Jornal da Madeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jornal da Madeira
Logo Jornal da Madeira.jpg
Periodicidade Diário matutino
Formato tablóide
Proprietário Empresa Jornal da Madeira, Lda.
Presidente Rui Alberto de Nóbrega Gonçalves
Diretor João Henrique Pinto Correia
Editor Miguel Ângelo
Fundação 1º de maio de 1932
Slogan Quem lê sabe
Sede Funchal, Madeira
 Portugal
Página oficial www.jornaldamadeira.pt/

O Jornal da Madeira é um jornal matutino da Região Autónoma da Madeira. Pertence à empresa Jornal da Madeira, sediada no Funchal.

Iniciado como um jornal de expressão católica, actualmente difunde informação regional, nacional e internacional sobretudo destinada à população do arquipélago da Madeira.

História[editar | editar código-fonte]

Na génese do periódico encontra-se o "Jornal" com o subtítulo "Diário da Tarde", que veio a público a 27 de março de 1906 e, em 22 de novembro de 1923, passou a ser publicado com o título "Jornal da Madeira" (Ano I, nº 1). Em 1 de janeiro de 1927 foi novamente publicado o nº 1 de "O Jornal", agora com o subtítulo "Diário da Tarde".

Em 6 de maio de 1931 continuou a publicar-se "O Jornal", agora com o subtítulo "Diário Regionalista". Entre 24 de abril de 1932 e 30 de abril de 1932 publicou-se apenas com o título "O Jornal". Em 1 de maio de 1932 foi adquirido pela Diocese do Funchal e continuou-se a publicar com o título "O Jornal" e com o subtítulo "Diário da Manhã", iniciando-se a Série II, Ano I, nº 1. Em 30 de abril de 1952 passou a publicar-se "O Jornal", sem qualquer subtítulo. A 1 de maio de 1952 readquiriu o título "Jornal da Madeira" mantendo-se a mesma numeração do "Jornal", passando a Ano XX, Série II, nº 6040.

O "Jornal da Madeira" é, actualmente, membro da União Católica Internacional da Imprensa (UCIP). De acordo com o seu estatuto, deveria constituir-se como um órgão de comunicação social de inspiração cristã, na tradição do Jornal, com os objectivos das suas linhas editoriais "um diário que tomasse a defesa enérgica da alma madeirense no que ela possui de mais íntimo e de mais caro – a sua Fé e o amor à sua Terra" (Manuel Sardinha in Editorial, O Jornal – Diário da Manhã, Funchal, 1 de Maio de 1932.)

A primeira página da edição número um d’“O Jornal”, de 1 de maio de 1932, é uma amálgama de letras, quebrada apenas por duas fotos nas extremidades da folha.

Com quatro páginas num formato de papel acima do A2.

Impressão a cor[editar | editar código-fonte]

Na década de 1960, a cor vermelha começa a ser impressa nas páginas do Jornal da Madeira, nos títulos considerados mais importantes. A primeira página passa, assim, a tornar-se mais apelativa, isto porque, além da cor, que era uma inovação, já são introduzidas fotos e nota-se que há uma maior preocupação com o grafismo.

Na capa, vem a referência ao número de páginas que a edição do jornal contém, como também uma chamada de atenção à publicação do suplemento sobre o desporto.

Edição electrónica[editar | editar código-fonte]

Iniciou-se em 2001 a publicação electrónica deste jornal. Foi renovado completamente em 2003.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]