Jorge Luis Pinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jorge Luis Pinto
Informações pessoais
Nome completo Jorge Luis Pinto Afanador
Data de nasc. 16 de dezembro de 1952 (61 anos)
Local de nasc. San Gil, Santander,  Colômbia
Altura 1,65 m
Informações profissionais
Período em atividade 1984-presente (30 anos)
Clube atual Flag of Costa Rica.svg Costa Rica
Posição Treinador
Times que treinou
19841985
19861987
19881989
19901991
19911993
19941997
19971998
19981999
19992000
2001
20022003
20032004
20042005
2006
20072008
2009
2009
2010-2011
2011-
Colômbia Millonarios
Colômbia Santa Fe
Colômbia Unión Magdalena
Colômbia Deportivo Cali
Colômbia Santa Fe
Colômbia Unión Magdalena
Peru Alianza Lima
Colômbia Millonarios
Peru Alianza Lima
Colômbia Atlético Bucaramanga
Costa Rica Alajuelense
Colômbia Junior Barranquilla
Flag of Costa Rica.svg Costa Rica
Colômbia Cúcuta
Flag of Colombia.svg Colômbia
Colômbia Cúcuta
Equador El Nacional
Venezuela Deportivo Táchira
Flag of Costa Rica.svg Costa Rica

Jorge Luis Pinto Afanador, mais conhecido como Jorge Luis Pinto ou apenas Pinto (San Gil, 16 de dezembro de 1951) é um treinador de futebol colombiano. Atualmente comanda a Seleção da Costa Rica.

Após uma tentativa mal sucedida do treinamento da Costa Rica em 2004-2005, Pinto voltou para a Colômbia para treinar uma equipe recentemente promovida Corporación Nuevo Cúcuta Deportivo, que ele levou para ganhar seu primeiro campeonato em sua história. Pouco depois ele foi nomeado o novo selecionador nacional Colômbia time de futebol. Seu trabalho foi muito criticado pelo público em geral, após apresentações muito ruins contra o Uruguai e o Chile em 2010 partidas da Copa do Mundo de qualificação, assim como em 2007 Copa América 2007. Depois, Jorge Luis Pinto assumiu a equipe nacional de futebol da Colômbia a um dos melhores começa em FIFA World Cup Qualifying na história colombiana, obtendo 10 pontos de um possível 16 pontos, sentado em 3 º lugar. No entanto, para o desempenho medíocre, que terminou em 7 º lugar e não conseguiu se classificar para a Copa do Mundo de 2010.

Copa do Mundo de 2014[editar | editar código-fonte]

Costa Rica cala e surpreende o mundo[editar | editar código-fonte]

Em 14 de junho de 2014, seus comandados estrearam na Copa do Mundo no Brasil, jogando contra o Uruguai no Estádio Castelão, a Costa Rica fez 3 a 1 (de virada) na forte seleção sul-americana. O resultado foi considerado a primeira "zebra" do mundial e a seleção Costarriquenha ganhou a fama de ser o time "azarão" da Copa, além de receber o apoio dos torcedores brasileiros por estar no Grupo D (chamado "Grupo da Morte") onde além da Seleção Uruguaia faziam parte a Seleção Inglesa e Italiana. Pinto foi muito elogiado pela imprensa, pelo seu conhecimento do adversário e sua tática para triunfar na partida.

No segundo jogo da Copa, no dia 20 de junho na Arena Pernambuco, contra a Itália, seus jogadores fizeram uma partida, descrita pelos jornalistas como "perfeita". Pinto colocou seu time atrás jogando no contra-ataque, chamando a seleção Européia para cima. Com bastante inteligência, Pinto colocou uma forte marcação sobre Andrea Pirlo e Mario Balotelli, as duas estrelas italianas, anulando qualquer chance de gols da equipe Azzurra. Após um pênalti claro não marcado no atacante Joel Campbell, Jorge deu um "piti" e discutiu muito com os assistentes e com o juiz da partida. Não deu muito tempo de o treinador do time caribenho reclamar da não marcação da penalidade. A indignação virou alegria e euforia, minutos depois, aos 44 do primeiro tempo, quando o camisa 10 e capitão, Bryan Ruiz marcou de cabeça o gol histórico que classificaria pela segundo vez na história, a Seleção da Costa Rica para as oitavas-de-final de um mundial (a primeira vez foi em 1990). O resultado eliminou a Inglaterra do campeonato. No segundo tempo, a Costa Rica dominou todas as jogadas do jogo com um eficiente toque de bola. Após o apito final e a classificação para a próxima fase garantida, Jorge e seus jogadores foram muito aclamados pela torcida e extremamente elogiados pela imprensa internacional.

Evidentemente, após a vitória, Jorge e o elenco da seleção centro-americana foram considerados “heróis nacionais” na bela Costa Rica. Não só pela inesperada qualificação no grupo considerado o mais difícil do mundial, mas por terem derrotado de maneira eficiente e perspicaz, duas seleções campeãs do mundo e com muita tradição no futebol.

Jorge chegava ao ápice de sua carreira como treinador.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um treinador de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.