José Pedro Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

José Pedro Pereira Gomes, com o nome artístico José Pedro Gomes[1] Com IH (Lisboa, 28 de Dezembro de 1951) é um actor, autor e encenador português.[2]

Recebe a sua formação no Théâtre du Soleil (1970), no Teatro da Cornucópia, com professores da Bristol Old Vic School (1981) e com Polina Klimovitskaia (1991), na Fundação Calouste Gulbenkian.

Inicia a sua actividade profissional em 1976,[2] tendo trabalhado em vários grupos como o Teatro Proposta, com Fernando Gusmão; Teatro da Graça, com Carlos Fernando; Teatro da Cornucópia, com Antonino Solmer e Luís Miguel Cintra; Teatro O Bando, com Horácio Manuel e João Brites; Teatro Aberto, com Norberto Barroca e João Lourenço; Comuna - Teatro de Pesquisa, com João Mota. Trabalhou com Ricardo Pais no Centro Cultural de Belém e com Adriano Luz e António Feio no Teatro Nacional D. Maria II. É presença regular no Teatro Villaret onde, sob a direcção de António Feio, tem participado em peças como Arte de Yasmina Reza (2001/02), Deixa-me Rir de Alistair Beaton (2003/04) ou 2 Amores de Ray Cooney (2006/07). Criou, interpretou e encenou Coçar - onde é preciso, apresentado no Teatro Armando Cortez em 2005.

Trabalhou em televisão, nomeadamente em séries e telefilmes(na sua maioria de humor). Trabalhou com Herman José (teve o seu primeiro grande boom de reconhecimento mediático) em Casino Royal (1989), Crime na Pensão Estrelinha (1987), Herman Enciclopédia (1997), Herman 98 (1998), Herman 99 (1999) e O Lampião da Estrela (2001). Na televisão participou noutros projectos como em Paraíso Filmes (2001), Tudo sobre… (2005), Equador (2008); participou em telefilmes de Luís Filipe Costa, Claude Guillemot, Margarida Gil; popularizou-se também ao lado do amigo António Feio (com quem trabalhou durante 21 anos,) no enorme êxito,Conversa da Treta, primeiro no teatro, depois na rádio, televisão (em 1998) e finalmente cinema (em 2007). Fez uma participação especial na novela da SIC Resistirei (2007), no papel de "Vicente Paixão" e ainda na série (1 episódio) Um lugar para Viver (2009) No cinema participou em filmes de Manuel Mozos, Margarida Cardoso, José de Pina, José Sacramento, Leonel Vieira, entre outros.

Na rádio é autor intérprete da crónica semanal Os Cromos TSF (TSF).[2]


Televisão[editar | editar código-fonte]

  • Crime na pensão Estrelinha (1987),RTP
  • Nico d'Obra elenco secundário, RTP
  • Na paz dos Anjos (1995),RTP
  • Herman 98 (1998), RTP
  • Herman 97 (1997), RTP
  • Conversa da Treta (1998), SIC[2]
  • Fura Vidas (1 episódio), 2000 SIC
  • Lampião da Estrela
  • Paraíso Filmes (2001-2002), RTP
  • Tudo Sobre… (2005), RTP
  • Equador (2008), TVI
  • Coçar Onde é Preciso (2006), RTP
  • Resistirei (2007-2008), SIC
  • 1 lugar para viver 1 episódio (2009) RTP -
  • Família Mata (2011) - SIC
  • Hotel 5 Estrelas (2012) - RTP

Referências

  1. Lista de associados da Audiogest (em português). Actividades Culturais / Ministério da Cultura (25 de Julho de 2007). Página visitada em 23 de Dezembro de 2013.
  2. a b c d José Pedro Gomes (em português). Infopédia. Página visitada em 31 de março, 2013.