John Grunsfeld

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Grunsfeld

Astronauta da NASA
Nacionalidade Estados Unidos norte-americano
Nascimento 10 de Outubro de 1958 (56 anos)
Chicago, EUA
Tempo no espaço 45d 17h 25m
Missões STS-67, STS-81, STS-103, STS-109, STS-125
Insígnia
da missão
Insígnia STS-67 Insígnia STS-81 Insígnia STS-103 Insígnia STS-109 Insígnia STS-125

John Mace Grunsfeld (Chicago, 10 de outubro de 1958) é um astronauta norte-americano, veterano de cinco missões espaciais e ex-chefe cientista da NASA.

Físico formado pelo MIT e pela Universidade de Chicago, foi selecionado pela NASA para o programa de astronautas em 1992, qualificando-se após o treinamento para vôos espaciais como especialista de missão. No início trabalhou na área de desenvolvimento de missão do departamento de astronautas, liderando a equipe de estudos de criação de computadores portáteis a serem usados no espaço.

Missões[editar | editar código-fonte]

Fez seu primeiro vôo espacial em março de 1995, na missão STS-67 da Endeavour, uma missão dedicada a observações astronômicas ultravioleta com o Spacelab, usando observatório Astro-2.

Sua segunda missão foi na STS-81 Atlantis, entre 12 e 22 de fevereiro de 1997, uma missão de dez dias à estação espacial russa Mir, parte do Programa Shuttle-Mir, entre os governos americanos e russo, e onde ele atuou como engenheiro de vôo.

Quase três anos depois, participou da missão STS-103 Discovery, realizada em dezembro de 1999, em que a tripulação fez a manutenção e a modernização do telescópio espacial Hubble, instalando novos giroscópios e instrumentos científicos, além de sistemas de computação mais modernos. Nessa viagem, Grunsfeld realizou duas caminhadas espaciais para trabalhos fora da nave, num total de dezesseis horas.

Em março de 2002, foi pela quarta vez ao espaço, na STS-109 Discovery, nova missão ao Hubble, como comandante de carga. Nela, em três saídas da Columbia, que tiveram um total de 21 horas, ele ajudou a instalar novos painéis solares no telescópio, uma nova câmara digital, um novo sistema de resfriamento da câmara de infravermelho e um novo sistema de força.

Em 2009, Grusnfeld participou de sua quinta missão espacial, como tripulante da STS-125 Atlantis, lançada de Cabo Kennedy em 11 de maio e enviada ao telescópio Hubble - sua terceira missão ao Hubble e sete anos após a última - onde conduziu a última missão de manutenção e modernização do telescópio realizada através de um ônibus espacial.

Montanhismo[editar | editar código-fonte]

John Grunsfeld também protagonizou um documentário para a televisão norte-americana, como protagonista de uma escalada ao Monte McKinley, a mais alta montanha da América do Norte. Em companhia do Dr. Howard Donner,um consultor da NASA, ele realizou pesquisas sobre o efeito de grandes altitudes na temperatura do corpo humano, usando para isso termômetros em forma de pílulas instalados dentro do corpo.

Grunsfeld chegou a 5.800 metros de altura até ser obrigado a retornar, afetado pela 'doença da altitude', que afeta seres humanos expostos à baixa pressão atmosférica.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]