José Perácio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

José Perácio Berjun (Nova Lima, 2 de novembro de 1917  — Rio de Janeiro, 10 de março de 1977[1] ), foi um futebolista brasileiro que atuava como meia ou atacante.

Revelado pelo Villa Nova em 1932, Perácio chegou ao Botafogo em 1937. No alvinegro carioca, conseguiu vaga na Seleção Brasileira e foi à Copa do Mundo de 1938, na França. Perácio era tido como uma figura folclórica. Semianalfabeto, mal sabia assinar seu próprio nome. No navio que levava a delegação brasileira para a Copa de 38, Perácio usava binóculo, pois queria "ver a linha do Equador de pertinho". Outro episódio marcante de Perácio foi quando abastecia seu veículo Packard num posto de gasolina, acendeu um cigarro e jogou o fósforo no chão, para desespero de seu companheiro Martim Silveira. Perácio respondeu para Martim: "Desculpa, desculpa, eu não sabia que você era supersticioso". O jogador também ficou famoso por outro causo. Ele costuma estacionar seu Packard próximo do estádio com o volume do rádio no máximo pois gostava de ouvir:

"Gooool! Goooool de Perácio
Locutores de rádio

Deixou o Botafogo em 1940, para no ano seguinte defender o Flamengo. Jogou no rubro-negro até 1949, pelo qual foi tricampeão carioca, entre 1942 e 1944. Serviu na F.E.B. durante a Segunda Guerra Mundial. Terminou a carreira em 1951, um ano antes de ir para o Canto do Rio FC.

Equipes[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vila Nova
Botafogo
Flamengo

Referências

  1. Marcelo Rozenberg. Que fim levou? terceiro tempo. Página visitada em 6 de agosto de 2013.
  • AUGUSTO, Sérgio - Botafogo: entre o céu e o inferno; p. 120 (Editora Ediouro, 2004)