José de Souza Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde dezembro de 2013)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

José de Souza Martins (São Caetano do Sul, 24 de outubro de 1938) é um escritor e sociólogo brasileiro.

Professor Titular aposentado do Departamento de Sociologia e Professor Emérito (2008) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP. Foi o terceiro brasileiro, depois de Celso Furtado e de Fernando Henrique Cardoso, a ocupar, em 1993-1994, a prestigiosa Cátedra Simón Bolivar da Universidade de Cambridge, Inglaterra, quando foi também eleito fellow de Trinity Hall. Foi professor visitante da Universidade da Flórida (Gainesville, EUA) e da Universidade de Lisboa. Professor Honoris Causa da Universidade Federal de Viçosa (20 de junho de 2013). Doutor Honoris Causa da Universidade Federal da Paraíba (8 de novembro de 2013). e Doutor Honoris Causa da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (2 de Agosto de 2014).

Na Universidade de São Paulo, onde fez o bacharelado e a licenciatura em Ciências Sociais (1961-1964), o mestrado (1966), o doutorado (1970) e a livre-docência (1992) em Sociologia, foi aluno de Florestan Fernandes, Fernando Henrique Cardoso, Octavio Ianni, Marialice Mencarini Foracchi, Paula Beiguelman, Ruth Cardoso, Eunice Ribeiro Durham, Ruy Galvão de Andrada Coelho,Gioconda Mussolini, Egon Schaden, Oliveiros da Silva Ferreira, Diva Benevides Pinho, dentre outros.

De 1996 a 2007, foi membro do Board of Trustees of United Nations Voluntary Fund on Contemporary Forms of Slavery (Junta de Curadores do Fundo Voluntário das Nações Unidas contra as Formas Contemporâneas de Escravidão), indicado pelo Alto Comissário de Direitos Humanos e designado pelo secretário-geral, em quatro mandatos consecutivos de três anos cada um. Em 2002, foi designado representante "pro-bono" ("para o bem do povo", gratuitamente, na incumbência da Prestação de Serviços à Comunidade, da Universidade de São Paulo), do presidente da República Fernando Henrique Cardoso na comissão interministerial que preparou o Plano Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil e do Trabalho Escravo. Comissão que integrou e coordenou de novembro de 2001 a dezembro de 2002, nomeado pelo Ministro da Justiça, na Secretaria de Direitos Humanos.

Recebeu os seguintes prêmios: Prêmio "Visconde de Cairu" - 1977 (Menção Honrosa), Instituto Roberto Símonsen, São Paulo, pelo livro Conde Matarazzo - Empresário e Empresa [Editora Hucitec, São Paulo, 1976]; Prêmio "Érico Vannucci Mendes" - 1993, CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência pelo conjunto da obra; Prêmio Jabuti 1993 de Ciências Humanas, da Câmara Brasileira do Livro pelo livro ''Subúrbio'' [Editora Hucitec/Prefeitura de São Caetano do Sul, São Paulo/São Caetano do Sul, 1992]; Prêmio Jabuti 1994 de Ciências Humanas, da Câmara Brasileira do Livro pelo livro ''A Chegada do Estranho'' [Editora Hucitec, S. Paulo, 1993], como Melhor Livro da Categoria de Ciências Humanas, de 1994; Prêmio a Pesquisador/2002, Fundo Bunka de Pesquisa-Banco Sumitomo Mitsui/Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa, São Paulo, 3 de outubro de 2002; Prêmio Florestan Fernandes 2007, da Sociedade Brasileira de Sociologia, Recife, 28 de maio de 2007; Prêmio "Jabuti" de Ciências Humanas de 2009 pelo livro ''A Aparição do Demônio na Fábrica'' [Editora 34, S. Paulo, 2008].

Obras[editar | editar código-fonte]