John Holmes (ator)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
John Holmes
Nome completo John Curtis Estes
Nascimento 8 de Agosto de 1944
Pataskala, Ohio
 Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos estadunidense
Morte 13 de março de 1988 (43 anos)
Los Angeles, Califórnia
 Estados Unidos
Ocupação ator e diretor pornô
Atividade 1969 - 1988
Página oficial
IMDb: (inglês)

John Holmes, nome artístico de John Curtis Estes, (Pataskala, 8 de Agosto de 1944Los Angeles, 13 de Março de 1988) foi um actor e director do cinema pornográfico.[1] É considerado um dos maiores nomes do pornô de todos os tempos.[2] [3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

John Holmes começou sua carreira no ano de 1969 e fez até 1988 cerca de 3000 filmes (excluindo coletâneas), também foi assistente de diretor e diretor. Foi casado duas vezes. Sua carreira no cinema pornô teve um ligeiro declínio no começo da década de 1980 devido ao consumo de drogas, que o levou à perda quase total de sua fortuna.

Desde cedo, levava bordoadas do pai, um beberrão violento chamado Carl Estes (o nome real de Holmes era John Curtis Estes). Um belo dia, o pequeno Johnny resolveu revidar, empurrou o pai escada abaixo e, pensando ter matado o velho, fugiu de casa e se alistou no Exército. Passou três anos na Alemanha e, quando teve sua dispensa, arrumou vários trabalhos: foi caixeiro viajante, operário de máquinas de moer café, e até motorista de ambulância (quando conheceu sua primeira esposa, a enfermeira Sharon Gebenini). Por dois anos, ele trabalhou num açougue industrial, e de tanto ficar no meio de carnes congeladas acabou pegando pneumonia – três vezes. A ironia suprema, que propiciou uma guinada na vida do pequeno Johnny, ocorreu numa dessas “férias forçadas”. O rapaz estava num bar em Gardena, fazendo seu pipizinho básico, quando um senhor ao lado ficou pasmo ao vê-lo desenrolar a ferramenta. O senhor, cujo nome se perdeu na história, era produtor de filmes pornô e logo convidou nosso herói para fazer filmes de 8mm – coisa que ele aceitou, mas escondeu o fato da esposa (o que era fácil na época, já que não existia o mercado de VHS e DVD que conhecemos depois). Verdade que o pequeno Johnny não conseguiu omitir o assunto por muito tempo, porque o gênero pornô, que era considerado um produto clandestino, de repente explodiu. Começou a se propagar em salas pelos E.U.A., graças primeiro ao sucesso de “Garganta Profunda” e em seguida pela fenomenal repercussão causada por “O Diabo na Carne de Mis Jones”. De repente pornô virou coisa “chique” e Holmes se tornou o principal porta-voz masculino deste novo “boom”. Em 1975, o ator ganhava 3 mil dólares por dia de trabalho. Claro que a essa altura a primeira esposa já o tinha largado, mas nem houve tempo para o pequeno Johnny chorar, seu prestígio cuidou para que as mulheres nunca saíssem do seu lado. Ele também conheceu Julia St. Vincent, que produziu o tendencioso documentário “Exhausted” (do qual vários trechos foram recriados no filme “Boogie Nights”). Eles namoraram sério, mas após um affair de 5 anos com a ninfeta Dawn Schiller que o dedou a policiais e o levou a processo, por aliciação de menores e os crimes de Wonderland, Julia St. o largou. Essa ninfeta, Dawn Schiller , ele conheceu quando a mesma tinha 15 anos e a tirou de sua casa para morar com ele. Posteriormente a fez usar drogas pesadas consigo e até se prostituir sendo seu cafetão assistindo seus programas enquanto ela chorava e lhe pedia para não sujeitá-la a isso além de agredí-la fisicamente regularmente em seus acessos de fúria. Holmes nunca conseguiu limpar seu nome no cartório. Apesar de constar no Hall da Fama da XRCO (X-Rated Critics Organization), esteve envolvido em dezoito processos por porte e uso de drogas. E passou 111 dias preso devido a uma acusação de assassinato em 1981. O caso até hoje é comentado: Holmes participava de uma orgia na casa de um amigo, onde quatro pessoas foram encontradas mortas no dia seguinte. Ele não era suspeito, mas depois que descobriram que uma delas morreu por hemorragia anal, a prisão e julgamento foram quase instantâneos. À certa altura, Holmes também tentou deixar o mundo pornô e investiu pesado na produção de filmes convencionais. Ele adorava filmes policiais e achava que entendia do riscado. Só que as produções que rodou eram precárias e seus dotes dramáticos risíveis.

Ele ja foi acompanhado por mais de 14000 mulheres durante sua vida

Os crimes de Wonderland[editar | editar código-fonte]

Obs: Os fatos a seguir serviram de inspiração para o filme Crimes em Wonderland, com Val Kilmer.

Tudo aconteceu em 1 de julho de 1981 na avenida Wonderland na cidade de Los Angeles. Holmes aceitou participar de um roubo idealizado por um bando de traficantes conhecidos como a gangue de Wonderland, que atuava nos subúrbios de Los Angeles, para pagar suas dívidas devido ao vício em drogas pesadas, o que o impedia de atuar nos filmes. O plano era roubar o poderoso Eddie Nash, traficante e proprietário de quase todos os clubes noturnos em Los Angeles. No entanto, Nash descobriu quem havia realizado o assalto e juntamente com seus comparasas armados com barras de ferro, foi a avenida Wonderland e invadiu a casa da gangue, ocasionando assim um quádruplo assassinato (as 4 pessoas da gangue que se encontravam na casa). Durante o brutal assassinato, Nash obrigou Holmes (que havia entregado a gangue, devido a ameaças de Nash contra sua família) a presenciar tudo, para servir de lição por ter ajudado a gangue no assalto. Os depoimentos de Holmes e de um motoqueiro (que ajudou no assalto, e era namorado de uma garota que fazia parte da gangue e que fora assassinada na casa) nao serviram de nada para a polícia para incriminar Nash, Holmes ou qualquer outra pessoa. O crime ficou sem solução até 1990, já após a morte de Holmes. Nesse ano, sua ex-mulher Sharon, disse que Holmes havia passado na casa dela após o crime e lhe contado tudo.

Morte[editar | editar código-fonte]

Durante os últimos quatro meses de sua vida, ele foi, essencialmente, de cama, indo constantemente aos hospitais para tratamento. John Holmes morreu de complicações relacionadas à AIDS (de acordo com sua certidão de óbito, parada cardiorrespiratória e encefalite devido à AIDS, associada a linfadenopatia e candidíase esofágica) em 13 de março de 1988 aos 43 anos. Seu corpo foi cremado e suas cinzas foram espalhadas no mar ao largo de Oxnard, na Califórnia.

Filmes sobre John Holmes[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2008 XBIZ Award - Lifetime Achievement - Male Performer [4]
  • 1997 XRCO Award Lifetime Achievement - Accepted by Holmes' Godson Sean Amerson[4]

Xrco (x-rated Critics Organization)[editar | editar código-fonte]

  • Hall da Fama

AVN (Adult Video News)[editar | editar código-fonte]

  • Hall da Fama

Referências

  1. John Holmes, A Life Measured in Inches. [S.l.]: BearManor Media, 2008.
  2. Sager, Mike Sager. "The Devil and John Holmes", 15 de junho de 1989.
  3. http://www.amazon.com/Porn-King-Autobiography-John-Holmes/dp/1593936850/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1356973952&sr=1-1&keywords=Porn+King
  4. a b XBIZ Award Winners, XBIZ, fevereiro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]