José Marcolino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

José Marcolino Alves (Sumé, 28 de junho de 1930Afogados da Ingazeira, 20 de setembro de 1987), mais conhecido como Zé Marcolino, foi um poeta e compositor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu no Sítio Várzea Paraíba, lugar exuberante de sons, cheiros e cores. Inspirado na paixão pelo Nordeste, suas músicas falavam do Cariri e dos povos que habitam a região.

O sertanejo José Marcolino era um homem que valorizava as tradições nordestinas, sendo muito ligado aos cantadores e às prosas sertanejas, que foram profundamente importantes em sua vivência como homem de origem humilde.

Desejo de conhecer Luiz Gonzaga[editar | editar código-fonte]

Diante do desejo de conhecer Luiz Gonzaga, escreveu-lhe diversas cartas, porém nunca havia obtido resposta. Certo dia, sabendo que Luiz Gonzaga estava em sua cidade, hospedado no Grande Hotel, José Marcolino não se conteve, sabendo que aquele momento poderia ser a grande oportunidade para apresentar suas músicas a Luiz Gonzaga, e foi à sua procura.

O primeiro encontro foi tratado com certo desinteresse percebido por Marcolino, que de cara interrogou Luiz Gonzaga sobre o recebimento de suas cartas. O encontro não durou muito tempo, e o compositor foi embora desanimado com o desenrolar da conversa.

Decorrente de sua persistência, José Marcolino conseguiu com que Gonzaga lhe escutasse. Após a sua apresentação, Luiz Gonzaga perguntou ao compositor quantas canções iria lhe dar. Respondendo, José Marcolino disse: umas três.

Por fim, recebeu um abraço de Luiz Gonzaga, que convidou o novo parceiro para ir com ele para o Rio de Janeiro, dando início a uma importante parceria que originou várias canções de grande sucesso na carreira de Luiz Gonzaga.

Falecimento[editar | editar código-fonte]

No dia 19 de setembro de 1987, José Marcolino sofreu um grave acidente de carro, em Afogados da Ingazeira (PE), vindo a falecer no dia seguinte.

Composições[editar | editar código-fonte]

  • Cacimba Nova, toada (José Marcolino)(1964)
  • Numa Sala De Reboco, xote (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1964)
  • Cantiga do Vem-Vem, baião (José Marcolino/Panta)(1964)
  • Fogo sem Fuzil, polquinha (Luiz Gonzaga/José Marcolino)(1965)
  • Quero Chá, polquinha (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1965)
  • Sertão de aço, xote (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1962)
  • Serrote Agudo, toada-baião (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1962)
  • Pássaro Carão, baião (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1962)
  • Matuto Aperriado, baião (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1962)
  • A Dança de Nicodemos, xote (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1962)
  • No Piancó, xote (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1962)
  • Pedido a São João, baião (José Marcolino)(1963)
  • Caboclo Nordestino, baião (José Marcolino)(1963)
  • De Olho no Candeeiro (João Silva/Zé Marcolino)(1987)
  • Boca de Caieira (Zé Marcolino/Zé Mocó)(1986)
  • Eu e Meu Fole (Zé Marcolino)(1986)
  • Projeto Asa Branca (José Marcolino/Luiz Gonzaga)(1983)
  • Conselho ao Filho Adulto (José Marcolino) (****)