José Bonifácio (distrito de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Distrito paulistano de
José Bonifácio
Área 14,1 km²
População (40°) 506.356 hab. (2010)
Densidade 16,86 hab/ha
Renda média R$ 807,88
IDH 0,804 - elevado (70°)
Subprefeitura Itaquera
Região Administrativa Leste 1
Área Geográfica 4
Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg

José Bonifácio é um distrito situado na Zona Leste de São Paulo na Subprefeitura de Itaquera e é predominantemente residencial, com uma grande quantidade de prédios populares (conjuntos habitacionais) e áreas semirurais. O distrito é servido pelos trens da linha 11 da CPTM com uma estação homônima.

O nome "José Bonifácio" é pouco utilizado pela população em geral, normalmente se referindo ao conjunto habitacional de mesmo nome, e o distrito é, com frequência, erroneamente considerado como parte do distrito de Itaquera.

História[editar | editar código-fonte]

A região onde fica hoje o distrito de José Bonifácio começou a ser ocupada nos anos 20 por imigrantes japoneses, que lá estabeleceram chácaras, plantando especialmente ameixas e pêssegos. Em virtude disso, a região passaria a ser chamada de "Terra do Pêssego", o que futuramente daria nome à estrada no lado oeste do distrito - Jacu Pêssego[1] .

Em 1927, os imigrantes japoneses fundaram a Associação de Moços da Colônia de Itaquera, que existe até hoje, atualmente com o nome de Itaquera Nikkei Clube. Muitas chácaras desta época persistem ainda na área semi-rural do distrito, com outras sendo ocupadas por fábricas, residências, clubes, ou conjuntos habitacionais. Esta área corresponde ao bairro chamado, não por coincidência, de Colônia, e é onde fica também a Associação Pró-Excepcionais Kodomo no Sono, fundada por imigrantes japoneses.

Um grande marco na história do distrito foi o surgimento do Conjunto Habitacional José Bonifácio, inaugurado pelo presidente João Figueiredo (que governou o país de 1979 a 1985) e financiado pelo Banco Nacional da Habitação[2] . Através do conjunto habitacional, o distrito passou a receber moradores de baixa renda de outras partes da cidade. Ao se mudarem, eles descobririam que o bairro tinha prédios e asfalto, mas era desprovido de saneamento básico, equipamentos sociais, iluminação pública, e transporte coletivo[2] .

A comunidade do bairro começou a se organizar, e através de muito esforço, foram obtidas diversas melhorias, tais como escolas, postos de saúde, creches, pontos de ônibus e iluminação. A estação de trem do bairro foi inaugurada em 27 de maio de 2000[3] .

Características[editar | editar código-fonte]

Área[editar | editar código-fonte]

O distrito tem um formato alongado e levemente afunilado, posto num relevo montanhoso na extrema Zona Leste de São Paulo, distando entre cerca de 19.5 km (Jd. Morganti) a 22.8 km (Estrada de Iguatemi) da Praça da Sé. Boa parte dos mais de 107 mil habitantes está concentrada na parte norte do distrito, nas proximidades de Itaquera, Lajeado e norte de Guaianases. Enquanto a outras partes, são pouco densamente povoados e semi-rurais, ocupadas por alguns galpões e vilas pequenas, como a Fazenda Caguaçu, Jd. Jordão e V. Ivete.

As principais avenidas e estradas que passam pelo distrito são a Avenida Jacu Pêssego/Nova Trabalhadores, Estrada de Iguatemi, Avenida Jardim Tamoio, Avenida Professor João Batista Conti, Avenida Nagib Farah Maluf, Avenida José Pinheiro Borges e a Estrada Itaquera-Guaianases.

Limites[editar | editar código-fonte]

O distrito limita-se com Itaquera e Lajeado a norte, Guaianases e Cidade Tiradentes a leste, Iguatemi ao sul e Parque do Carmo a oeste.

Norte: R. Sabbado Ângelo, R. Lagoa da Barra, R. Virgínia Ferni, Córrego Xavantes, Avenida José Pinheiros Borges, R. Hilário Pires e R. Luíz Mateus.

Leste: Córrego Lajeadinho, córrego sem nome, Cemitério do Carmo e Ribeirão Itaquera.

Sul: Córrego Guaratiba, Estrada Iguatemi e Rio Aricanduva.

Oeste: Avenida Jacu Pêssego/Nova Trabalhadores, R. Tomé Álvares de Castro e R. Agrimensor Sugaya.

Pontos de interesse[editar | editar código-fonte]

Aquário Itaquera[editar | editar código-fonte]

No distrito se localiza o Aquário Itaquera, o maior mercado de peixes ornamentais da cidade de São Paulo. Anexo ao Aquário está um parque temático, um dos mais importantes centros de lazer da Subprefeitura de Itaquera, juntamente com o SESC Itaquera, o Parque do Carmo e o Shopping Metrô Itaquera.

Associação Pró-Excepcionais Kodomo no Sono[editar | editar código-fonte]

A Kodomo no Sono, fundada em 1958, localizada no bairro Fazenda do Carmo, foi reconhecida como primeira entidade assistencial a abrigar portadores de necessidades especiais. Todo mês de julho, a organização realiza o Bazar Beneficente Kodomo no Sono, um grande evento de arrecadação que recebe cerca de 10.000 visitantes[4] e é apoiado por diversas organizações e empresas, muitas vinculadas à comunidade Japonesa.

Referências