Jorge Guillén

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jorge Guillén Álvarez (Valladolid, 18 de janeiro de 1893Málaga, 6 de fevereiro de 1984) foi um poeta, crítico literário e cronista espanhol, membro da Geração de 27. Qualificado como vanguarda na Espanha, como os demais poetas de sua geração, explorou o verso livre e alguns recursos utilizados pela poesia experimental ou simplesmente moderna feita desde Mallarmé e Jules Laforgue, como a disposição tipográfica não-linear e a estrutura sintática entrecortada do diálogo. Quando iniciou-se a Guerra Civil Espanhola expatriou-se, tendo vivido nos Estados Unidos, onde escreveu boa parte de sua obra e foi professor de literatura no Wellesley College, em Massachussets, de 1940 a 1958 [1] .

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • Cántico (1950)
  • Clamor (1963)
  • Y Otros Poemas (1973)

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.