Jornal da Manchete

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Jornal da Manchete
Logotipo usado em seus últimos anos de exibição.
Informação geral
Formato Telejornal
Duração 30 minutos
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Apresentador(es) Ronaldo Rosas
Carlos Bianchini
Eliakim Araújo
Leila Cordeiro
Márcia Peltier
Augusto Xavier
Cláudia Barthel
Leila Richers
Tema de abertura Baseado em "Videogame", do Roupa Nova
Tema de
encerramento
Baseado em "Videogame", do Roupa Nova
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Manchete
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 6 de junho de 19838 de maio de 1999
Cronologia
Programas relacionados Edição da Tarde
Primeira Edição

Jornal da Manchete foi um telejornal brasileiro exibido pela extinta Rede Manchete entre 6 de junho de 1983 a 8 de maio de 1999. Foi consagrado como o programa mais longevo da história da emissora, permaneceu no ar do primeiro ao último dia útil de existência. O jornalismo sempre foi o carro-chefe da Manchete, e o Jornal da Manchete além de ser o seu principal noticiário eletrônico, também era um dos principais faturamentos da emissora carioca.

História[editar | editar código-fonte]

No início, em 6 de junho de 1983, tinha uma excessiva duração de duas horas, e era dividido em vários espaços que ao longo do tempo se transformaram em programas separados. O tempo foi reduzido depois, quando alterou em certa medida a sua linha editorial, principalmente após a vitória da Aliança Democrática nas eleições presidenciais de 1985.

A trilha sonora do informativo, Videogame, foi composta pelo conjunto musical de pop Roupa Nova, rejuvenescendo o conceito de jornalismo na televisão brasileira. Originalmente, o seu cenário era bastante futurístico, mostrando sua própria redação ao fundo com diversos monitores de televisão. Com a evolução da emissora, o informativo ganhou duas novas edições ao longo da programação. Foi aí que surgiram o Jornal da Manchete: Edição da Tarde e o Jornal da Manchete: Segunda Edição, este exibido no final da noite. No primeiro, o cenário era diferente dos demais e chegava a dedicar quadros femininos em seu conteúdo, incluindo entrevistas com artistas apresentada por Leda Nagle. No segundo, houve outras denominações ao longo de sua existência, como Noite Dia e Manchete Verdade.

Inicialmente era apresentado por Ronaldo Rosas, Carlos Bianchini, Luiz Santoro, Roberto Maya, Claudia Ribeiro e Íris Lettieri, além da participação de diversos comentaristas, como Carlos Chagas e Villas-Boas Corrêa na política. Um mês depois, era criado o Jornal da Manchete 2ª Edição, que foi apresentado por Luiz Santoro, Roberto Maya e Claudia Ribeiro, e ia ao ar às 23 horas e 30 minutos. Mais um mês, e foi inaugurado o Panorama, um jornal revista, apresentado por Jacyra Lucas e Íris Lettieri, que ia ao ar à tarde na Rede Manchete.

Em agosto de 1989, o informativo passou a ser apresentado pelo casal Eliakim Araújo e Leila Cordeiro. Com a saída destes, ganhava o espaço Márcia Peltier, apresentadora que teve grande prestígio na emissora, permanecendo até 1998. Em 1996, a Manchete contrata Augusto Xavier para apresentar o jornal em 1996. Depois da saída de Márcia da emissora, o telejornal passou a ser apresentado definitivamente por Augusto, revesando a apresentação com Ronaldo Rosas.

Primeira Edição[editar | editar código-fonte]

O Jornal da Manchete foi extinto no último sábado em que a Rede Manchete foi transmitida, em 8 de maio de 1999. Quando a emissora foi renomeada como TV!, passou a ser transmitido com o nome de Primeira Edição até a estreia da RedeTV!, quando o jornalístico foi definitivamente extinto.


Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.