John Philip Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Philip Sousa

John Philip Sousa (Washington, 6 de novembro de 1854Reading, 6 de março de 1932) foi um compositor e maestro de banda norte-americano, do romantismo tardio, popularmente conhecido como O Rei das Marchas, como The Stars and Stripes Forever, marcha oficial dos Estados Unidos. A sua produção musical inclui cerca de 15 operetas e várias canções. Conhecido por ter idealizado e dado nome ao Sousafone.

Biografia[editar | editar código-fonte]

John Philip Sousa nasceu nos Estados Unidos da América, terceiro de dez filhos e filhas de pai português de origem açoriana e mãe bávara, de nome: João António de Sousa (John Anthony Sousa) (Sevilha, 22 de Setembro de 1824 - 27 de Abril de 1892) e Maria Elisabeth Trinkhaus (Darmstadt, 20 de Maio de 1826 - 25 de Agosto de 1908). Os seus pais eram descendentes de portugueses, espanhóis e hessianos (alemães); seus avós paternos eram português e espanhola refugiados.[1] Sousa iniciou a sua educação musical, tocando violino, como pupilo de João Esputa e G.F. Benkert de harmonia e composição musical com seis anos.

Com a sua própria banda, entre 1892-1931, realizou 15623 concertos..[2] Em 1900, a sua banda representa os Estados Unidos na Exposição Universal de Paris (1900).

Morreu de insuficiência cardíaca com 78 anos em 6 de março de 1932, no seu quarto no Hotel Abraham Lincoln, em Reading, Pensilvânia. Ele tinha conduzido um ensaio de "Stars and Stripes Forever". Ele encontra-se enterrado em Washington, DC no Cemitério do Congresso.

Obras[editar | editar código-fonte]

Marchas[editar | editar código-fonte]

Escreveu marchas de várias universidades americanas, incluindo Kansas State University, University of Nebraska, Marquette University, e University of Minnesota.

Operetas[editar | editar código-fonte]

programa musical, 1896
  • The Queen of Hearts (1885), ou Royalty and Roguery
  • The Smugglers (1862)
  • Désirée (1873)
  • El Capitan (1989)
  • The Bride Elect (1897), libreto de Sousa.
  • The Charlatan (1898), ou The Mystical Miss,[3]
  • Chris and the Wonderful Lamp (1899)
  • The Free Lance (1905)
  • The American Maid (1909), ou The Glass Blowers.[4]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. The Library of Congress Biography: John Philip Sousa. Visitado em 2008-01-10.
  2. Bierley, Paul Edmund, "The Incredible Band of John Philip Sousa". University of Illinois Press, 2006.
  3. Vocal score of The Charlatan
  4. Hughes, Gervase.Composers of Operetta, New York, 1962
Sousa no Congressional Cemetery (Washington, DC, USA)

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Congressional hearing: in Copyright's Communication Policy by Professor Tim Woo, University of Virginia, May 2004 - Caution, 560k PDF.
  • 75 years after death here, Sousa sells out the Abe - Reading Eagle Newspaper at readingeagle.com
  • John Philip Sousa was raised as a freemason at the Hiram-Takoma Lodge #10 in the District of Washington. The website is:http://www.ht10.com
  • Berger, Kenneth. The March King and His Band: The Story of John Philip Sousa. New York: Exposition Press, 1957.
  • Bierley, Paul E. "The Incredible Band of John Philip Sousa". University of Illinois Press, 2006.
  • Bierley, Paul E. John Philip Sousa, American Phenomenon. Rev. ed. Miami: Warner Brothers Publications, 2001.
  • Bierley, Paul E. "The Works of John Philip Sousa" Integrity Press, 1984.
  • Delaphine, Edward S. John Philip Sousa and the National Anthem. Frederick, MD: Great Southern Press, 1983.
  • Lingg, Ann M. John Philip Sousa. New York: Henry Holt, 1954.
  • Newsom, John, ed. Perspectives on John Philip Sousa. Washington, DC: Library of Congress, 1983.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre John Philip Sousa
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.