José Augusto Sergipano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
José Augusto Sergipano
Informação geral
Nome completo José Augusto Costa
Nascimento 3 de outubro de 1936
Origem Aquidabã, SE
País  Brasil
Data de morte 5 de dezembro de 1981 (45 anos)
Período em atividade 1960-1981

José Augusto Costa (Aquidabã, 3 de outubro de 1936 - Feira de Santana, 5 de dezembro de 1981), popularmente conhecido como José Augusto Sergipano ou também José Augusto Velho, foi um cantor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu na Avenida Santa Terezinha, no bairro da Baixinha, em Aquidabã, onde fez os primeiros estudos, e depois veio morar em Aracaju, concluindo o 2º grau. Em 1953, estudava e trabalhava na primeira linha de ônibus coletivo da capital sergipana.

Dentre seis irmãos, era o filho mais novo de Maria Adolfina Costa e de Januário Bispo dos Santos. O jovem José Augusto cantava nas festinhas das escolas e festas de aniversários, pois sua vocação para cantor aflorou na juventude. Gravou mais de 200 músicas, em 22 LP's, iniciando a sua carreira de cantor na Gravadora Chantecler, realizando seu grande sonho, gravando também em outras gravadoras. O seu nome "estourou" nos principais programas radiofônicos da capital paulistana, fazendo sucesso retumbante, admirado pelos nordestinos e pelos brasileiros de um modo em geral. Viajou por todo o país fazendo shows, apresentando-se, em palcos dos cinemas (na época os cinemas eram os principais locais para a apresentação dos artistas. As emissoras de Aracaju tocavam os seus discos, diariamente, fato que se repetia em todo o Brasil.

Morte[editar | editar código-fonte]

José Augusto, com uma agenda cheia de compromissos, ao saber da hospitalização da sua mãe, Dona Adolfina, veio às pressas para Aracaju, mas por exigência de seu empresário, viajou para realizar um show em Senhor do Bonfim, na Bahia, agendado anteriormente, mas um acidente ocorrido perto de Feira de Santana, matou-o na hora. O corpo foi sepultado, no jazigo da família, no Cemitério de Santa Isabel.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Florisbela Saint-Tropez/Saudade bateu na porta • Carnaval (1961)
  • Se meu apartamento falasse • Califórnia (1962)
  • Ninguém faz falta/Minha saudade • Chantecler (1962)
  • Minha mãezinha/Cantando pra não chorar • Chantecler (1962)
  • Guarânia da noite triste/Tortura • Chantecler (1963)
  • Tudo de mim/E o tempo passou • Chantecler (1963)
  • Engano do carteiro/Até amanhã • Chantecler (1963)
  • Beijo gelado/Amor proibido • Chantecler (1964)
  • Angústia da solidão/Traição • Chantecler (1964)
  • Um novo ídolo • Chantecler (1965)
  • Exitos de Brasil • Chantecler (1965)
  • José Augusto • Chantecler (1966)
  • Preciso de alguém • Chantecler (1967)
  • Momento feliz • Chantecler (1968)
  • Os grandes sucessos de José Augusto • Chantecler (1969)
  • Prece de um rapaz apaixonado • Chantecler (1969)
  • A vida passando por mim (1971)
  • Canção de paz (1973)
  • Minha visão (1976)
  • Aliança devolvida (1978)
  • Já o novo ídolo (1980)
Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.