23111-2
  2. Venn, J.; Venn, J. A.. Dykes or Dikes, John Bacchus Cambridge University Press. Página visitada em 17 de agosto de 2012.
  3. Biografia de JB Dykes
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.